Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo

Segundo um novo estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Estadual de Iowa, nos Estados Unidos, o simples fato de desejar a felicidade e o bem-estar do nosso próximo pode melhorar os sintomas do estresse e da ansiedade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A pesquisa foi publicada no período científico Journal of Happiness Studies (Jornal de Estudos da Felicidade, em tradução livre). O experimento condicionou os participantes a caminharem por 12 minutos ao ar livre e focassem em determinados pensamentos ao encontrar outras pessoas.

Os participantes foram divididos em quatro grupos heterogêneos, cada qual encarregado de refletir diferentes pensamentos enquanto observava outros indivíduos. Eles foram encorajados a produzir pensamentos e sensações genuínas, sem muito planejamento, durante o experimento.

Leia tambémPara incentivar pessoas a tratar ansiedade, psicólogos contam o que fazem para relaxar

O grupo 1 deveria desejar felicidade a quem encontrasse, mentalizando a frase “eu desejo que essa pessoa seja feliz”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O grupo 2 concentrou-se em tentar encontrar ‘conexões’ que eles eventualmente poderia ter com os outros, imaginando que pudessem manter uma ambição ou sentimento em comum, por exemplo.

O grupo 3 deveria focar apenas em si mesmos, egoisticamente.

O grupo 4 serviu como “controle”, devendo levar em conta apenas o aspecto visual das pessoas, como as roupas que vestiam e quais humores emanavam.

Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo
Fotos: Reprodução / Social Artist

Houveram entrevistas antes e depois do experimento social conduzido pela equipe de pesquisadores, onde eles puderam medir os níveis de estresse e ansiedade das ‘cobaias’.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Não é surpreendente dizer que o grupo dedicado a mentalizar e emanar felicidade se sentiu mais empático, sensível às necessidades do próximo e, sobretudo, feliz.

Em igual medida, o segundo grupo, que deveria tentar se colocar no lugar do outro, demonstrou bons níveis de empatia e conexão.

O grupo 3, ou o ‘grupo dos soberbos’, não teve melhora alguma em nenhuma dessas características, reafirmando pesquisadores anteriores, que demonstraram que o ato de ficar se comparando com outras pessoas pode ser prejudicial à autoestima. Mais: esse tipo de comportamento competitivo já foi relacionado à depressão e ao transtorno de ansiedade.

O resultado final é bastante singelo: desejar o bem das outras pessoas indiretamente também nos faz bem. De quebra, nos tornamos indivíduos naturalmente mais empáticos e pessoalmente satisfeitos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémInstagram oferece ajuda para usuários quando termos “ansiedade” e “depressão” são pesquisados

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Super
Foto destacada: Reprodução / Vez da Voz

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,845,820SeguidoresSeguir
24,881SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menina cria campanha COmVIDa-20 e arrecada 4 toneladas de alimentos para famílias carentes

A Manu tem apenas 11 anos, mas já fez mais para combater a Covid-19 do que muito marmanjo por aí. Chega mais que eu...

Aparelho inventado por mecânico diminui drasticamente os riscos na hora do parto

Mesmo com todos os avanços da medicina ao longo dos anos, o parto ainda é uma condição de risco para todas as mulheres. Principalmente...

Há 50 anos juntos: Marido se desdobra para dar qualidade de vida à mulher que tem Alzheimer

Estar com alguém que você ama e que quer ficar até o fim da vida pode parecer historinha pra criança dormir nos dias de...

Perseguido por ser gay, ‘pai da computação’ vai estampar nota de 50 libras na Inglaterra

Matemático, lógico, criptoanalista, cientista da computação... e gay. Alan Turing (1912-1954), considerado hoje o "pai da computação", pioneiro na concepção de inteligência artificial e herói...

Homem vai vestido de pirata para hospital e entrega um “tesouro” para sua esposa, internada com câncer

Se alguém quiser falar sobre "como surpreender lindamente a sua esposa", o Gerson Giordano Heleno, de 56 anos, com certeza dará uma aula! Ele está...

Instagram

Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo 2