Curso gratuito de programação é oferecido para mulheres em São Paulo

Lugar de mulher é na tecnologia! A Laboratória, organização que busca a transformação social por meio da educação em tecnologia, está com inscrições abertas para mulheres interessadas no curso de programação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A organização foi fundada no Peru e já formou mais de 1.000 programadoras, sendo que mais de 95% das brasileiras conseguiram emprego na área. As inscrições para o processo seletivo são realizadas online pelo site https://selecao.laboratoria.la/ e vão até dia 23 de junho.

Leia também: Startup contrata grávida e cria programa para a equipe ser composta por 50% de mulheres

As fases de entrevistas e pré-admissão acontecerão em junho e julho e as aulas começarão em agosto, em São Paulo. As interessadas no curso não precisam ter experiência em tecnologia, mas devem atender os seguintes requisitos:

  • Identificar-se como mulher;
  • Ter cursado o Ensino Médio em escola pública ou em escola privada com bolsa integral;
  • Morar na Grande São Paulo e/ou poder estar presente na região central da cidade de segunda a sexta-feira durante os seis meses de duração do curso;
  • Não estar cursando uma universidade durante o curso (bootcamp), já que a formação requer dedicação integral;
  • Ter disponibilidade para frequentar as aulas presenciais: 5 horas por dia, 5 vezes por semana, durante 6 meses.

Dayra Roberta dos Santos, que se formou na 1ª turma e hoje trabalha na Airfluencers, afirma que o curso transformou sua realidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Quando soube que fui admitida pela Laboratória, fiquei muito feliz, pois já sabia que seria algo que iria mudar a minha vida. Porém, eu não imaginei que eu já fosse ver essa mudança antes do bootcamp acabar. E essa mudança não é só tecnicamente falando. A Laboratória tem um cuidado muito grande com o nosso lado emocional e superou todas minhas expectativas. A sensação que eu tenho é de uma segunda família, me sinto acolhida tanto pela equipe, quanto pelas minhas colegas de curso. O sentimento é de gratidão!”, diz ela.

curso programação gratuito mulheres
As alunas não pagam nada durante o curso, mas fazem uma contribuição quando estiverem empregadas para que outras mulheres possam ter a mesma oportunidade

As alunas não pagam nada durante o curso. Depois de conseguirem um emprego, elas doam uma contribuição (10% do salário) por até dois anos para que outras mulheres possam ter a mesma oportunidade.

O bootcamp dura 6 meses e prepara as alunas para se tornarem programadoras Front-End, com aulas sobre JavaScript, HTML, CSS e UX, entre outras especializações.

Leia também:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Chefs renomados apoiam curso de capacitação profissional de pessoas em vulnerabilidade social

Electrolux e parceiros querem ensinar 30 mil crianças sobre alimentação sustentável em 2019

3 motivos para você começar a diminuir o desperdício de alimentos agora!

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

crédito das imagens: Laboratoria

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,520,475SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Pomba acompanha jovem que a resgatou em viagem pela Espanha

Johann viajou pela Espanha com uma pomba que ele resgatou quando ela era filhote. A viagem durou cerca de 1 mês e meio.

Jovens criam aplicativo infantil para desenvolver o raciocínio lógico das crianças

O aplicativo criado pelos jovens reúne jogos bem divertidos de raciocínio lógico, para que a criançada aprenda se divertindo! O projeto surgiu quando uma das idealizadoras quis ajudar o irmão mais novo a treinar matemática lógica.

Em Londres, quantidade de ciclistas triplica enquanto a de motoristas cai pela metade

Os números são do Transport for London, órgão responsável pela mobilidade da capital da Inglaterra, e comprovam: os usuários dos carros migraram para a bike ou transporte público em massa. “Conquista pioneira para cidades grandes”, celebra a entidade.

“Minha sobrinha achou um sapo no jardim e deu o nome de Tadeu”

Se tem uma coisa que as crianças nos ensinam diariamente é para sermos destemidos, e essa geração nova parece que veio com um chip...

Microempreendedor produz vasos artesanais e tijolos com isopor reciclado em MG

Luiz sempre trabalhou com construção civil, e hoje se dedica a fabricar vasos e produtos para jardins utilizando isopor e cimento.

Instagram