Garoto de 13 anos reúne 2 mil cordéis e cria ‘cordelteca’ em Bauru (SP)

Clique e ouça:

Desde os cinco anos de idade, após assistir ‘Lampião, o Rei do Cangaço’ (1964), Pedro Popoff nutre interesse e admiração pela cultura nordestina. Daquele encontro em diante, ele começou a desbravar as diferentes manifestações artísticas do Nordeste brasileiro, principalmente o cordel.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje com 13 anos, Pedro, que vive em Bauru, no interior paulista, ajuda a divulgar a cultura nordestina em sua escola e já recebeu muitas doações de cordéis. Boa parte vinda de autores!

Em 2017, Pedro começou a planejar a criação de uma biblioteca específica para obras de literatura de cordel e em abril de 2019, aos 13 anos, conseguiu realizar este sonho. Para isso, ele contou com o apoio de poetas e academias especializadas.

Adolescente reúne dois mil cordéis e cria 'cordelteca' SP

‘Cordelteca’

A cordelteca foi batizada de Gonçalo Ferreira da Silva, em homenagem a um poeta de Ipu, no Ceará, conhecido por ser um dos fundadores da Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também:

O adolescente ficou conhecido na região, sendo chamado de Pedro do Cordel, especialmente por usar roupas características e acessórios típicos do sertão. Ao lado dos pais, ele desenvolveu o projeto Brincando de Cordel, onde visita escolas e participa de eventos para falar sobre a cultura nordestina.

Para inaugurar a cordelteca, Pedro fez uma vaquinha virtual, conseguindo arrecadar pouco menos da metade do valor necessário para reformar o espaço. Trocou então o presente de aniversário pelo restante em dinheiro necessário para concluir a reforma, com o apoio dos pais. Além disso, recebeu contribuições de familiares e de alguns empresários.

Pedro já conseguiu reunir cerca de 2 mil obras através de doações de diversos artistas.

Adolescente reúne dois mil cordéis e cria 'cordelteca' SP

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além do acervo literário, a cordelteca conta com objetos de origem nordestina, como uma coleção de chapéus e um gibão doado pelo poeta Chico Neto Vaqueiro, de Fortaleza (CE).

A cordelteca está localizada na Rua Treze de Maio, 12-45, na região central de Bauru. Fica aberta de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h; aos sábados, das 9h às 13h. Visitas monitoradas devem ser agendadas pelo telefone (14) 99731-5676.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Folha/Fotos: Jaime Prado/Divulgação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,050,303FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
17,184SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem com deficiência humilhado por atraso de salgados se surpreende com apoio: “o telefone não para”

Coisa mais linda essa corrente de solidariedade, o Rafael tá sem acreditar! Rafael foi humilhado por um cliente que não aceitou o atraso da sua...

Cãozinho é reprovado em treinamentos da polícia por ser ‘dócil demais’

E essa carinha de: "Alguém brinca comigo, por favor!"?

Vendedor de salgados é humilhado e recebe ajuda de vaquinha que bate R$70 mil em 24h

Rafael, que só tem uma das mãos, foi humilhado por cliente que não aceitou o atraso da sua encomenda de salgados.

“Eu quito!”, diz Tatá Werneck para seguidora que desabafou sobre dívidas na pandemia

A Tatá Weneck se ofereceu para pagar as dívidas de uma seguidora depois que ela postou um meme no seu Instagram. O meme é uma...

Jovem ‘zombada’ por vender sacos de lixo para ajudar a mãe não abaixa a cabeça

A estudante de enfermagem Clara Soares, 18 anos, vende sacos de lixo e panos de chão em Ceilândia (DF) para ajudar a mãe. Enquanto batia...

Instagram

Garoto de 13 anos reúne 2 mil cordéis e cria 'cordelteca' em Bauru (SP) 13