Com ouro nas Paralimpíadas, atleta indiano sai da extrema pobreza e muda sua vida para sempre

Como é bom colocar a cabeça no travesseiro e dormir confortável todas as noites. Para o atleta indiano Mariyappan Thangavelu essa realidade demorou a acontecer. Isso porque até o ano passado, o jovem de 21 anos nunca havia dormido em uma cama por conta de suas condições financeiras. Conquistando a medalha de ouro nas Paralimpíadas Rio 2016, ele mudou seu destino com o prêmio de, aproximadamente, R$ 367,5 mil.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com o primeiro lugar na prova do salto em altura classe T42 – que garantiu a terceira medalha de ouro da história paralímpica de seu país -, o indiano caminha rumo a novas vitórias no esporte e na vida pessoal. “Ele é extremamente pobre, e financeiramente essa medalha muda a vida dele para sempre. Estou tão orgulhosa dele!”, contou a companheira de equipe Bhati Varun Singh ao site oficial Rio 2016.

mariyappan-thangavelu

O atleta cresceu na vila de Periyavadagampatti, em Tamil Nadu, região sudeste da Índia, onde vive sua mãe e seus dois irmãos numa casa humilde que é menor do que o quarto que teve na vila olímpica. Quando era criança, sofreu um acidente que o deixou com uma deficiência permanente: um ônibus esmagou sua perna direita, deixando a parte abaixo do joelho atrofiada, o que impediu seu desenvolvimento. A família ainda tem uma dívida para quitar por conta de seu tratamento, feito a mais de 10 anos atrás.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mariyappan-thangavelu5

+Monitore sua saúde com um app que ajuda a controlar a propagação de doenças

Apaixonado por esporte, jogava vôlei na escola até que um professor sugeriu o salto em altura. Aos 14 anos já veio um grande feito na vida de Thangavelu, o segundo lugar numa competição com atletas sem deficiência. “Não me vejo diferente destas pessoas. No começo, meus colegas não acreditaram que eu poderia fazê-lo, mas uma vez eu fiz esse primeiro salto, todos se animaram. Depois daquele dia, um monte de gente veio me apoiar”, contou.

mariyappan-thangavelu4

Depois dos Jogos, ele ainda afirma que quer encontrar um bom trabalho e cuidar da mãe. E vai continuar treinando para Tóquio 2020, onde pretende se aposentar pois logo depois irá amputar o pé prejudicado pelo acidente. Segundo Satyanarayana, seu treinador, é neste ano que o atleta completa 25 anos, indicando que está na hora de marcar seu casamento, seguindo tradições indianas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mariyappan-thangavelu3

Foto: REUTERS/Jason Cairnduff
Foto: REUTERS/Jason Cairnduff

Fotos via

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,763SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Instituto orienta pessoas e empresas a investirem em ONGs

O assédio ao investimento no Terceiro Setor pelos mais diversos meios é uma realidade no Brasil. Porém, nos últimos anos criou-se um clima de frustração...

Engenheira cria potes de comida retornáveis para reduzir lixo no delivery

Consternada com o desperdício enorme de embalagens usadas pelos aplicativos de entrega de comida a domicílio, uma engenheira de produção brasileira criou um projeto...

Professora começa a usar lenço para incentivar aluna com um tipo de câncer de pele

O site Rede Sul de Notícias publicou recentemente uma história incrível, que resolvemos publicar na íntegra, vejam: Uma professora do Centro Municipal de Educação Infantil...

Jovem adota filhote surdo e lhe ensina a língua de sinais para brincar com ele

Um cãozinho chamado Emerson foi covardemente abandonado por um dono que não o queria ter por perto. Ele nasceu completamente surdo, com limitações na...

Instagram