Confeiteira cria curso gratuito para profissionalizar mães desempregadas em comunidade carente

A confeiteira Cida Guilherme é uma super parceira das mães desempregadas do Jardim Conquista, em São Paulo (SP). Para ajudá-las, ela criou um curso gratuito para que essas mulheres tenham uma fonte de renda.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Eu presenciava as pessoas do bairro reclamando da falta de emprego, principalmente as mães”, disse.

Então, certo dia, uma mãe desabafou com ela sobre o sonho de aprender a fazer salgados e bolos para completar a renda da família, mas que um curso desse era muito caro.

“Orei e pedi direção a Deus para dar início a esse projeto e deu certo”, conta.

“Eu presenciava as pessoas do bairro reclamando da falta de emprego, principalmente as mães”. Foto: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O legal é que para as mamães que não têm com quem deixar os pequenos, não tem problema. Eles também podem participar e aprender!

“Cerca de 25 mamães estão confirmadas. Inclusive, já pedi uma faixa para pôr na escola convidando elas.”

Relacionado: Noiva visita amiga internada em hospital 1 hora antes do seu casamento

O curso é realizado uma vez na semana, durante a tarde. Quando não está no curso, a Cida arrecada roupas para as famílias carentes do bairro. Que mulher, gente!

Mães podem levar filhos às aulas. Foto: Arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foto: Arquivo pessoal

O curso é a possibilidade de uma fonte de renda para mães desempregadas. Foto: Arquivo pessoal

Propósito de vida após ela voltar de um coma de 15 dias

Antes desse trabalho com as mães, a Cida já realizava, mesmo com muitas dificuldades, um trabalho lindo com as crianças do bairro: o Confeiteiros Mirins.

No final de 2018, ela sofreu três paradas cardiorrespiratórias, ficando em coma durante 15 dias.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionado: Voluntária leva aulas de Yoga para mulheres da periferia de São Paulo e eleva autoestima

“Quando acordei do coma, fiz um propósito com Deus que eu iria me dedicar a passar tudo que eu sei para crianças carentes. Então, quando saí do hospital, já comecei pôr em prática meu sonho de dar aulas às crianças”, relembra.

Crianças do projeto Confeiteiros Mirins. Foto: Arquivo pessoal

Foto: Arquivo pessoal

Hoje, ela está atendendo mais de 200 crianças e foi através delas que conheceu a situação das mães. 

“Muitas crianças vêm para aula na certeza que terá um lanche. Eu monto as mesas com tudo que fizemos e eles comem e também levam pra casa. Sem falar que eu já deixo um bolo de 10 quilos prontinho só esperando eles chegarem para lanchar”, destaca.

Que incrível, Cida! Você é demais, mulher! ❤

[A história da Cida e tantas outras de mulheres que ajudam mulheres fazem parte de um canal especial do Razões para Acreditar e O Boticário, para mostrar que #SomosFeitasDeTodas. Acesse mais histórias como essa aqui.]

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,843,411SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Imagens de sofrimento deixam de ser foco em campanhas de doação no Brasil

“Resolvemos tirar o foco do sofrimento que essas pessoas passam para dar mais ênfase ao impacto positivo que uma doação eficiente causa”, explica Rafael Rodeiro, CEO da startup Ribon.

A cada hambúrguer vendido, essa hamburgueria complementa uma refeição para quem precisa

A hamburgueria Doug’s fechou uma parceria bem legal com a ONG Banco de Alimentos. A cada hambúrguer vendido, a hamburgueria complementa uma refeição para pessoas...

Cachorro vira melhor amigo de menino autista sensível a pelos

Luiz é autista e não tem uma boa relação com os animais por conta de sua alta sensibilidade aos pelos. No entanto, curiosamente, o menino...

Biblioteca de SP concorre a prêmio de melhor biblioteca pública do ano

A Biblioteca Parque Villa-Lobos é uma das cinco finalistas do prêmio internacional de melhor biblioteca pública de 2018.

Trigêmeas passam juntas em medicina motivadas pela perda do pai para o câncer

Para a surpresa de amigos e familiares, as trigêmeas Maria Eduarda, Maria Gabriela e Maria Fernanda Guimarães Cordes foram aprovadas, juntas, no vestibular para...

Instagram