Crianças de Maceió criam ONG para ajudar animais abandonados

O poder da educação pode transformar o mundo, disso eu nunca tive dúvida! E ver exemplos como este é realmente um bálsamo para a alma. Conheçam alguns estudantes de 6 a 10 anos de uma escola particular de Maceió, que se organizaram para ajudar animais de rua que sofrem maus tratos e fome.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Eles resolveram se organizar depois de terem uma aula de Ética e Cidadania, que mostrou um vídeo exibido no Fantástico, da Rede Globo, que mostram uma mulher espancando um cachorro até a morte na frente da filha de um ano.  “A partir daí resolvemos ajudar. Pensamos em várias coisas que poderíamos fazer pelos bichos e a ideia acabou surgindo”, conta Laura De Sá, de 10 anos que é presidente da ONG recém criada I Love Animais.

Depois de uma reunião eles decidiram focar nos animais de rua e também contribuir com ração, remédios e materiais de higiene para outras ONG’s. A solução para arrecadar dinheiro foi simples: vender águas e guloseimas na Rua Fechada, um espaço para a família que fica aberto aos domingos na orla da Pajuçara, em Maceió.

maior

Com camisetas customizadas do ‘I Love Animais’ eles percorrem um domingo sim e outro não pelo local. “Pensamos na Rua Fechada porque vai gente de todas as idades, sabe? A ideia foi legal porque muitos querem comprar água, já que faz muito calor. Levamos também pipoca e chocolate”, diz Bruna Saad,10 anos, e Júlia Beltrão, 9.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apesar das guloseimas, não são os doces que cativam os compradores, mas sim a proposta das crianças. “Nós nos apresentamos para as pessoas e elas ficam curiosas. Já tiramos fotos com muita gente que fica interessada na nossa causa”, explicam Leonardo Palmeira, 10 anos, Larissa Vasconcelos, 10, e Eduarda Vilar, 9.

“Nós pensamos no futuro em conseguir um terreno para fazer nossa ONG como um local fixo. “Queremos ajudar todos os animais que pudermos. Quando vemos um cãozinho abandonado andando pelas ruas ficamos muito triste e queremos mudar logo essa situação. Eles são vida que nem a gente e têm direito de serem felizes”, contam Júlia Beltão, 9, e Diogo Saad de apenas 6 anos.

Assista a um vídeo feito pela TV local aqui.

img-20130802-wa0001 Leo02280513 Leo04150913

“A gente queria muito, muito mesmo que as pessoas tivessem a atitude de ajudar quem precisa. É importante cada um fazer a sua parte para um mundo melhor”, ressaltam as crianças.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia a matéria na íntegra aqui. Fotos: Roberta Cólen/ G1

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,769,066SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após ter sua história contada no SP Invisível, advogada reencontra seus familiares

O relato da advogada Rosana publicado na página do SP Invisível no Facebook gerou enorme comoção e mobilização nas redes sociais. O post alcançou...

Festival Digital de Acessibilidade abre inscrições para participantes; 09 a 12/08

A Hand Talk, startup brasileira reconhecida pela ONU como o melhor aplicativo social do mundo, anuncia essa semana o lançamento do Link 2021: Festival...

Conheça a ONG Aldeias Infantis, que promove os direitos de crianças, adolescentes e jovens

Uma Organização sem fins lucrativos, de promoção ao desenvolvimento social que trabalha desde 1949, na defesa, garantia e promoção dos direitos de crianças, adolescentes...

Filho que perdeu a mãe para o câncer cria app para ajudar pessoas com a doença

Essa é uma história que nasce da saudade e do amor e da capacidade de transformar a dor em doação. César Filho, como bom...

Instagram