Colegas de trabalho doam rins aos maridos uma da outra: ‘Precisavam de transplante urgente’

As enfermeiras Susan Ellis e Tia Wimbush são amigas e colegas de trabalho em um hospital infantil de Atlanta, nos EUA, há mais de dez anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Elas contam que se tornaram íntimas graças a uma conversa aleatória que tiveram ao se esbarrarem no banheiro feminino da ‘Children’s Healthcare’, onde trabalham.

colegas trabalho doam rins aos maridos uma da outra

A conversa permitiu que a dupla não apenas se conhecesse, mas compartilhasse os problemas que as afligiam.

Na época, os maridos de Susan e Tia estavam com graves problemas nos rins.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O marido de Tia, Rodney, foi diagnosticado com insuficiência renal em agosto de 2019 depois de ser hospitalizado devido à hipertensão.

No mesmo mês, o marido de Susan, Lance, teve insuficiência renal aguda assim que seu corpo rejeitou o rim que sua própria mãe havia doado para ele meses antes – os dois foram submetidos à diálise.

colegas trabalho doam rins aos maridos uma da outra
Susan Ellis abraça Tia durante confraternização no hospital Children’s Healthcare de Atlanta.

Foi durante aquela conversa que as duas amigas descobriram que poderiam se ajudar, depois de uma simples indagação sobre como estava o marido uma da outra.

Juntas, decidiram fazer um teste de sangue para descobrir se eram compatíveis para a doação de rins. Dias depois, veio a constatação quase milagrosa: Tia era compatível para doar pra Lance (marido de Susan) e Susan para Rodney (marido de Tia). Incrível!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em outubro do ano passado, elas foram aprovadas como doadoras.

Susan Rodney e Tia posam juntos antes de serem submetidos ao transplante de rim.

Um novo começo

A aprovação na fila de doadores foi apenas o início de um longo caminho pela frente.

Lance foi hospitalizado com complicações de sua insuficiência renal. Semanas depois, Susan foi diagnosticada com Covid-19.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por conta disso, a data da cirurgia precisou ser continuamente adiada até que, enfim, em 19 de março deste ano, às 5h30 da manhã, as mulheres puderam fazer as operações que salvaram a vida de seus maridos.

Tia e Rodney Wimbush após serem submetidos ao procedimento cirúrgico.

Susan e Lance Ellis após a cirurgia.

Ambos os maridos notaram uma melhora significativa em sua saúde e qualidade de vida.

Agora, Susan e Tia se chamam de “irmãs renais“. Quando voltaram ao trabalho depois de se recuperarem da operação, foram recebidas com uma linda confraternização feita por seus colegas.

“Nossa história é uma história de bondade”, disse Susan. “Acabou em uma troca de rim que foi o resultado disso, mas começou com seres humanos, apenas seres humanos querendo ajudar uns aos outros”.

Susan abraça Rodney no hospital Children’s Healthcare.

Um gesto empático e bondoso pode mudar a vida de uma pessoa para sempre.

No caso de Tia e Susan, uma pergunta simples – ‘Como está sua família?‘ – foi suficiente para desencadear uma série de acontecimentos maravilhosos que mudaram a vida delas e, claro, de seus maridos também.

Fonte: Majically
Fotos: Children’s Healthcare in Atlanta

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,557,067SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem faz pedido para Whindersson Nunes, que o responde disposto a ajudá-lo

Em meio a tantas polêmicas envolvendo youtubers...

Vídeo mostra amizade entre filhotes de elefante e de girafa no Quênia

Embora a gente ainda ache que é improvável a amizade entre espécies na natureza, esses dois filhotes provam, mais uma vez, que os animais...

Do clássico ao punk: 15 bebês que nasceram cabeludos

Bebês que nasceram com cabelos volumosos e penteados de gente grande!

Senhora de 92 anos usa a mesma placa na Parada do Orgulho Gay desde 1970

Frances Goldin, uma senhora de 92 anos, é um dos principais símbolos da Parada do Orgulho LGBT de Nova York. E não é de...

Instagram