Criança autista faz amizade com garis e supera medo de interagir com adultos em MG

O pequeno Eduardo Souza Sena, o Dudu, foi diagnosticado com autismo e sempre teve uma certa dificuldade de interagir com adultos. A mãe dele, Diana, conta que o filho sempre se escondia quando um adulto chegava perto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas Dudu, que tem apenas 5 anos, encontrou nos garis que recolhem o lixo em sua rua, uma forma de superar esse medo.

E, então, eles passaram a protagonizar uma das amizades mais lindas que a gente pode ver!

Menino vestido de Gari
Esse é o Dudu! | Reprodução: Google

O caminhão do lixo passa três vezes na semana na cidade de Governador Valadares (MG), onde Dudu mora com os pais. Os garis sempre que passavam em frente a casa dele, brincavam rapidamente, mas o menino se escondia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Aos poucos, ele foi perdendo o medo e respondendo às brincadeiras. Hoje, Dudu já espera os amigos na porta de casa e, inclusive, já ajudou a recolher algumas sacolas.

Parte do time

Um dos garis achou uma forma de deixar Dudu ainda mais feliz. Ele deu de presente para o garoto um uniforme completo, com luvas e boné.

Agora com Dudu se sentindo um gari de verdade, ele não perde uma coleta e sai ajudando os amigos, sempre com a fiscalização da mãe.

Menino com equipe de gari
Dudu agora é parte do time! | Reprodução: Google

A mãe de Dudu conta que o menino sempre teve paixão pela coleta e que agora isso só se concretizou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desde os dois aninhos que ele gosta de caminhão de lixo. Ele ganhou um caminhãozinho de brinquedo e todo o lixo que tinha em casa ele colocava no caminhão. Até que ele começou a juntar os lixos da rua. Sempre que os garis passavam era a maior alegria”, conta.

menino com carrinho de brinquedo
Reprodução: Google

Diana diz ainda que nos dias de coleta, Dudu acorda muito cedo para poder se arrumar em tempo. Ela diz que o filho está sempre feliz com a ideia de poder ajudar os garis. “Antes, ele recolhia só o lixo daqui de casa, mas depois desse presente quer juntar o lixo da rua toda, se sente o próprio gari”, completa.

Leia também: Menina com suspeita de coronavírus cola bilhete fofo em saco de lixo e alerta garis

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Robert Pereira da Silva, 23 anos, é um dos garis e diz que o amor que sente do garotinho é algo que emociona ele.

Quando eu comecei a trabalhar, eu via muita gente que discriminava. Com o tempo, eu fui percebendo que muita gente gosta do nosso trabalho. Tenho bastante orgulho da minha profissão”, comenta Robert.

Os pais perceberam o amor do menino quando ele ainda tinha dois anos e gostava de observar o caminhão de lixo passando na rua pela varanda de casa.

Menino com garis recolhendo lixo
Reprodução: Google

Diana também fala que tem certeza que o filho seguirá essa profissão quando crescer. Ela também conta que não vê problema nisso, já que é um trabalho como todos os outros, mas entende que há o preconceito.

Leia também: Garoto comemora aniversário de 4 anos com garis em Rondonópolis (MT)

Viral

Um vídeo de Dudu ajudando os amigos garis tem viralizado nas redes sociais. E quando a gente viu, entendeu o porquê.

É um momento inocente e muito verdadeiro. Vale muito a pena ver e sorrir um pouquinho!

Mas esse Dudu é um fofo, não é?

[ASSISTA: Segundo episódio do programa do Razões para Acreditar: Era Só  O que Faltava!] 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM





Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,268,037SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Campanha sobre Fibrose Cística conscientiza pessoas usando música sertaneja

O Instituto Unidos Pela Vida e o cantor Danillo Vieira lançaram uma campanha bastante criativa para conscientizar as pessoas sobre a doença e o seu diagnóstico.

Refugiados colocam-se à disposição para auxiliar vítimas de terremoto na Itália

Um grupo de 20 refugiados que vive em Monteprandone, na região de Marcas, partiu para trabalhar como voluntários em Amandola, uma das cidades da...

Menino com síndrome de Down excluído da formatura do colégio ganha sua própria festa

Amigos, vizinhos e familiares de um menino chamado Romeo resolveram fazer uma festa de formatura para o pequeno após sua turma do colégio excluí-lo...

Artesãs reaproveitam fios de eletricidade para fazer lindas biojoias e gerar renda no Ceará

Transformar lixo em biojoias únicas e personalizadas. É exatamente essa “mágica” que um grupo de artesãs cearenses do Grupo Giro Social faz com os...

Estúdio de tatuagem realiza ação em prol de mulheres que venceram o câncer de mama

Um dos maiores e mais renomados estúdios de tatuagem do Brasil, o Leds Tattoo, promove na unidade de Moema em São Paulo, atividades para as mulheres...

Instagram