Equipe de hospital no Ceará lê cartinhas de incentivo dos pais para seus bebês internados em UTI neonatal

Nem sempre recém-nascidos podem ficar ao lado de seus pais e precisam ser levados, em casos mais sérios, para incubadoras em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva). Pensando na angustia da família, a equipe do Hospital Infantil Albert Sabin, em Fortaleza (CE), passou a ler cartas enviadas pelos pais para seus bebês internados.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Batizada de Correio do Bebê, a ideia é aproximar os familiares e os pequenos, mesmo que por uma simples mensagem de incentivo. Além da leitura feita pelos médicos, as cartas são impressas e coladas do lado de fora das incubadoras.

“Mamãe e papai estão aqui orando por você. Que Jesus venha lhe abençoar, cuidar de ti, para que logo logo você venha para os nossos braços. Vontade grande de te pegar! Deus te abençoe, minha pequena, e abençoe todas as crianças que estão aí”, diz o recadinho de Regina Santiago, mãe da pequena Ruth Emmanuelle.

mãe segura mão filha incubadora
Regina com sua pequena Ruth depois que ela saiu da UTI. Foto: reprodução/Secretaria de Saúde do Ceará

Dias após enviar a mensagem, Regina pôde, finalmente, voltar a segurar sua bebê. Para a mamãe, a oportunidade de se aproximar de sua filha, mesmo que naquele momento apenas através de uma cartinha, foi um grande alento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sem contar a videochamada realizada por um projeto social parceiro da ação, na qual a família dos recém-nascidos não só conseguem ver as cartinhas coladas nas incubadoras, como acompanhar a leitura das mensagens.

“No dia da chamada, eu senti uma sensação muito feliz e minha família também. Nós ficamos muito felizes e nos emocionamos bastante. Foi um alívio no meu coração, porque, desde o dia que ela saiu de perto de mim, passavam mil e uma coisas pela minha cabeça.”

Ideia do projeto partiu de grupo no WhatsApp

Mãe segurando mão de bebê recém-nascido
Contato entre pais e filhos ficam limitado durante período na UTI. Foto: reprodução/Secretaria de Saúde do Ceará

A assistente social do Hospital Infantil Albert Sabin, Suziane Fabrício, foi uma das idealizadoras da ideia. Sua grande inspiração foi um grupo de WhatsApp das mães que tinham bebês internados na UTI.

“Eu observava a troca de mensagens entre elas, mensagem de apoio, recados para os bebês e, quando vi o grupo, pensei que seria muito interessante pegar essas mensagens, imprimi-las e colocá-las nos bercinhos dos bebês“, explicou a assistente social.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A psicóloga Clara Arruda, que também dá apoio ao projeto, afirma que esta ação reforça os vínculos familiares, mas também aumenta a conexão com a equipe de médicos da unidade.

“A equipe tem a oportunidade de conhecer quem é aquela família, quem é aquele bebê dentro daquela família. Essa é uma forma de fortalecer essa relação que existe entre a equipe, a família e o bebê.”

Uma ação simples, fácil de ser realizada, mas que tem uma tremenda importância para todos os envolvidos nas batalhas pela saúde de uma nova vida. 👏😍


Quer conhecer mais histórias inspiradoras? Dá o play!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,822,141SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Policiais escoltam filho de detetive que faleceu até a escola para seu 1º dia de aula

Policiais do Gabinete do Xerife do Condado de Frio, no Texas (EUA), fizeram questão de levar um garotinho até a escola, em seu primeiro...

Garoto de 5 anos faz live de meditação e arrecada US$ 29 mil para brinquedos de Natal de crianças carentes

As crianças do Brooklyn, Nova Iorque (EUA), tiveram um Natal cheio de presentes esse ano e o responsável pela boa ação foi o pequeno...

Após vaquinha, confeiteiras que foram humilhadas retribuem ajuda criando curso gratuito para profissionalizar outras mulheres

Duas confeiteiras humilhadas de diferentes formas, mas que deram a volta por cima com uma rede de solidariedade linda de se ver e que...

“Descobri que estava com câncer uma semana antes do casamento, não adiei e hoje estou curado”

“Nasci de novo”. É assim que Gustavo Prata, 26, resume a sua história. Ele conseguiu superar um câncer raro, após transplante de medula óssea...

Instagram