Detentos diminuem pena estudando e trabalhando fora do presídio

Clique e ouça:

A reinserção social de ex-presidiários é um dos grandes desafios da sociedade. Como garantir que eles não voltem para a vida do crime? Através da educação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É isso o que a Penitenciária Francisco Floriano de Paula, em um distrito da cidade de Governadores Valadares (MG), começou a fazer há poucos dias. O projeto é uma oportunidade de remição da pena para os detentos.

A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Estado Defesa Social (Seds) e a Secretaria de Estado de Educação (SEE), viabilizada pela Vara de Execuções Penais (VEP) da comarca.

O objetivo é que o preso não deixe de estudar enquanto ele cumpre sua pena, mesmo se estiver trabalhando. Detentos matriculados na escola da penitenciária abandonavam os estudos depois que conseguiam o benefício do trabalho externo, já que as unidades prisionais não oferecem ensino à noite por motivos de segurança.

Para o juiz da VEP de Governador Valadares, Thiago Counago, a humanização da pena é fundamental. “Com isso, estamos facilitando a recolocação dos presos na sociedade, uma vez que eles passam a participar mais dela”, afirma.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Presos do Amazonas cultivam seus próprios alimentos em horta

A chance de estudar fora dos muros do presídio pode ajudar o detento João Antônio da Silva, 40 aos, a sair mais cedo da prisão. Ele trabalha em uma fazenda da região desde 2015. A retomada dos estudos é motivo de muita felicidade. “Vai me preparar melhor para quando eu ganhar o regime aberto em 2018, quem sabe antes, somando a remição de pena pelo trabalho com a do estudo”, diz.

Renata Araújo, diretora de Atendimento e Ressocialização do presídio, explica que a oportunidade de estudar fora foi oferecida aos 48 detentos do regime semiaberto que trabalham fora da prisão: a maioria em propriedades rurais da região. “Levamos para fazer as provas de classificação aqueles que realmente disseram dispostos a respeitar as regras de uma escola sem grades sendo que 14 foram aprovados.”

Foto de capa: Omar Freite/Imprensa MG

via [AGÊNCIA MINAS GERAIS]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,050,303FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
17,184SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem com deficiência humilhado por atraso de salgados se surpreende com apoio: “o telefone não para”

Coisa mais linda essa corrente de solidariedade, o Rafael tá sem acreditar! Rafael foi humilhado por um cliente que não aceitou o atraso da sua...

Cãozinho é reprovado em treinamentos da polícia por ser ‘dócil demais’

E essa carinha de: "Alguém brinca comigo, por favor!"?

Vendedor de salgados é humilhado e recebe ajuda de vaquinha que bate R$70 mil em 24h

Rafael, que só tem uma das mãos, foi humilhado por cliente que não aceitou o atraso da sua encomenda de salgados.

“Eu quito!”, diz Tatá Werneck para seguidora que desabafou sobre dívidas na pandemia

A Tatá Weneck se ofereceu para pagar as dívidas de uma seguidora depois que ela postou um meme no seu Instagram. O meme é uma...

Jovem ‘zombada’ por vender sacos de lixo para ajudar a mãe não abaixa a cabeça

A estudante de enfermagem Clara Soares, 18 anos, vende sacos de lixo e panos de chão em Ceilândia (DF) para ajudar a mãe. Enquanto batia...

Instagram

Detentos diminuem pena estudando e trabalhando fora do presídio 14