Mulher desiste de doar para criança com câncer por ter mães lésbicas, mas doações disparam após repercussão


Após mulher se negar a ajudar criança com câncer por ela ser filha de mães lésbicas, vaquinha online dispara
PUBLICIDADE ANUNCIE

Há alguns dias uma mulher voltou atrás de fazer uma doação depois que descobriu que a criança com câncer é filha de mulheres lésbicas.  A história absurda repercutiu tanto que a pequena Callie aconteceu por fim favorecendo a vaquinha online para ajudar a pequena Callie, que praticamente já bateu a meta.

[Nota da Redação: A Ana Paula foi acolhida pela Tatiana Van Campo, proprietária de um salão de beleza em Natal (RN), após ter sido vista comendo comida do lixo. Tatiana vai profissionalizar Ana Paula para ser parte da sua equipe. Porém, Ana Paula precisa de um lugar para morar, além de outras coisas básicas, pois vai recomeçar sua vida do zero. Ajude a Ana Paula nesse recomeço aqui!]

O casal Tiffany e Albree Shaffer, mães da pequena Callie, estão organizando uma campanha de financiamento coletivo para bancar 18 meses de tratamento com quimioterapia e radiação contra um câncer recém-diagnosticado da filha. Callie tem neuroblastoma avançado, um tipo de câncer que ataca as glândulas, especialmente as suprarrenais. As informações são do NLucon.

No início do mês, Tiffany recebeu uma revoltante mensagem numa rede social. Uma mulher afirmou que iria doar 30 mil dólares para o tratamento da criança, mas “mudou de ideia” ao descobrir que o casal que cuidava dela era formado por duas mães, e não um pai e uma mãe.

Após a história absurda repercutir pela internet, a vaquinha virtual lançada pelas mães de Callie disparou, recebendo US$ 91,4 mil (R$ 365 mil) em doações para o tratamento de saúde da criança em poucos dias (valor atualizado de hoje).

Após mulher se negar a ajudar criança com câncer por ela ser filha de mães lésbicas, vaquinha online dispara

A desagradável mensagem foi publicada no próprio site de financiamento coletivo. Nela, a mulher escreve: “Estou orando pela Callie. Eu iria doar R$ 30 mil para o fundo de finanças dela, mas descobri que ela é filha de lésbicas. Desculpe-me, ela estará nas minhas orações, mas talvez este tenha sido o jeito de Deus chamar a sua atenção para o fato de que ela precisa de uma mãe e um pai, não duas mães”.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Leia também: Desabafo de pai sobre a criação do filho viraliza e revela a superação de milhões de mães

Chocadas pela insensibilidade e indignadas pelas palavras preconceituosas e cruéis, as mães responderam: “É uma pequena menina doente, cuja vida está em risco. Alguém me mandar uma mensagem dessas e falar para minha família desta forma é nojento. Não importa como você se sente, não diga uma palavra. O que Callie precisa é de amor, não ódio e tristeza”, escreveram.

Tiffany e Albree disseram posteriormente que fizeram o máximo para não se chatearem com a situação. Para elas, essa pessoa poderia simplesmente ter ignorado a vaquinha, sem precisar deixar um comentário tão desnecessário.

Após mulher se negar a ajudar criança com câncer por ela ser filha de mães lésbicas, vaquinha online dispara

Felizmente, o ódio foi submerso por toneladas de amor. O caso repercutiu nas redes sociais e milhares de pessoas decidiram ajudar Callie, doando fundos para o seu tratamento.

De fato as doações dispararam, tendo chegado próximo à meta de US$ 100 mil, suficientes para bancar todo o processo de quimioterapia e pós-operatório. Você também pode contribuir clicando aqui.

Estamos torcendo por você Callie!

Após mulher se negar a ajudar criança com câncer por ela ser filha de mães lésbicas, vaquinha online dispara

Leia tambémVoluntárias fazem ‘naninhas’ para amenizar o tratamento de crianças com câncer

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: NLucon
Fotos: Divulgação / GoFundMe

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar