Após vaquinha, confeiteiras que foram humilhadas retribuem ajuda criando curso gratuito para profissionalizar outras mulheres

Duas confeiteiras humilhadas de diferentes formas, mas que deram a volta por cima com uma rede de solidariedade linda de se ver e que resolveram retribuir toda a ajuda recebida!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A primeira é a Cida Guilherme, de São Paulo, que doou um bolo de aniversário e foi humilhada pela mãe da criança: disse que o bolo era “pequeno demais”.

Ficamos muito tocados com o desabafo da Cida, uma mulher guerreira e com um coração do tamanho do mundo!

Após o episódio, Cida recebeu apoio de quem ela nunca viu nada vida! Também lançamos sua vaquinha na VOAA, para Cida manter suas de confeitaria para crianças carentes e mães desempregadas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foto: Arquivo pessoal

Alunos do projeto “Confeiteiros Mirins”. Foto: Arquivo pessoal

Ela ainda cozinhou para dezenas de famílias que moram em uma ocupação e perderam tudo num incêndio devastador.

[Marcela está desempregada e recebeu mensagens racistas e gordofóbicas de “profissional” de RH. Ela precisa da nossa ajuda para manter o sustento de casa até que consiga uma oportunidade de emprego. Clique aqui e contribua com a sua vaquinha da Voaa!]

A história da Ângela, de Marília, não é muito diferente. Iniciando seu negócio de venda de bolos de pote, Ângela foi humilhada por uma cliente que se recusou a pagar a taxa de entrega de R$ 2.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Também lançamos uma vaquinha na VOAA para Ângela impulsionar suas vendas e advinha? Em pouco tempo, as vendas triplicaram. Mas como Cida, Ângela não pensa somente nela.

Ela também criou um curso para ajudar outras mulheres a terem uma renda!

“Foi a forma que achei de levar a corrente do bem que me alcançou em frente e abençoar outras vidas”, disse a confeiteira.

Ângela conta que depois da história viralizar, muitas mulheres entraram em contato com ela, para saber como foi superar um relacionamento abusivo de 10 anos.

Foi na confeitaria que Ângela conseguiu se reerguer. Agora, ela quer ajudar outras mulheres a romperem esse ciclo ensinando tudo o que sabe.

Razões Para Doar 2020

Duas histórias de superação e gentileza que você confere no Razões Para Doar 2020, uma super live de 12h no Facebook e YouTube (inscreva-se e ative as notificações!), dia 1º de dezembro, das 10h às 22h, para incentivar a cultura de doação. A gente se encontra lá! 😉

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,822,141SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Gato que foi salvo de incêndio agora cuida de outros animais em hospital veterinário

Há algumas semanas, publicamos a história maravilhosa de um gato resgatado que se transformou em enfermeiro de outros animais na Polônia, relembre aqui. Pois uma...

Dono de bar e clientes se unem para ajudar vendedor de amendoim que perdeu renda

Toda cidade tem suas noitadas e elas sempre têm aqueles vendedores ambulantes que já são conhecidos dos festeiros e frequentadores de bares. Mas como...

Criança desenvolve síndrome rara com Covid-19, recebe apoio e se recupera milagrosamente

A história de José Neto é uma razão para sempre acreditarmos. Depois de passar vários dias internado, de desenvolver uma inflamação em todo o...

Mãe com filho autista e dois filhos adotivos com deficiência adota terceira criança especial

Num dizem que coração de mãe sempre cabe mais um? Pois o peito de Arely Vieira, de 37 anos, tem um cantinho exclusivo para...

Judoca Rafaela Silva vence racismo, pobreza e conquista medalha de ouro para o Brasil!

A carioca Rafaela Silva tem 24 anos e foi a primeira brasileira a conquistar o título mundial de judô. Mas o sucesso para Rafaela veio com...

Instagram