Detentos diminuem pena estudando e trabalhando fora do presídio

A reinserção social de ex-presidiários é um dos grandes desafios da sociedade. Como garantir que eles não voltem para a vida do crime? Através da educação.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É isso o que a Penitenciária Francisco Floriano de Paula, em um distrito da cidade de Governadores Valadares (MG), começou a fazer há poucos dias. O projeto é uma oportunidade de remição da pena para os detentos.

A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Estado Defesa Social (Seds) e a Secretaria de Estado de Educação (SEE), viabilizada pela Vara de Execuções Penais (VEP) da comarca.

O objetivo é que o preso não deixe de estudar enquanto ele cumpre sua pena, mesmo se estiver trabalhando. Detentos matriculados na escola da penitenciária abandonavam os estudos depois que conseguiam o benefício do trabalho externo, já que as unidades prisionais não oferecem ensino à noite por motivos de segurança.

Para o juiz da VEP de Governador Valadares, Thiago Counago, a humanização da pena é fundamental. “Com isso, estamos facilitando a recolocação dos presos na sociedade, uma vez que eles passam a participar mais dela”, afirma.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Presos do Amazonas cultivam seus próprios alimentos em horta

A chance de estudar fora dos muros do presídio pode ajudar o detento João Antônio da Silva, 40 aos, a sair mais cedo da prisão. Ele trabalha em uma fazenda da região desde 2015. A retomada dos estudos é motivo de muita felicidade. “Vai me preparar melhor para quando eu ganhar o regime aberto em 2018, quem sabe antes, somando a remição de pena pelo trabalho com a do estudo”, diz.

Renata Araújo, diretora de Atendimento e Ressocialização do presídio, explica que a oportunidade de estudar fora foi oferecida aos 48 detentos do regime semiaberto que trabalham fora da prisão: a maioria em propriedades rurais da região. “Levamos para fazer as provas de classificação aqueles que realmente disseram dispostos a respeitar as regras de uma escola sem grades sendo que 14 foram aprovados.”

Foto de capa: Omar Freite/Imprensa MG

via [AGÊNCIA MINAS GERAIS]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,755,527SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Filho raspa a cabeça para apoiar mãe com câncer e a surpreende

Desde que recebeu o diagnóstico de câncer de mama, a família da dona Maria Josefa da Silva, 52 anos, de Caruaru (PE), tem se...

Alunos fazem vaquinha para ajudar vendedora de cachorro-quente que perdeu carro em chuva

Durante um temporal em maio de 2017, o carro que a vendedora de cachorro-quente Inês Silva utilizava para trabalhar foi atingido por uma árvore...

Vídeo com pai surdo ensinando o filho a escovar os dentes cativa internautas

Pais são sempre pais, não importa de onde venham ou se tem alguma necessidade especial, no final das contas são pessoas tentando educar seus...

Centenas de pessoas estão voltando a enxergar graças à cirurgia barata e rápida

Organização sem fins lucrativos realiza cirurgias gratuitas de catarata em países carentes de oftalmologistas, como Nepal e Etiópia.

Comprar um iogurte foi o primeiro sonho da medalhista e velocista Terezinha Guilhermina

A mineira Terezinha Guilhermina nasceu em cima de uma carroça, numa família de 13 irmãos na cidade de Betim. Ao longo da infância e...

Instagram