Cuidadora conta como é a rotina com paciente com mieloma múltiplo

Ter a companhia de alguém com certeza deixa a vida mais leve, ainda mais em casos nos quais isso não é apenas uma escolha e sim uma necessidade. Pessoas diagnosticadas com mieloma múltiplo, câncer dos plasmócitos da medula óssea, passam a contar não só com tratamentos específicos em sua rotina, mas um alguém especial em prol de sua qualidade de vida: o cuidador.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A professora Simone de Oliveira Vicente Brasileiro começou a trabalhar cedo e a irmã, Juliana, era quem cuidava dos sobrinhos. Anos depois, o acaso fez com que a situação fosse contrária. Com o mieloma múltiplo, o corpo do paciente vai se debilitando, reduzindo as atividades cotidianas a medida em que vai avançando, prejudicando principalmente os ossos.

Dessa maneira, Simone se tornou a cuidadora de Juliana, unindo mais ainda os laços entre as duas irmãs. Driblando as fragilidades que a doença traz, elas se tornaram companheiras do início ao fim do dia, desde um passeio pela rua até a ida ao médico.

Apesar do susto inicial na família e das adaptações na rotina de ambas, o sentimento de poder ajudar uma pessoa é gratificante. Doar-se para o outro é o que os fortalece para seguir em frente. Dá uma olhada na emocionante história das irmãs em um vídeo feito pela farmacêutica Takeda:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Paciente com mieloma múltiplo fala sobre a importância de ter cuidadores em sua rotina

*Artigo co-criado em parceria com Takeda Oncology

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,269,708SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

ONG oferece aulas de programação e robótica para meninas negras

O objetivo é capacitar 1 milhão de meninas até 2040!

Porteiro supera o próprio preconceito e mostra que crochê é para todo mundo em SC

Seu Valdir Miranda da Silva tem 48 anos e trabalha na portaria de uma empresa têxtil, em Gaspar (SC), onde trabalha há 25 anos. A...

Jovem órfão precisou deixar abrigo por fazer 18 anos e pede ajuda para não ficar na rua

O Matheus é um menino incrível, mas sofreu bastante nessa vida. 😔 Depois de ter sido abandonado pela mãe e sem família, acabou morando...

Gêmeas siamesas que tinham poucas chances de sobreviver começam a frequentar a escola

Angela e Daniel Formosa, pais das gêmeas siamesas, foram avisados pelos médicos que as filhas, Rosie e Ruby, hoje com 4 anos, tinham poucas...

Instagram

Cuidadora conta como é a rotina com paciente com mieloma múltiplo 3