Ajude seu pequeno a lidar com sentimentos difíceis! Saiba como

Se para nós, adultos, lidar com desafios como inveja, tristeza e solidão é complicado, imagine para quem ainda dá seus primeiros passos neste mundão. Com essas dicas, entenda como apoiar uma criança diante de situações tão difíceis quanto humanas!

Invista no acolhimento

Sentimentos desafiadores, como de perda, pedem cuidado. Ao dar uma notícia difícil, escolha um ambiente apropriado, em que o pequeno se sinta seguro. E use uma linguagem direta e de fácil compreensão. “Para as crianças menores, de 3, 4 anos, é legal trazer a questão do brincar, usar bonecos para representar as pessoas, contar uma história”, sugere Silvia Vasconcelos, psicóloga, especialista em comunicação não violenta, de Belém. Já para as maiores, a partir de 6 anos, você pode comentar sobre filmes que tenham aquela situação, desenhos ou livros.

Chame pelo nome

Muitas vezes a criança não saberá dizer o que está dentro dela. Pergunte a ela o que está sentindo e, então, nomeie. É raiva? Vergonha? Inveja? Isso ajudará o pequeno ou pequena a se expressar, o que diminui o impacto do desconforto. “Assim, a criança pode se organizar internamente”, diz Mariana Clark, psicóloga especialista em acolhimento e perdas. Essa também é uma forma de autoconhecimento: ao conferir um nome, ela vai, aos poucos, diferenciando um sentimento do outro e pode refletir, antecipadamente, sobre como reagir a cada um.

Olhe de frente

Após identificar o sentimento, explique sua definição e reforce que sentir-se assim é natural. “Ajuda muito se contar sobre você, dando exemplo de como lidou com isso antes”, diz a psicóloga Mariana Clark. No dia a dia, procure também nomear o que se sente. E reforce que primos, irmãos, amigos, todos têm aquele tipo de sentir. Assim, você encoraja a criança a lidar com seus desafios interiores, pois mostra que todos estão sujeitos a eles. “É importante desconstruir a positividade tóxica e explicar que esses sentimentos fazem parte da vida e vão aparecer”, diz Mariana.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fale durante e depois

Sempre que possível, converse sobre os desafios emocionais. Se estiver por perto, fale na hora ou logo após a situação difícil acontecer. Em uma briga no pátio do prédio, por exemplo, chamar a criança em um canto para saber o motivo da raiva, entender as razões da briga e compreender o que está em jogo. “Depois vale retomar a conversa para ensinar que aquele sentimento, assim como outros, que são agradáveis, é genuíno. Medo, raiva, alegria, felicidade: tudo faz parte da vivência”, reforça Silvia.

Nada mais que a verdade

Nunca recorra a mentiras. As crianças tendem a perceber e, com isso, se quebra um pacto de confiança entre você e ela. Em vez disso, ajude-a a entender como passar por aquilo. No caso de uma separação, por exemplo, explique ao pequeno que o pai e a mãe continuam sendo pais dele e que o amam. “Se oferecemos mentiras e silêncio a uma criança, estamos dando a ela desamparo e desconfiança. Ao passo que se oferecemos verdade e escuta, também oferecemos segurança e confiança”, diz Mariana Clark.

Respeite o tempo da criança

Às vezes, o pequeno não vai querer desabafar e nem se mostrará interessado em verbalizar o sentimento. Se for assim, dê um tempo, diga-lhe que estará disponível quando ele se sentir pronto para compartilhar. Ir para o quarto, ficar quieto e pensar no assunto são parte do processo de elaboração. Ainda sobre essa jornada de entendimento e aceitação: não reprima o choro da criança, as lágrimas ajudam a estabilizar o corpo e são uma forma de expressar o sentimento, um caminho para conseguir lidar com o desafio emocional.

Texto: Manuela Aquino
Ilustração: Isabella Magalhães
Conteúdo publicado originalmente na Sorria #83, em fevereiro de 2022.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionados

Organizar a vida é uma maneira de cuidar da saúde mental. Veja dicas!

Muitas vezes bagunça em casa ou na agenda parece invencível. Mas, com paciência e dedicação, é possível ordenar espaços e horários e, assim, ter...

Faz bem para o corpo inteiro! Conheça 9 motivos para beber mais água

Nada de ficar esperando a sede para tomar um gole! A água é fundamental para o bom funcionamento do organismo, para a produtividade e...

+ DO CANAL

Organizar a vida é uma maneira de cuidar da saúde mental. Veja dicas!

Muitas vezes bagunça em casa ou na agenda parece invencível. Mas, com paciência e dedicação, é possível ordenar espaços e horários e, assim, ter...

“Após quase perder o emprego, criei um sistema de organização e pude até aceitar um trabalho com mais responsabilidades”

Gustavo Mathias, de 19 anos, de Curitiba, é diretor de equipes em uma empresa que trabalha com logística e operações corporativas. Quem o vê...

“Sou cadeirante e, por meio do tiro com arco, controlei a dor crônica”, diz enfermeira aposentada

Após um acidente de carro, a enfermeira aposentada Valéria do Nascimento, de 53 anos, passou a precisar de uma cadeira de rodas para se...

Rir faz bem e fazer rir também! Saiba por que você pode e deve contar piadas

Uma piada é uma história que contamos para provocar o riso de quem está por perto. Porém, seus benefícios vão muito além de fazer...

Agora vai: dicas para você trocar o celular por uma atividade física

O smartphone virou o melhor amigo do homem: a gente trabalha, se informa e se diverte com ele. Mas seu uso excessivo pode fazer...

Instagram