Cientistas descobrem composto que reverte principal causa da Esclerose Lateral Amiotrófica, a ELA

A cura para a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) nunca esteve tão próxima. É o que permite dizer a recente descoberta de cientistas da Northwestern University, em Illinois (EUA). Um composto que reverte a degeneração dos neurônios motores superiores.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na ELA, tanto as células nervosas que iniciam o movimento no cérebro – os neurônios motores superiores -, quanto as células que controlam os músculos, na medula espinhal – os neurônios motores inferiores – morrem, resultando em paralisia gradual e morte precoce do paciente, devido à perda de capacidades como respirar e engolir.

Até o momento, não existe tratamento para o componente cerebral da ELA e nenhum medicamento para a Paraplegia Espástica Hereditária (HSP) e Esclerose Lateral Primária (ELP), condições também causadas pela degeneração neuronal.

Principal autora do estudo, Hande Ozdinler, professora associada de neurologia da Escola de Medicina Feinberg da Northwestern University, comentou:

“Embora os neurônios motores superiores sejam responsáveis ​​pela iniciação e modulação do movimento, e sua degeneração seja um evento precoce na ELA, até agora não houve opção de tratamento para melhorar sua saúde”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O estudo foi publicado na Clinical and Translational Medicine.

Agindo na raiz do problema

A esperança para pacientes com ELA está em um composto batizado de NU-9, desenvolvido pelo cientista Richard Silverman em laboratório.

“Estou muito animado para descobrir se nossa hipótese de que a estabilização dos neurônios motores superiores em camundongos se traduzirá em humanos”, afirmou o professor Silverman.

O composto é endereçado a dois dos principais fatores que fazem com que os neurônios superiores fiquem doentes: proteínas mal dobradas e a aglomeração de proteínas dentro da célula. As proteínas se dobram de uma maneira única para funcionar e, quando se dobram incorretamente, tornam-se tóxicas para o neurônio.

autores estudo componente reverte causa ELA
Hande Ozdinler e Richard Silverman. Foto: Northwestern University

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Revertendo danos aos neurônios

Depois de administrar o NU-9 em camundongos, os cientistas descobriram que os neurônios pararam de degenerar e aqueles que estavam doentes se tornaram semelhantes aos neurônios saudáveis, após 60 dias de tratamento.

“A melhora da saúde dos neurônios cerebrais é importante para a ELA e outras doenças do neurônio motor”, completou Ozdinler. A pesquisadora e sua equipe completarão estudos toxicológicos e farmacocinéticos mais detalhados antes de iniciar um ensaio clínico de Fase 1.

Fonte: Health Europa
Foto de capa: iStock/koto_feja


Já viu o primeiro episódio do Razões na África? Dá o play!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,413,626SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Atendente do McDonald’s ‘recria’ sorvete para menino autista que estava sem dormir

Como um pequeno gesto muda tudo, né? Matheus é autista e não estava tendo dias muito bons. Tudo mudou depois que tomou o sorvete...

Desconhecidos ajudam pai e filho que dormiam em areia fria da praia com vaquinha (CE)

Pai e filho dormiam debaixo de uma tenda de palha na praia e passavam muito frio e fome, sem nenhumas condições de higiene e conforto.

Fotógrafa retrata raposas selvagens em raros momentos de relaxamento total

Roeselien Raimond é uma fotógrafa holandesa de natureza que se especializou em tirar belas imagens de raposas selvagens. Ela busca através de seus registros mostrar o...

Tatuadora resgata a autoestima de mulheres sobreviventes do câncer

Às vezes a vida nos prega peças que, de início, nos fazem titubear em busca de respostas. Foi num acaso do destino que a...

Mãe cria vaquinha para comprar remédios furtados da mochila de filho autista

A dona de casa Cynthia Ribeiro, 46 anos, perdeu a mochila com os remédos do filho autista no caminho para uma consulta médica. Após uma...

Instagram