Como vivem as mulheres na Islândia, o país mais igualitário do mundo

Quando você pensa em um país mais igualitário do mundo, você imagina em quais aspectos?

A jornalista freelancer brasileira, Beatriz Portugal, vive nessa ilha no topo do Atlântico Norte, que é considerada há seis anos consecutivos o melhor país para as mulheres, ou seja, o país mais igualitário do mundo, segundo o ranking anual do Fórum Econômico Mundial. Conheçam a Islândia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas na prática, o que realmente isso quer dizer?

Segundo Beatriz,  isso quer dizer que é o local com a menor disparidade entre homens e mulheres em relação ao acesso a educação e saúde, nível de remuneração e à atuação na vida política do país. Ou seja, as mesmas oportunidades e mesmo direitos entre homens e mulheres.

Islândia é o país mais igualitário do mundo

Na época em que escreveu sobre a experiência, nessa realidade diferente do seu país natal, estava por lá há apenas seis meses, mas o suficiente para ficar boquiaberta com o que presenciou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“De início pensei que ser mulher aqui é praticamente igual a ser mulher no Brasil e nos outros países em que já vivi – todos países ocidentais – mas ao me aprofundar no questionamento, alguns aspectos saltaram aos olhos, a começar por um tema tido como um dos mais femininos possíveis: a maternidade”, escreveu.

Na Islândia, mãe e pai têm os mesmo direitos. Ganha-se uma licença de nove meses ao todo, três meses para a mãe, três meses para o pai e outros três que podem ser usados e divididos entre eles como bem entenderem.

“Essa regra além de dar valor igual a mães e pais desde o início traz uma vantagem a mais, a de que as mulheres deixam de ser um fator de risco por causa da maternidade. Caso uma empresa considere o risco de contratar uma mulher, terá de encarar o fato de que o homem apresenta o mesmo risco, ainda mais quando um pai que não usufrui de sua licença paternidade é tido como irresponsável e acaba mal visto pela sociedade”, explica.

Islândia é o país mais igualitário do mundo

Outro ponto relevante que lhe faz ter o título de país mais igualitário do mundo é que 88% das mulheres em idade economicamente ativa trabalham, a mais alta taxa de participação feminina no mercado de trabalho do mundo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Metade do gabinete é ocupado por mulheres, além de 43% das cadeiras no Parlamento. O país teve a primeira mulher chefe de Estado eleita democraticamente no mundo (ela era também uma mãe solteira), e conta também com o feito de ter tido a primeira mulher primeira-ministra assumidamente gay do mundo.”

Para Beatriz, o único aspecto que ainda deixa a desejar é a disparidade salarial. Em média, os homens ainda ganham 10% a mais do que as mulheres.

“A Islândia é um lugar onde as mulheres não precisam ser como os homens para conseguirem estar em pé de igualdade. Aqui, elas podem ser mulheres do jeito que desejarem ser”, encerra.

[via]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,562,901SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Desempregado investe seus únicos R$ 300 em pudins, é roubado e negócio decola após desabafo na web

Quando muita gente não acreditava no Jonas, ele acreditou e sua sorte virou! Jonas é o convidado do 16º episódio do Cafezoom, mas não...

Nintendo leva jogos para crianças hospitalizadas e ajuda a amenizar internação

Ficar hospitalizado não é nada divertido. Quando se é uma criança, passar dias 'preso' em um quarto é pra lá de cansativo. Só que...

Papa Francisco pede para ‘respirarmos’ notícias boas

O Papa Francisco divulgou uma bela mensagem na última sexta-feira (24) para comemorar o Dia Mundial das Comunicações, em memória de São Francisco de...

[VÍDEO] Pai durão se derrama em lágrimas quando enteada pede que ele a adote

Micah não é de se emocionar... ou não era! Heather Cole conta que o marido mantém sempre o ar mais sério para todos, mas quando...

Vovó atleta! Ela tem 85 anos e bateu vários recordes no salto com vara

Florence Filion Meile, a "Flo", já acumula quase 800 medalhas no salto com vara. Ela ostenta com muito orgulho cada um dos seus títulos...

Instagram