Estudante vende palha italiana na Paulista para cursar medicina em Harvard

A chance de você encontrar o Raony Ferreira França, 21 anos, vendendo palhas italianas na Avenida Paulista nos domingos é grande. Cada docinho vendido, é mais uma razão para acreditar no sonho de estudar na Universidade de Harvard.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Raony está no quarto ano de medicina na Universidade de São Paulo e foi aprovado num programa de intercâmbio para ir estudar em Harvard. Filho de um vendedor e de uma dona de casa, ele vende palhas italianas para arcar com os custos da viagem e da permanência nos EUA.

O jovem estudante embarca em janeiro de 2020. Os custos totais para passar um ano estudando em Boston são de mais de R$ 80 mil. Ele conseguiu um financiamento de R$ 24 mil de um banco privado e já tinha juntado R$ 10 mil ao longo do tempo em que ficou estudando e trabalhando como monitor na universidade.

Pra conseguir o restante, ele decidiu vender palhas italianas produzidas por sua mãe. Todos os domingos ele passa mais de quatro horas junto com a família vendendo na Avenida Paulista, caminhando da estação Consolação até a Brigadeiro. O pai de Raony também vende rifas no trabalho e o estudante criou uma vaquinha virtual.

Estudante vende palha italiana na Paulista para cursar medicina em Harvard 3
Mais um domingo vendendo palhas italianas na Paulista para estudar em Harvard. Foto: Arquivo pessoal/Raony Ferreira França

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Num desses domingos, ele topou com Alexandre Ullmann e conseguiu convencê-lo a comprar uma palha. Alexandre é Diretor de Recursos Humanos do LinkedIn. Ele publicou um post sobre a luta de Raony na rede social.

Jovem que vende doces para cursar medicina em Harvard com diretor de RH do LinkedIn
Raony e Alexandre Ullmann, diretor de Recursos Humanos do LinkedIn. Foto: Arquivo pessoal/Alexandre Ullmann

Raony foi reprovado no primeiro vestibular, quase desistiu, mas passou em outros cinco 

Raony despertou para o desejo de estudar medicina no Ensino Fundamental. Foi exatamente quando as finanças apertaram na casa da família e os pais não tiveram mais condições de pagar a escola particular onde o filho estudava. Ele então foi estudar na Etesp de Tiradentes, escola pública técnica.

O Razões e o Educa Mais Brasil te ajudam a conseguir bolsa de estudo para cursos técnicos e profissionalizantes, cursos de idiomas, entre outras, clique aqui.

Mas Raony percebeu que precisaria de muito mais para passar em medicina e decidiu fazer um cursinho pré-vestibular particular. Ele conseguiu uma bolsa de 70%, porém a família ainda não teria como pagar o restante da mensalidade, e foi aí que surgiu a ideia de vender palhas italianas. A mãe começou a produzir os doces e todo mundo foi vender para que Raony fizesse o cursinho para estudar medicina.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Estudante vende palha italiana na Paulista para cursar medicina em Harvard 4
Foto: Arquivo pessoal/Raony Ferreira França

Eu acordava às 5h da manhã, passava o dia estudando, chegava em casa às 20h e voltava a estudar de 21h até meia-noite”, disse. No primeiro vestibular ele não passou e se frustrou. “Eu chorava muito, o que não é comum. Rasguei meus resumos e joguei fora, mas minha mãe insistiu muito para continuar”, disse.

A mãe estava certa: Raoni foi aprovado na USP, Unicamp, Unifesp, UFMG, e PUC-Campinas.

Eu não conhecia ninguém da USP, parecia algo muito distante, não sabia que podia entrar lá. Mas minha irmã mais velha é a primeira pessoa formada da família e eu vi que aquilo ali de fazer faculdade era possível também para pessoas da minha condição”, disse.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Estudante vende palha italiana na Paulista para cursar medicina em Harvard 5
Foto: Arquivo pessoal/Raony Ferreira França

Raony entrou no curso já com o desejo de fazer intercâmbio, se engajou em vários projetos e programas de pesquisa até que foi aprovado para o programa de intercâmbio em Harvard. “Eu ouvia a palavra Harvard nos filmes, mas pensava: ‘será que um dia eu vou tá lá’ e hoje tenho a chance de ir”, disse.

E com certeza você vai, Raony! Se você não é de São Paulo, pode ajudar o Raony contribuindo com a vaquinha que ele criou, clique aqui e apoie.

Voa, garoto!

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Estudante vende palha italiana na Paulista para cursar medicina em Harvard 6

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,839,477SeguidoresSeguir
24,826SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Um cachorro, quatro gatos e as fotos mais adoráveis do dia

Muitos chamam de amizade improvável, mas a verdade é que os animais têm essa capacidade infinita de amar sem julgamentos. Essa família de hoje é...

Saiba mais sobre o novo programa da FORD voltado para a mobilidade urbana

A Ford é uma empresa que deseja fazer a diferença na vida das pessoas e conta com inúmeros programas sociais. Veja alguns exemplos: CENTRO DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL...

Urso polar se encanta com criança fantasiada de urso

Um urso polar que nadava em sua confortável e gelada piscina no zoo deMinnesota (EUA) ficou encantado com uma criança que visitava o local fantasiada de urso....

Anos após médico dizer que ele não conseguiria ler nem escrever, jovem com déficit cognitivo conquista primeiro emprego

Na infância, Pedro Cruz sofreu isquemia cerebral e passou por várias convulsões. Após ouvir de um médico que não conseguiria ler nem escrever, Pedro conquistou seu primeiro emprego.

Estes 17 animais acham que estão se escondendo de você, mas estão adoravelmente falhando

Nada é mais adorável que um animal. E quando eles fazem coisas bobas então, é o suficiente para todos falarmos: "OWNNNN". Mas de qualquer forma...

Instagram

Estudante vende palha italiana na Paulista para cursar medicina em Harvard 8