Curso gratuito de programação é oferecido para mulheres em São Paulo

Lugar de mulher é na tecnologia! A Laboratória, organização que busca a transformação social por meio da educação em tecnologia, está com inscrições abertas para mulheres interessadas no curso de programação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A organização foi fundada no Peru e já formou mais de 1.000 programadoras, sendo que mais de 95% das brasileiras conseguiram emprego na área. As inscrições para o processo seletivo são realizadas online pelo site https://selecao.laboratoria.la/ e vão até dia 23 de junho.

Leia também: Startup contrata grávida e cria programa para a equipe ser composta por 50% de mulheres

As fases de entrevistas e pré-admissão acontecerão em junho e julho e as aulas começarão em agosto, em São Paulo. As interessadas no curso não precisam ter experiência em tecnologia, mas devem atender os seguintes requisitos:

  • Identificar-se como mulher;
  • Ter cursado o Ensino Médio em escola pública ou em escola privada com bolsa integral;
  • Morar na Grande São Paulo e/ou poder estar presente na região central da cidade de segunda a sexta-feira durante os seis meses de duração do curso;
  • Não estar cursando uma universidade durante o curso (bootcamp), já que a formação requer dedicação integral;
  • Ter disponibilidade para frequentar as aulas presenciais: 5 horas por dia, 5 vezes por semana, durante 6 meses.

Dayra Roberta dos Santos, que se formou na 1ª turma e hoje trabalha na Airfluencers, afirma que o curso transformou sua realidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Quando soube que fui admitida pela Laboratória, fiquei muito feliz, pois já sabia que seria algo que iria mudar a minha vida. Porém, eu não imaginei que eu já fosse ver essa mudança antes do bootcamp acabar. E essa mudança não é só tecnicamente falando. A Laboratória tem um cuidado muito grande com o nosso lado emocional e superou todas minhas expectativas. A sensação que eu tenho é de uma segunda família, me sinto acolhida tanto pela equipe, quanto pelas minhas colegas de curso. O sentimento é de gratidão!”, diz ela.

curso programação gratuito mulheres
As alunas não pagam nada durante o curso, mas fazem uma contribuição quando estiverem empregadas para que outras mulheres possam ter a mesma oportunidade

As alunas não pagam nada durante o curso. Depois de conseguirem um emprego, elas doam uma contribuição (10% do salário) por até dois anos para que outras mulheres possam ter a mesma oportunidade.

O bootcamp dura 6 meses e prepara as alunas para se tornarem programadoras Front-End, com aulas sobre JavaScript, HTML, CSS e UX, entre outras especializações.

Leia também:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Chefs renomados apoiam curso de capacitação profissional de pessoas em vulnerabilidade social

Electrolux e parceiros querem ensinar 30 mil crianças sobre alimentação sustentável em 2019

3 motivos para você começar a diminuir o desperdício de alimentos agora!

Compartilhe o post com seus amigos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

crédito das imagens: Laboratoria

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,835,148SeguidoresSeguir
24,700SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Shopping cria “praça de amamentação” para estimular a doação de leite materno

Muitas mães não se sentem confortáveis para amamentar em público com medo da reação de pessoas que desaprovam o ato. O preconceito existe e...

Relato sobre gesto de honestidade de comerciante em SP viraliza nas redes sociais

Provavelmente você já passou por uma situação dessas: vai em alguma loja de eletrônicos para consertar seu aparelho (seja computador, celular, etc), a pessoa...

Uma troca de cartas entre uma garota de 3 anos e um shopping center

  Algo como: "Querido Sainsssssssssssssssbbbbbbbbbbbbbbbbbbburyyys Por que o nome do “pão tigre” é pão tigre? O nome devia ser “pão girafa”. Com amor, Lily Robinson idade 3 e meio"   "Muito...

Modelo brasileira com síndrome de Down é capa de revista na Austrália

A modelo brasileira Georgia Furlan estampou capa da revista australiana "Katwalk Kids Fashion Magazine", conhecida por promover a diversidade e a inclusão social na...

Projeto ‘Parceiros da Educação’ tem contribuído na melhoria do ensino público das escolas de SP

Promover uma educação pública de qualidade. É com esta desafiadora missão que a Parceiros da Educação atua há 15 anos em parceria com as...

Instagram

Curso gratuito de programação é oferecido para mulheres em São Paulo 2