Comerciante do ES encontra envelope com dinheiro e guarda por 2 meses até achar o dono

Luiz Bevitori, 77 anos, tem uma pequena loja de produtos artesanais no Mercado Municipal de Nova Venécia (ES). Ele encontrou um envelope com dinheiro em seu comércio e, depois de 60 dias, conseguiu devolver para o dono!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

comerciante Luiz
Luiz já tem sua loja há 40 anos no mercado da cidade. | Reprodução: A Gazeta

O dinheiro é de Geumar Gonçalves, que mora em Pedro Canário (ES) e foi até Nova Venécia há cerca de dois meses para matricular o filho em uma universidade local.

Aproveitei e fui à loja desse senhor, comprei dois queijos, paguei e, ao chegar em casa, notei que perdi todo o meu dinheiro sem saber onde. Assim que iniciou a pandemia, retornei a Nova Venécia para cancelar a matrícula e aproveitei para ir à loja para comprar queijo. Ele me perguntou se eu já tinha comprado na loja dele, eu demorei um pouco para responder, pois já tinham se passado 60 dias, mas lembrei e respondi que sim”, comenta Geumar.

E foi quando Luiz teve certeza que era o cliente que tinha perdido o envelope. Na época, como ele não conseguiu encontrar Geumar para devolver o dinheiro, anotou algumas características físicas do cliente em um papel e guardou junto com o envelope.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Desempregada acha dinheiro do Bolsa Família na rua e vai à pé ao banco devolver à dona

Luiz disse que não faz ideia do valor que tinha dentro do envelope. “Vi que tinha dinheiro, não mexi, nem sei quanto era, pois não contei”, completou.

Quando Geumar retornou na loja, Luiz conta que lembrou dele, mas não tinha certeza. “Questionei se quando esteve aqui havia perdido alguma coisa. Ele disse que perdeu um envelope com todo o seu dinheiro dentro”, diz o comerciante.

Leia também: Manobrista encontra carteira de idoso com R$ 1,5 mil e devolve o dinheiro

Geumar fez questão de compartilhar essa história maravilhosa no Facebook e viralizou!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 O comerciante não esperava que a sua história fosse se espalhar tanto nas redes sociais, já que ele faz isso com muita naturalidade. Ele conta que nesses 40 anos que trabalha no mercado, já passou por outras situações semelhantes.

“Já tive outra devolução de dinheiro, que chegou a R$ 900,00, de objetos, de celular. É uma coisa que estou acostumado a fazer”. Luiz conta que se sente muito feliz em ser um exemplo de honestidade para outras pessoas.

A gente fica muito feliz de poder contar histórias de pessoas honestas e do bem, como a do Luiz! Parabéns pela atitude!

Veja também:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

FONTE: A Gazeta

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,415,745SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

A tecnologia a favor dos surdos e deficientes auditivos

Imagine um aplicativo que facilita a comunicação entre pessoas surdas e ouvintes. Ou ainda um que ajude pessoas com deficiência auditiva a sentirem todo o prazer de...

Marido veste roupa de bailarina para arrecadar fundos para pesquisa do câncer

Quando a esposa de Bob Carey foi diagnosticada com câncer de mama, ele teve uma ideia maluca. Para muitas famílias, um diagnóstico de câncer...

Com vaquinha do Razões, travesti que foi vítima de transfobia faz tratamento e compra casa para viver melhor

Lembram da Cibelly, gente? Ela é travesti e foi vitima transfobia no carnaval do ano passado, em Belo Horizonte. A Cibelly foi brutalmente agredida...

Campanha de ONG causa polêmica ao falar de carne de cachorro

Nos últimos dias esse vídeo circulou pela internet e polemizando. Em uma ousada e impactante ação, a ONG Ampara Animal  lançou uma campanha  para promover a adoção de animais...

Artista mexicano derrete 1500 armas e transforma em pás para plantar árvores

O artista plástico e ativista mexicano Pedro Reyes decidiu transformar armas recolhidas em pás para plantar árvores. Pedro mora em Culiacán, a cidade do México...

Instagram