Coletivo promove ações sociais com foco em mulheres negras em situação de rua

Trajetórias de sucesso começam com um sonho, e assim foi com Pamella Cristina (27), co-fundadora do projeto Pretas Ruas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu quero transformar meus privilégios, quero distribuir para todos minhas habilidades, ensinar a começar do pouco para o muito, se eu consegui você também consegue”, explica Pamella. Ela foi uma das três vencedoras do Prêmio Voluntariado Transformador, realizado pelo Atados em parceria com o Minas Voluntários e a Fundamig.

Ela conta que começou no voluntariado por influência da mãe, Cristiane de Oliveira (47). A pequena Pam gostava de ficar em casa inventando maneiras de mudar o mundo, e descobriu no voluntariado a melhor sensação que poderia sentir, a empatia. “Eu acompanhava minha mãe na igreja e, durante as visitas, auxiliava nas atividades voluntárias. Com o tempo, comecei a querer ir cada vez mais nas ações, comecei a me apaixonar por essa sensação.”

Coletivo promove ações sociais com foco em mulheres negras em situação de rua 3
Pamella e sua mãe durante uma ação. Foto: arquivo pessoal

Sempre estudou em escolas religiosas que não traziam o conhecimento sobre as lutas que faziam parte de suas raízes “nos debates propostos em sala, assuntos como feminismo, consciência de classe e diversidade não eram uma pauta”. Seu primeiro contato com o ativismo foi com o surgimento das cotas: em suas pesquisas, conheceu o MNU (Movimento Negro Unificado) e, desde então, é ativista na causa. “Comecei a participar de coletivos, foi assim que eu descobri meu sonho de construir trilhas para meninas pretas”, relembra.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com 18 anos, entrou no curso de Direito da Universidade Estácio de Sá pelo PROUNI, onde teve um maior letramento racial e de gênero. “Presenciei a falta de representatividade na universidade. Só tive dois professores negros, eu não tinha referências na profissão. Tudo isso é fruto de um apagamento histórico.”

Em 2019, Pamella e sua colega de faculdade, Pamella Lessa, estavam fazendo uma pesquisa sobre índices de extrema vulnerabilidade, mas queriam ir além, aprender na prática a construir junto. Foi rodando o estado do Rio de Janeiro e conhecendo projetos sociais que perceberam e se aproximaram de mulheres em situação de rua, público com o qual as duas seguiram trabalhando até os dias de hoje.

Coletivo promove ações sociais com foco em mulheres negras em situação de rua 4
Foto: arquivo pessoal

“Eu nunca estive em situação de rua ou de extrema vulnerabilidade. Sempre tive poder de escolha do que comer, vestir e sonhar. É muito desafiador olhar para situações diferentes da minha, mas meu primeiro passo sempre foi ficar imersa na realidade dessas pessoas praticando a escuta ativa e a compreensão”, comenta Pamella. “Não tem como pensar em algo para essas pessoas pensando de uma forma vertical. Só construindo em conjunto com elas é possível transformar as realidades e perceber que não estamos no mesmo barco.”

Foi assim que surgiu o Pretas Ruas, movimento que busca auxiliar mulheres em situação de rua a se reestruturarem, conquistando seu espaço na sociedade, encerrando o ciclo da vida na rua e possibilitando o fim da vulnerabilidade social que elas enfrentam.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Meus sonhos se intercruzam com os sonhos dos beneficiários da Pretas Ruas. Eu tenho muitos sonhos e desejos, mas acredito que o meu grande propósito seja trilhar caminhos, construir pontes e faço isso em parceria com a minha equipe (Pam Lessa, Débora Guedes, Carol Santos e Monique Damas), que tem construído, junto, um grande sonho de ter mais equidade e justiça social.”

Prêmio Voluntariado Transformador

A primeira edição do Prêmio Voluntariado Transformador foi uma iniciativa realizada pelo Atados em parceria com o Minas Voluntários e Fundamig. O evento premiou iniciativas em quatro categorias (saiba mais aqui), entre elas a categoria destinada a atividades de voluntariado, realizadas por pessoas físicas que geram impactos transformadores na sociedade. Entre os dez finalistas, três foram selecionados como vencedores. Este conteúdo faz parte de uma série de textos contando a história desses três voluntários transformadores!

Faça parte dessa história

Acreditamos no poder da mobilização coletiva. Por isso, te convidamos a vir junto e levar o Pretas Ruas e outras organizações sociais mais longe. Compartilhe esta matéria com seus amigos e amigas!.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Selecionamos vagas de voluntariado no Pretas Ruas e em outras instituições que se mobilizam socialmente. Venha conhecê-las! Acesse linklist.bio/VagasRPA e participe da transformação! Conheça todas as oportunidades aqui (www.atados.com.br).

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Artista plástica de Rondônia vai expor obras inspiradas na Amazônia no Museu do Louvre, em Paris

Olha só que luxo! A artista plástica rondoniense Edina Costa foi convidada para participar do Salão Internacional de Arte Contemporânea do Museu do Louvre, em...

Desde os 6 anos este garoto ajuda a levar água para povoados na África

Ryan nasceu no Canadá, em maio de 1991. Quando pequeno, na escola, com apenas seis anos, sua professora lhes falou sobre como viviam as crianças...

Projeto social promove descarte correto do óleo de cozinha em Jaguariaíva (PR)

No município de Jaguariaíva, no interior do Paraná, um projeto de coleta e reciclagem do óleo de cozinha caseiro tem motivado e conscientizado a população...

Shopping de Aracaju presenteia família com ingressos do Toy Story 4 após ouvir história tocante

Sem nenhuma pretensão de que aquilo fosse dar certo, Enzor Caio fez um comentário em uma publicação da página do Shopping Jardins no Facebook....

Projeto leva aulas de robótica e programação a alunos de escola pública na periferia de SP

Quando a gente pensa em aulas de robótica e programação, a associação com colégios particulares é quase imediata. De fato, não é uma impressão...

Instagram

Coletivo promove ações sociais com foco em mulheres negras em situação de rua 6