Deputados do Acre votam por fim de auxílios e vantagens indevidas

A Assembleia Legislativa do Acre, composta por 24 deputados estaduais, decretou em lei o fim dos chamados “penduricalhos” políticos, como auxílio-moradia, auxílio-saúde e auxílio-paletó, que garantia ampla bonança financeira.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Batizado de PL Complementar 352, de outubro deste ano, o projeto de lei obteve o apoio de todos os 24 parlamentares, de todos os partidos do espectro político. A unanimidade foi comemorada pelos deputados, que não contavam com o apoio de políticos reeleitos, uma vez que, sem os auxílios, perderiam boa parte de sua renda mensal a partir do ano que vem.

Deputados do Acre votam por fim de auxílios e vantagens indevidas
Foto: Reprodução / ALEAC

Segundo assessores da Assembleia Legislativa, o projeto de lei não foi amplamente divulgado porque os parlamentares, surpreendentemente, não queriam se aproveitar eleitoralmente da decisão, de modo que nenhum deles tirou qualquer proveito da situação.

O objetivo conjunto era “estabelecer regras éticas e justas acompanhando as grandes transformações da sociedade”, conforme informado pela Mesa Diretora.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémMais uma vez o Maranhão dá exemplo aprovando fim do auxílio-moradia dos deputados

“O fim desses famigerados auxílios é uma exigência da população”, disse um deputado reeleito que preferiu não ter o nome informado. “Alguém poderia questionar também: Por que não fizeram antes? [Mas] creio que esse é o momento certo”, explicou.

Em 2019, na próxima legislatura, os deputados estaduais do Acre receberão apenas o chamado “provento bruto” (salário), a “verba de gabinete” (despesas com assessores) e a “verba indenizatória” (repassada aos municípios), gerando uma economia total de R$ 115,2 milhões em quatro anos.

Leia tambémDeputado rejeita auxílio-moradia e divide “república” com funcionários

“É uma economia significativa que pode ser direcionada para atividades sociais, qualificação de servidores, reforma e ampliação de estruturas físicas e outras situações”, acentuou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O corte de despesas caminha em direção à moralização da administração pública brasileira, disse um deputado. Para ele, a decisão da Assembleia Legislativa do Acre de derrubar privilégios e penduricalhos aristocráticos é um passo importantíssimo rumo a redução da desigualdade de salários das autoridades dos demais poderes e instituições.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Três de Julho Notícias
Foto de capa: Reprodução / ALEAC

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,842,344SeguidoresSeguir
24,826SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

App criado por estudantes conecta quem precisa de sangue com pessoas dispostas a doar

Criado por um grupo de alunos do Insper, o Blooder é um aplicativo que conecta quem está precisando de sangue com quem pode doar. Ele foi pensado para...

Psicólogo de Harvard mostra que a busca pela felicidade pode ser o contrário que você imagina

O pesquisador da Universidade de Harvard Shawn Achor, especialista em investigar a conexão entre felicidade e sucesso, acredita que as pessoas podem – e devem...

Beyoncé interrompe show para bailarina ser pedida em casamento no palco

Depois de suas merecidas férias, “Queen Bey” voltou aos palcos no último dia 10 de setembro, em uma apresentação em Saint Louis, nos Estados...

O vídeo desse cachorro comemorando a chegada da neve vai te deixar encantado!

Nós brasileiros, não temos muito contato com a neve mas já sabemos que ela é mágica e vive no imaginário de muitas pessoas. Dizem...

Pais de alunos vendem pizzas para ajudar professora que teve carro roubado

A professora fez faxina fora do horário de aula durante 10 meses para comprar o carro.

Instagram

Deputados do Acre votam por fim de auxílios e vantagens indevidas 2