Delegada de polícia transexual dá depoimento inspirador sobre respeito e aceitação

Através de um vídeo feito pelo Ministério dos Direitos Humanos, Laura, uma delegada de polícia transexual conta sua história e afirma que merece estar onde está hoje. Ela diz que sempre se viu como uma mulher transexual, desde que era criança e que por volta dos 3o decidiu fazer a operação de redesignação sexual.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela diz que apesar da polícia enquanto instituição ser considerada extremamente machista, ela se sente acolhida e respeitada e que as pessoas só deveriam ter o direito de julgar o trabalho dos outros e mais nada, pois é só isso que importa no ambiente corporativo.

Laura vive e trabalha em Goiás e neste vídeo ela conta um pouco de sua trajetória e afirma como é importante que as pessoas respeitem as diferenças e que aprendam a conviver com elas. Ela trabalha como delegada de polícia há 7 anos e que o fato de ela ser delegada, ajudou ela a fazer sua transição de maneira mais elaborada, sempre preservando a instituição que ela trabalha.

Ela, inclusive afirma que sempre teve muita receptividade com seus colegas de profissão e que os preconceitos que ela sofreu no começo, até mesmo exercendo sua profissão, sempre foram superados com muita tranquilidade. Se você quiser assistir o vídeo inteiro é só clicar aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com informações de Yahoo

Fotos: reprodução vídeo Yahoo

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,498,345SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Arquitetas projetam reforma de escolinha comunitária gratuitamente

“É uma oportunidade de fazer o bem com o que eu gosto", diz a arquiteta Fernanda Castro.

Menino de 9 anos vende limonadas para pagar sua própria adoção

Você lembra o que estava fazendo aos nove anos? Qual era seu maior sonho? Para o jovem Tristan Jacobson é conseguir o valor necessário para que a família...

Mãe de noiva abandonada doa buffet da festa para moradores de rua

A americana Kari Duane, mãe de uma noiva abandonada antes do casamento, doou o banquete da festa para moradores de rua avaliado em US$...

Estudantes criam etiquetas em braille para deficientes visuais

Maior liberdade de escolha para os deficientes visuais, que poderão comprar as peças que quiserem sem depender da ajuda de alguém que enxerga.

Pai com Alzheimer reza para a filha com o amigo lixeiro

Ela aprendeu que o amor do pai por ela é inesquecível!

Instagram