Coletora recebe ajuda para filhos estudarem Medicina em universidades federais

A coletora de materiais recicláveis Maria Aparecida, 41 anos, é só alegria! Os dois filhos mais velhos dela foram aprovados no curso de Medicina em universidades federais!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Ainda está caindo a minha ficha. Estou muito feliz. A gente sabe da grandeza de Deus, mas não sabe o tamanho”, disse.

Mas Maria passou dias bastante difíceis antes de receber a melhor notícia da sua vida.

No ano passado, ela travou uma batalha contra o câncer. Maria teve que se afastar do trabalho e, sem essa renda, a situação financeira da família piorou.

coletoras de reciclaveis assaltada recebe doações para filhos medicina

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nesse meio-tempo, a coletora sofreu um assalto à mão armada praticado por dois homens em uma motocicleta. Os criminosos a arrastaram pelo asfalto e atiraram contra ela, sendo que um dos tiros atingiu Maria de raspão na cabeça.

Levaram dinheiro, documentos pessoais e o aparelho celular da mulher. Após a divulgação da história, a coletora recebeu uma série de doações e compensações financeiras.

“Vai ajudar demais. Até o final deste ano o dinheiro vai dar, depois Deus proverá”, diz ela, sempre alicerçada nos fundamentos de sua fé.

Com o passar dos dias, mais doações chegaram, desta vez, para os filhos de Maria Aparecida: Moisés, 22 anos, e Milene, 19 anos, que foram aprovados no curso de Medicina das Universidades Federais de Goiás e do Tocantins, respectivamente.

coletoras de reciclaveis assaltada recebe doações para filhos medicina

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Profissionais da área jurídica também ofereceram ajuda para Maria conseguir o Auxílio Doença da Previdência Social.

“Eu agradeço demais a todas estas pessoas. Não tenho nem palavras. Sei que Deus vai retribuir a cada uma”, crê.

Você pode fazer uma doação para Maria Aparecida via depósito bancário. O banco é Caixa Econômica Federal, Agência 0013, Conta Poupança 00131833-3, CPF 905.432.461-91.

Relembre a história da Raíssa, filha de uma empregada doméstica e também aprovada em Medicina em uma universidade federal.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

[Nota de Redação]

O seu Zezinho tem 68 anos e nunca foi à escola. Ele queria muito aprender o alfabeto e finalmente poder escrever o próprio nome. Gentil toda vida, uma professorinha de 9 anos começou a ensinar o vendedor de picolé a ler e escrever.

[Ajude um jovem que montou uma escola no interior do Tocantins com materiais de um lixão para crianças carentes a construir uma escola de alvenaria. Clique aqui e doe.]

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: O Popular/Fotos: Reprodução/O Popular

Quer ver a sua pauta aqui? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,067,715SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Com apoio de internautas, pais arrecadam 12 milhões para tratamento da filha que tem AME

Genteeee, a campanha para comprar a medicação que Marina precisa arrecadou R$ 12 milhões! A pequena tem AME (Atrofia Muscular Espinhal) e vive em...

Projeto conserta brinquedos de estudantes e doa para crianças carentes

O projeto atende crianças de projetos sociais, em Itararé, no interior de São Paulo.

Funcionários raspam cabeça em solidariedade à colega de trabalho que luta contra o câncer

Os funcionários da Casa da Lavoura de Jaru, em Rondônia, especializada em produtos agropecuários, rasparam a cabeça em solidariedade à colega de trabalho Lorena...

Instagram

Coletora recebe ajuda para filhos estudarem Medicina em universidades federais 2