Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo

Segundo um novo estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Estadual de Iowa, nos Estados Unidos, o simples fato de desejar a felicidade e o bem-estar do nosso próximo pode melhorar os sintomas do estresse e da ansiedade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A pesquisa foi publicada no período científico Journal of Happiness Studies (Jornal de Estudos da Felicidade, em tradução livre). O experimento condicionou os participantes a caminharem por 12 minutos ao ar livre e focassem em determinados pensamentos ao encontrar outras pessoas.

Os participantes foram divididos em quatro grupos heterogêneos, cada qual encarregado de refletir diferentes pensamentos enquanto observava outros indivíduos. Eles foram encorajados a produzir pensamentos e sensações genuínas, sem muito planejamento, durante o experimento.

Leia tambémPara incentivar pessoas a tratar ansiedade, psicólogos contam o que fazem para relaxar

O grupo 1 deveria desejar felicidade a quem encontrasse, mentalizando a frase “eu desejo que essa pessoa seja feliz”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O grupo 2 concentrou-se em tentar encontrar ‘conexões’ que eles eventualmente poderia ter com os outros, imaginando que pudessem manter uma ambição ou sentimento em comum, por exemplo.

O grupo 3 deveria focar apenas em si mesmos, egoisticamente.

O grupo 4 serviu como “controle”, devendo levar em conta apenas o aspecto visual das pessoas, como as roupas que vestiam e quais humores emanavam.

Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo
Fotos: Reprodução / Social Artist

Houveram entrevistas antes e depois do experimento social conduzido pela equipe de pesquisadores, onde eles puderam medir os níveis de estresse e ansiedade das ‘cobaias’.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Não é surpreendente dizer que o grupo dedicado a mentalizar e emanar felicidade se sentiu mais empático, sensível às necessidades do próximo e, sobretudo, feliz.

Em igual medida, o segundo grupo, que deveria tentar se colocar no lugar do outro, demonstrou bons níveis de empatia e conexão.

O grupo 3, ou o ‘grupo dos soberbos’, não teve melhora alguma em nenhuma dessas características, reafirmando pesquisadores anteriores, que demonstraram que o ato de ficar se comparando com outras pessoas pode ser prejudicial à autoestima. Mais: esse tipo de comportamento competitivo já foi relacionado à depressão e ao transtorno de ansiedade.

O resultado final é bastante singelo: desejar o bem das outras pessoas indiretamente também nos faz bem. De quebra, nos tornamos indivíduos naturalmente mais empáticos e pessoalmente satisfeitos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémInstagram oferece ajuda para usuários quando termos “ansiedade” e “depressão” são pesquisados

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Super
Foto destacada: Reprodução / Vez da Voz

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo 2

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,977,244SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menino de 6 anos entra para o Guinness como o mais jovem programador do mundo

O indiano Arham Om Talsania, tem 6 anos e desde os 2 usa tablets. E essa familiaridade com a tecnologia o levou longe. Ele...

Cristãos vão à Parada LGBT de São Paulo espalhar o amor

Esse tipo de atitude me deixa com os olhos lacrimejando, elas me emocionam pois afirmam o que tenho certeza: existem pessoas cristãs extremamente sensatas,...

Vídeo da dança do noivo com sua mãe com doença degenerativa leva internet às lágrimas

A cerimônia de casamento de Zak Poirier levou os convidados presentes às lágrimas, não apenas pela confirmação do seu matrimônio, mas pela dança que...

Como nasce uma mãe

Com uma delicadeza impressionante e pouco comum em propagandas de TV, o tema central da propaganda é a adoção. Mas não a adoção de...

Universitários de Juiz de Fora levam informações sobre a prevenção do câncer de mama para moradoras em situação de rua

A professora Tâmara Lis, do curso de Comunicação Social e de Enfermagem do Centro Universitário Estácio Juiz de Fora, propôs um desafio aos seus...

Instagram

Desejar o bem a outras pessoas pode aliviar ansiedade, diz estudo 3