Curso ensina idosos a usarem redes sociais no Bairro da Tijuca (RJ)

É notório que a população brasileira com mais de sessenta anos de idade vem crescendo. Temos bairros no Rio de Janeiro que já possuem um perfil integral de idosos. Estudos, inclusive, já comprovam esse número.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O IBGE comprova essa sensação que temos quando nos mostra que, em 1940, havíamos crescido 4% em relação a pessoas com mais de 60 anos e, hoje, temos um crescimento de 10%. Isso representa um contingente de quase 15 milhões de pessoas, ou seja, 8,6% da população brasileira.

[Matéria continua depois do vídeo abaixo]

Convidamos cinco mulheres que enfrentaram o câncer de mama para falar sobre suas experiências. Mas elas não sabiam que, durante a gravação do vídeo, seriam surpreendidas. Nesta linda homenagem, as filhas presenteiam suas mães com um sutiã especial (para quem viveu o câncer) acompanhado por uma prótese externa, uma espécie de enchimento que encaixa na lingerie. Assista o vídeo e prepare o lencinho:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como fazer com que o idoso acompanhe todas as mudanças e que seja inserido e aprenda a manipular uma tecnologia a qual foi exposto tardiamente? Às vezes, esse idoso sequer tem à sua disposição qualquer tipo de aparelho, mesmo quando participa de um núcleo familiar que esteja integrado na era digital.

O Razões e o Educa Mais Brasil te ajudam a conseguir bolsa de estudo para cursos técnicos e profissionalizantes, cursos de idiomas, entre outras, clique aqui.

Aprender algo novo já é um desafio para qualquer pessoa. Quando falamos da terceira idade, normalmente apresentam certo receio ou desconforto com esse tema. “O medo de sentir ridículo ou mostrar fragilidade acaba fazendo com que eles recuem frente ao novo”, conta Tathiana Tavares, fonoaudióloga especialista em ginástica para o cérebro e neurologia. Por entender tudo isso, aulas de inclusão digital são promovidas pelo Método Supera Tijuca, que utiliza apostilas adequadas para esse público com letras grandes e linguagem de fácil entendimento.

Curso ensina idosos a usarem redes sociais na Barra da Tijuca (RJ)
Curso ensina idosos a usarem redes sociais no Bairro da Tijuca (RJ). Foto: Divulgação

A especialista acrescenta que os alunos levam seus próprios dispositivos – celulares e tablets – às aulas porque, dessa forma, eles já colocam em prática o que aprendem nos aparelhos que usam no seu dia a dia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As aulas são feitas por temas como fazer download de aplicativos, receitas culinárias, mídias (fotos e vídeos), mapas (GPS), sites de compras online, redes sociais, etc.

Para Vera Lúcia, professora aposentada de 81 anos, as aulas sobre tecnologia fizeram com que aprendesse um mundo novo. “Eu não sabia nada. Tinha até medo de mexer no aparelho. Inclusive, me sentia uma ‘analfabeta digital’. Hoje, vejo como posso me manter informada e, principalmente, como a vida na tecnologia é útil e facilitadora”, conta a aposentada.

“A maioria dos alunos nos procura com discurso muito parecido, não querem mais depender dos filhos ou netos para executar tarefas no celular. Querem se sentir livres para buscar, explorar e interagir com a tecnologia e as pessoas. Curioso como são situações muito parecidas. Filhos que ao invés de explicar, pegam o aparelho, resolvem o problema e devolvem sem permitir que o idoso aprenda. Aqui ele recebe uma atenção especial, com explicações que muitas vezes vão além do conteúdo exposto nas apostilas. A medida que vão aprendendo e conseguindo executar se tornam mais confiantes e felizes. Os sorrisos nas aulas mostram isso”, explica Tathiana.

Curso ensina idosos a usarem redes sociais na Barra da Tijuca (RJ)

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A professora de Geografia Darcy Monteiro, de 76 anos, brinca que, com o conhecimento em tecnologia, saiu da pré-história. “Por onde circulo, professores, amigos e família, todos são muito sabidos sobre isso. Me sintia atrasadinha. Precisei correr atrás para ter um pouco de conhecimento digital”, conta Darcy.

As aulas acontecem uma vez por semana e têm duração de duas horas durante quatro meses. O aluno, ao se matricular, recebe um kit de material didático composto por duas apostilas, uma bolsa e um lápis. O local possui Wi-Fi para que o aluno aprenda de forma plena, sem riscos de depender da sua própria rede de dados em celular ou tablet.

O Método Supera Tijuca fica na Rua Conde de Bonfim, 425, loja H, Tijuca, Rio de Janeiro. Horário de funcionamento: 9h às 18h. Telefone: (021) 3069-9794.

Leia tambémIdoso de 104 anos cria museu de máquina de costura em homenagem à esposa em SC

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,499,046SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Com modificações corporais, protetor de animais mostra que o amor de Deus vai além das aparências

Já falamos aqui sobre o trabalho incrível do Adriano. Pedalando ou a pé, esse jovem de Rio Claro (SP) cuida de cães abandonados e...

Ela decidiu limpar mangue em Guaratiba-RJ e promoveu verdadeira transformação

O que você está fazendo pelo planeta? Em Guaratiba-RJ, a Mestre de Capoeira Marla Silva decidiu limpar sozinha o mangue que tem próximo da...

Conheçam Booboo, a porquinha-da-índia mais cativante dos últimos tempos

Conheçam o lindo Booboo, uma porquinha-da-índia de 2 anos de idade. Sua dona Megan gosta de fotografá-lo usando acessórios 'humanos' e muito engraçados. Na série de...

Humanos reproduzem as danças de sedução que os animais fazem na natureza

Eles interpretam o acasalamento de animais de diferentes espécies, como os lobos, os flamingos e caranguejos, com movimentos de dança que celebram o amor!

Jovens antecipam casamento após saber que um deles tem apenas 5 meses de vida

Se você, assim como eu, se acabou de chorar vendo "Um amor para recordar" lá em 2002, se prepare: essa história é real, e...

Instagram