Costureiras e detentas de presídio se unem para fazer uniformes para alunos das escolas do Rio

Detentas da Penitenciária Talavera Bruce em Bangu estão sendo as responsáveis pelos uniformes de diversas escolas da rede municipal do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A iniciativa da prefeitura tem por objetivo incentivar a ressocialização dessas mulheres e indiretamente criar postos de trabalho, já que costureiras de cooperativas advindas de várias comunidades cariocas foram convocadas para também participar da empreitada.

O prefeito da capital fluminense, Marcelo Crivella (PRB-RJ), disse que “a prefeitura está usando o seu poder de compra para fortalecer as cooperativas com mão de obra local. Com isso, cria uma opção de renda para nosso povo trabalhador e impulsiona o desenvolvimento econômico nas áreas mais vulneráveis da cidade”.

Leia tambémCostureira distribui marmitas para familiares de pacientes que esperam em hospital em Curitiba

Com meta inicial de produção de 100 mil camisas, o projeto começou no ano passado. Durante o ano letivo de 2019, estima-se que serão entregues cerca de 1,3 milhão de camisetas para os alunos – duas para cada um.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Todas as unidades produzidas serão inspecionadas por uma empresa independente, que fará o controle de qualidade das camisas.

Costureiras e detentas de presídio se unem para fazer uniformes para alunos das escolas do Rio
Costureiras de cooperativas mostram alguns uniformes feitos por elas. Foto: Jonatha Soares / Prefeitura do Rio

Moradora do Morro da Providência, Marcia Raquel, de 47 anos, aprovou a iniciativa.

“Na cooperativa, eu consigo fazer uma renda e aprender uma nova profissão. Essa chance está abrindo portas. É uma oportunidade de contribuir para que as crianças sejam identificadas quando forem à escola, e nós vamos saber quem fez”, diz orgulhosa.

Leia tambémAmigos reciclam uniformes usados em negócio que empodera costureiras

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ana Beatriz, de 31 anos, e Marcia Alves dos Santos, de 42, até então desempregadas, também comemoraram a oportunidade de trabalho.

“Está todo mundo sem trabalho e precisando de dinheiro. É uma chance de fazer renda”, disse Marcia.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Meia Hora

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,839,477SeguidoresSeguir
24,799SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Comediante mostra como encarou a depressão e ensina como treinar seu cérebro para vencê-la

Segundo Ruby Wax - (comediante e ativista de saúde mental), diagnosticada há dez anos com depressão clínica. Uma em cada quatro pessoas apresenta problemas de...

Projeto vai levar música popular e erudita para crianças de escolas públicas do Rio

Durante os encontros, as crianças poderão conhecer mais os instrumentos musicais, estilos, a influência da música erudita no dia a dia e compositores consagrados, entre outras curiosidades.

Amigos criam site de emprego voltado para transexuais e travestis

Já falamos algumas vezes aqui sobre como é difícil a vida de pessoas trans. O preconceito e a falta de oportunidade são as principais delas. Porém, três...

Dicas para livrar-se das toxinas

Siga algumas regrinhas simples: Olhe para sua língua todas as manhãs, limpe-a e veja se retorna aquela saburra. Decida o quê e quando comer com...

Projeto aumentará oferta de banho e lavagem de roupas para moradores de rua com suporte de OMO

O Projeto Lavanderia foi criado em 2018 pelo Lucas Caldeira Brant. Idealizador do Entrega por SP, Lucas sempre acreditou que poderia fazer mais pela...

Instagram

Costureiras e detentas de presídio se unem para fazer uniformes para alunos das escolas do Rio 3