Com R$ 5.000 e cansados de esperar, moradores constroem ponte orçada em R$ 270 mil

Por duas décadas, os moradores dos bairros da Nova Esperança e São Luiz, em Barra Mansa, no Rio de Janeiro, aguardaram a prefeitura contruir a ponte ligando os dois locais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Há um mês, as pessoas da região resolveram elas mesmas se mobilizar e resolver o problema. Cerca de cem moradores se uniram tanto para arrecadar o valor, de R$5000, quanto os materiais de construção e, por fim, construir a ponte de 24 metros.

Detalhe, a prefeitura havia orçado esta obra em R$ 270 mil. Além deste absurdo, os moradores não levaram nem um mês para finalizar a ponte de três pilares. O trabalho dos moradores acontecia apenas aos sábados e domingos, ou seja, foram necessários, na realidade, oito dias de trabalho para construí-la.

A iniciativa partiu das donas de casa Juracy da Conceição e Manoelina dos Santos, pois apenas um dos bairros conta com posto de saúde para atendimento médico e retirada de remédios. E sem esta travessia, era preciso caminhar cerca de dois quilômetros.

“Eu moro neste bairro há 49 anos. Sempre tivemos que improvisar com pedaços de madeira para atravessar o riacho. O problema é que ficava muito frágil e perigoso”, lembra Manoelina, 72, em entrevista ao UOL. “Quando a chuva vinha, destruía tudo, porque o nível da água subia muito. Não dava nem para visitar os amigos ou ir à igreja, que também fica do outro lado.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Quem tinha dinheiro ajudou com dinheiro. Quem não tinha ajudou com mão de obra. A gente brinca por aqui que foi a obra do cadinho”, diz o comerciante Adalto José Soares, 52, e filho de Manoelina. “Cadinho de um, cadinho de outro. Arregaçamos as mangas, porque se tivéssemos esperando pela prefeitura estaríamos sem a ponte até agora.”

“Fizemos a ponte com três pilares, com três metros de profundidade cada um. É toda de concreto e ferro, bem segura. Desde 2014, a prefeitura só nos dizia que não tinha como fazer a obra, porque não tinha verba, faltava dinheiro, o país estava em crise”, afirma Soares. “E nós conseguimos deixar tudo pronto em apenas um mês. Brincadeira, né?”

Em nota oficial, a Susesp (Superintendências de Obras e Serviços Públicos de Barra Mansa) explicou que, “como foi feita sem o aval da prefeitura, não tem como garantir que houve um projeto elaborado com um cálculo estrutural eficiente, prevendo, por exemplo, a variação do nível do rio, a incidência de arraste de objetos pela correnteza e especificação de materiais condizentes com o projeto. Também não foram observadas normas para a acessibilidade”.

Fonte: Notícias Uol

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,562,901SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem evita assédio de jovem no metrô com atitude simples e vídeo viraliza

Ao perceber que um homem mal-intencionado estava tentando gravar as partes íntimas de uma jovem no metrô, um senhor de idade se levantou e...

Projeto de agente penitenciário transforma a vida de filhos de detentos com o basquete

É na quadra que um agente penitenciário e ex-jogador transforma a vida de filhos de pais que estão na cadeia, assim surgiu o Adote...

Prefeitura dará 50% de desconto no IPTU a morador que adotar animal abandonado

A Prefeitura de Quinta do Sol, município de 5 mil habitantes no interior do Paraná, sancionou um projeto de lei que prevê um desconto...

Uma criança cega de 4 anos aprendendo a usar sua bengala sozinho

Este rapaz corajoso é Gavin. Gavin tem 4 anos de idade e nasceu completamente cego, o que significa que, como criança, ele tem que...

Instagram