Homem cria grupo de tricô para ajudar dependentes a largarem as drogas

Teve um tempo que Nelson Mendonça achou que não conseguiria mais largar a dependência química. Foram mais de 20 anos lutando contra o vício que inclusive, o levou a entrar e sair da prisão repetidamente. Mas a última vez que esteve encarcerado, Nelson aprendeu algo novo e que mudaria a sua vida e a de milhares de outros homens: o tricô!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Isso, gente! A arte de transformar novelos de lãs em lindas peças foi o que salvou a vida do Nelson e vem ajudando outros pacientes de um grupo de recuperação. Por estar dando tão certo, ele criou o seu próprio ‘Clube do Tricô’, em uma clínica de reabilitação, em Surrey, no Canadá, para ajudar outros dependentes.

homem cria grupo de tricô para dependentes
Foto: reprodução CBC

Passatempo na prisão

A última detenção de Nelson foi no início da pandemia. Na prisão, ele pegou um tear redondo e algumas lãs, que foram deixados por grupos de apoio aos detentos. A ideia era ter um passatempo até terminar a sua pena.

Só que Nelson foi gostando do tricô e, quando saiu da cadeia agora em julho, decidiu que continuaria a prática aqui fora. Os gorros e chapéus que produziu nos últimos meses, Nelson fez doação para pessoas em situação de rua na sua cidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

homem cria grupo de tricô para dependentes
Foto: CBC

Grupo de apoio

Assim que saiu da prisão, Nelson foi integrado ao Phoenix Society, uma clínica de reabilitação para dependentes químicos. Ele precisaria passar 90 dias internado, como parte da terapia. E o tricô estava lá, junto dele!

Nelson tricotava para passar o tempo e ajudar no tratamento da clínica. Vendo as peças sendo criadas, outros pacientes se aproximaram e demonstraram interesse em aprender também.

homem cria grupo de tricô para dependentes
Foto: CBC

Agora, ele lidera um grupo de cerca de 10 homens que já tricotaram mais de 200 gorros que são doados a pessoas necessitadas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Entre os alunos de Nelson está o Michael Prokopchuk, de 31 anos, que passou anos lutando contra seu próprio vício em drogas, o que o levou a uma tentativa de suicídio antes de se juntar ao Phoenix.

Nosso grupo de tricô tem me ajudado mantendo minha mente ocupada e me dando um senso de comunidade. Eu me conectei com todos em nosso grupo e aprendi algumas lições de qualidade de vida, compartilhando com o grupo durante meu tempo aqui.“, conta Michael.

homem cria grupo de tricô para dependentes
Foto: CBC

Para Nelson, essa está sendo a experiência mais gratificante da sua vida. “Parece uma coisa pequena, mas começar um gorro, terminá-lo e depois dá-lo a alguém, despertou em mim uma alegria que nunca senti antes em minha vida.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E os papos que antes eram monótonos, agora divertem e envolvem todos do grupo.
É muito bom ter algo para fazer, e as conversas que temos são sobre pompons, cores, abas, e nos pegamos sentados como se não pudéssemos acreditar no que estamos falando“, disse Nelson.

homem cria grupo de tricô para dependentes
Foto: CNN

Ajudando pessoas necessitadas

O Clube do Tricô de Nelson tem ainda uma segunda proposta: ajudar pessoas necessitadas. Todas as peças que são criadas por ele ou outros pacientes da clínica, são doadas para moradores em situação de rua em Surrey e cidades vizinhas.

homem cria grupo de tricô para dependentes

Os gorros são doados a grupos marginalizados que não têm agasalhos durante o inverno – incluindo pessoas em abrigos para sem-teto, mães solteiras que precisavam de algo para dar a seus filhos no Natal. Nelson se preocupou até em fazer gorros pequenos, para bebês.

Que propósito, não é gente?

Fonte: CNN

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,763,858SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Campanha quer ajudar frentista haitiano a trazer filha e esposa para o Brasil

"Você se hidrata e ainda ajuda a promover o amor!!!"

Alunos criam casinhas com garrafas PET para cães desabrigados

Os alunos do grêmio estudantil da Escola Estadual Professora Judith Sant’Ana Diegues, em Ilha Comprida, São Paulo, se uniram para confeccionar casinhas para abrigar...

Em meio a pandemia, casal se reinventa e cria floricultura-padaria: ”para as pessoas sorrirem mais”

Se a vida te der limões, combine pães rústicos e arranjos de flor e faça as pessoas mais felizes. Foi o que fez a...

Soldado americana adota cão durante missão no exterior e agora pede ajuda para levá-lo aos EUA

Não tem hora e nem lugar para encontrar o cãozinho da nossa vida e a Char nos mostra isso. Ela é uma soldado americana...

Pai dá uma lição de vida ao filho

A vida é um ciclo. Quando crianças, dependemos 100% dos nossos pais, e quando estamos crescendo, a frase que mais falamos é: "O que...

Instagram