Criança de 5 anos que perdeu pai para Covid e levou currículo na empresa onde ele trabalhava, ganha vaquinha

Quando seu pai faleceu de Covid-19, o pequeno Murilo, 5, se sentiu na responsabilidade de ser o “homem da casa”. Com a ajuda da mãe, ele fez seu próprio currículo e entregou na empresa onde o pai trabalhava, dizendo que ‘trabalharia lá de qualquer jeito’.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A mãe do garoto, Tatiana, está desempregada e faz bicos como manicure e faxineira. Para ajudar a família nessa nova caminhada sem o pai, seu Evaldo, criamos uma vaquinha na VOAA. Clique aqui para contribuir!

Moradores de São João da Boa Vista (SP), Tatiana e Evaldo estavam juntos há mais de 15 anos. O pequeno Murilo, dono do melhor currículo, era apaixonado no pai e vivia visitando a empresa onde ele trabalhava como segurança noturno.

Tati, Evaldo e Murilo
Tati, Evaldo e Murilo – Foto: reprodução / G1

Pai e filho eram muito próximos. “Era o herói dele”

Em Março, Evaldo foi encaminhado para a UTI, onde foi entubado e permaneceu apenas um dia, até o seu falecimento. Segundo Tatiana, houve negligência por parte do pronto socorro, que não fez o teste em Evaldo por achar que ele estava com dengue.

Hoje, ela e Murilo moram nos fundos do terreno da avó de Tati, em uma casa que ela cedeu para a família. Alguns dias após a morte do pai, o pequeno disse à sua mãe que queria um currículo para fazer uma entrevista na empresa do pai e trabalhar lá.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Tati ajudou o filho a montar seu currículo na intenção de amenizar a dura realidade que está vivendo. Os dois o entregaram para o vigia, que era amigo do pai. Além de colar uma foto 3×4, a mãe escreveu que Murilo estuda, faz natação e ‘não fica 5 minutos parado’.

“Aí ele me entregou, falou que era pra entregar no RH e que ele queria trabalhar de qualquer jeito. Falou também que queria ajudar a mãe, pois tinha perdido o pai, e que é o dono da casa e vai pagar as contas”, disse o vigia que trabalhava com o pai do Murilo.

Tati e Murilo fazendo o currículo
Tati e Murilo fazendo o currículo – Foto: reprodução / G1

Segundo Tati, o garoto e o pai eram muito ligados, então, para ele foi uma alegria estar no lugar que ele trabalhava e ser recebido com tanto carinho. Além disso, os amigos de trabalho de Evaldo até fizeram uma vaquinha entre eles para levar brinquedos ao Murilo. 

No mês de maio, ela começou a receber a pensão por morte, mas o valor não é suficiente para manter as despesas da família. O FGTS de Evaldo também está para sair, porém o valor é baixo: menos de R$3 mil.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A família precisa de ajuda para se manter nessa nova caminhada sem o pai, já que era ele  quem levava a única renda da casa. Clique aqui e ajude como puder! Toda doação é mais que bem-vinda. 💜

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,827,226SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Trabalhador demitido após atraso por salvar vítima de acidente ganha vaquinha na VOAA

Olha só que difícil a situação do Robsom: ele é entregador em Bertioga (SP) e na segunda-feira (8), enquanto ia para o trabalho, presenciou...

Projeto que ensina mães ex-dependentes químicas a fabricar tijolos está parado, mas você pode ajudar

Um projeto realizador de sonhos encontra-se totalmente parado há 3 anos por causa de R$ 10.000. Em 2012, as máquinas que fabricavam os tijolos...

Após 37 anos, E.T. e Elliot se reúnem em emocionante comercial de Natal; assista!

O comercial recria a famosa cena da bicicleta do filme original, desta vez, com os filhos de Elliot.

Canal no Instagram encoraja mulheres a comemorar suas estrias

Duas mulheres, mães, criaram uma conta no Instagram chamada Love Your Lines (Ame suas Linhas), para incentivar as mulheres para postar fotos de suas estrias e comemorar o seus...

Instagram