Cineasta que morou em vagão de trem abandonado e foi desacreditado reescreve a própria história; assista

O enredo da vida do hoje cineasta Flavio Dutra tinha tudo para seguir um caminho diferente. Mas o menino que morou em um vagão de trem na infância e foi desacreditado na adolescência assumiu o controle da própria história.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os pais de Flavio tinham problemas sérios com o alcoolismo e ambos acabaram morrendo de cirrose. Primeiro, o pai, que terminou a vida catando papelão e latinhas para vender, pois o vício lhe tirou todos os trabalhos como pedreiro.

Foi então que o irmão mais velho de Flavio, Eduardo, que na época tinha apenas 18 anos de idade, decidiu levar a mãe e seus outros irmãos para morar com ele em uma ocupação irregular, em Campinas (SP). Porém, Eduardo ainda estava construindo a casa.

vagão de trem enferrujado parado linha
Flavio viveu uma parte da sua infância num vagão de trem abandonado. Foto: Pixabay

Até que ficasse pronta, a família foi morar em um vagão de trem abandonado e lá permaneceu durante três meses. Enquanto isso, a mãe de Flavio se afundava ainda mais no álcool, até não resistir mais e falecer.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As coisas começaram a melhorar depois que o irmão de Flavio rompeu com sua antiga companheira e começou um novo relacionamento, criando condições para que fossem morar em um bairro.

A ‘virada’

Flavio foi obrigado a amadurecer rapidamente. Sentia que precisava ajudar o irmão nas despesas de casa. Por isso, começou a trabalhar muito cedo. Na rua, vendia coxinha, mel e topava qualquer trabalho que surgisse.

O “ponto da virada” veio entre os 16 e 17 anos. Época em que Flavio trabalhava entregando panfletos. Certo dia, ele olhou para um panfleto e disse a um colega: “Um dia, quero ser designer gráfico”.

O rapaz riu dele, mas Flavio levou a promessa a sério. Sem dinheiro para pagar um curso, Flavio improvisava, estudando Photoshop em uma lan house!

rapaz mexendo computador teclado colo
Flavio ia para uma lan house aprender Photoshop. Foto: arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cineasta

Flavio cumpriu a promessa conseguindo seu primeiro emprego como designer gráfico. Depois que saiu da empresa, deu um passo além!

Fez diversos cursos de cinema e começou a rodar seus primeiros curtas-metragens. Em 2009, Flavio, que hoje tem 33 anos, tomou coragem e fundou a FD Produções, a sua produtora de vídeos, em Pitanga (PR), onde reside atualmente.

rapaz segurando filmadora fazendo sinal positivo outra mão parque
Foto: arquivo pessoal

“Daí pra frente eu fui melhorando. A melhor forma da gente crescer na vida é conhecer nossos pontos fortes e negativos. E transformar isso em evolução constante, sabe? Tomei coragem e falei, ‘vou criar a minha própria empresa’”, diz Flavio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Flavio é o convidado do 20º EP do Cafezoom. No vídeo abaixo, ele fala ainda sobre como deixou de ser ateu estudando Teologia e o que espera das pessoas no momento em que estamos atravessando, pelo retrovisor da sua trajetória até chegar aqui…

Dá o play!

Os outros episódios do Cafezoom estão disponíveis para você maratonar aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,839,934SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Sabia que dá pra saber onde tem árvores frutíferas em São Paulo?

Dentro do Google Maps, uma pessoa catalogou essas árvores, separadas por tipo, qualidade e quantidade dos frutos.

Chicago, terceira maior cidade dos EUA, elege sua primeira prefeita negra e lésbica

Aos 56 anos, a ex-promotora federal Lori Lightfood foi eleita com 371 mil votos (73,7%), a nova prefeita de Chicago, a terceira maior cidade...

Avô e neto em quarentena cantam ‘I Want to Break Free’ em videochamada e viralizam

Por mais que não façam parte do grupo de risco do coronavírus (Covid-19), as crianças também precisam manter distância de outras pessoas, especialmente dos...

Retratadas como deusas da amamentação, fotos exuberantes mostram mães e filhos

Por algumas razões ridículas, que geralmente é o julgamento de outras pessoas, algumas mulheres ainda sentem vergonha do ato da amamentação em público. A fotógrafa Ivette...

Programa em Curitiba troca lixo por comida para a população e todo mundo sai ganhando

Muitas soluções sociais em um programa só, está bom ou quer mais? Está aí um exemplo a ser seguido, promovido e compartilhado. O Programa...

Instagram