Como alternativa à energia elétrica e emissão de CO2, startup cria sistema com bactérias luminosas

Clique e ouça:

Como diminuir o uso de recursos naturais para questões como iluminar vitrines de lojas, fachadas de prédios, monumentos, pontos de ônibus, placas de sinalização  e outros espaços públicos?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A startup francesa Glowee surgiu com uma interessante solução: bactérias luminosas.

“A ideia surgiu após assistirmos a um documentário sobre os peixes das profundezas marinhas que produzem sua própria luz”, disse à BBC Brasil Sandra Rey, cofundadora da empresa.

Para isso, eles utilizaram a bioluminescência, que significa emissão de luz por seres vivos, resultante de uma reação química provocada por um gene, para produzir a iluminação.

O gene de luminescência de lulas é cultivado em uma solução com nutrientes e açúcar para se multiplicar e depois disso as bactérias, não patogênicas e nem tóxicas, recebem o gene.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Por fim, eles são inseridos em um invólucro de resina orgânica, que pode ter várias formas e também são adesivos, permitindo fixá-los em qualquer superfície.

“Não vamos substituir a iluminação pública de ruas porque nossa luz é fraca”, diz Rey, que ressalta ainda que o sistema tem a vantagem ecológica de não utilizar energia elétrica, reduzindo as emissões de CO2.

Por causa de ter uma vida útil de apenas três horas, o sistema luminoso só foi utilizado em eventos menores, festas e algumas instalações.

“Devemos atingir a duração de um mês de iluminação neste ano”, diz Rey.

A iluminação começará a ser utilizada em vitrines de lojas na França a partir do início de 2017, sendo que no país, desde 2013 existe uma lei que proíbe a iluminação de butiques e escritórios à noite, mas com essa alternativa, isso voltará a ser possível aos comerciantes.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Há países na Europa onde a eletricidade é mais cara do que na França. Também queremos equipar áreas remotas em países emergentes, onde há menos recursos”, comenta Rey.

A próxima etapa da Glowee serão as fachadas de prédios e mobiliário urbano a partir de 2018.

O projeto foi premiado pelo polo francês de biotecnologia Genopole, um dos maiores da Europa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

160309024138_glowee_640x360_glowee_nocredit

160309024328_glowee2_640x360_glowee_nocredit

160309024408_glowee3_640x360_glowee_nocredit

160311152741_bacterias_luminosas_640x360_glowee_nocredit

emerging_field_biolumiscence_biotech

maxresdefault

Fonte: BBC

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,078,568FãsCurtir
2,422,376SeguidoresSeguir
20,749SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Confeiteira é humilhada por cobrar taxa de entrega de R$2 e recebe apoio de internautas

A confeiteira Ângela Oliveira foi humilhada por uma cliente que se recusou a pagar a taxa de entrega do seu bolo de pote. Na troca...

Sogro anda de mãos dadas com genro para ajudá-lo a superar medo de sair na rua com o namorado

Fran guarda algumas memórias ruins de um passado recente, quando ele sofreu preconceito por ser homossexual. O jovem foi agredido fisicamente, além de ter passado...

Após humilhação, motoboy ganha mais de R$190 mil em vaquinha, moto nova e é contratado por agência de marketing

Em menos de 24 horas, batemos a meta da vaquinha na VOAA para ajudar o motoboy Matheus a dar a volta por cima, depois...

Vaquinha para motoboy humilhado bate mais de R$100 mil em menos de 24h

Todo mundo acordou ontem precisando engolir a seco a história do Matheus Pires, de Valinho (SP). Vivemos em um país onde ainda há muita indiferença...

Homem raspa cabelo da namorada com alopecia, depois o seu também e ela não aguenta a emoção

Quando a gente escuta que amar não tem limites, a gente fala de gestos como o de Damien! Ele namora Eva Barilaro e, recentemente, os...

Instagram

Como alternativa à energia elétrica e emissão de CO2, startup cria sistema com bactérias luminosas 14