Documentário mostra pessoas que mudaram radicalmente de profissão e são mais felizes

Conheça a história de três pessoas que largaram o seu trabalho convencional para seguir um mais “alternativo”, diferente do que nossa sociedade espera, mas que completa a alma, trazendo a alegria e felicidade, que muitas vezes não esperamos conseguir com o nosso trabalho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“O dinheiro não traz felicidade, é a felicidade que traz o dinheiro.”

Se a sua preocupação é com o dinheiro pense nisso. Quando se faz o que se gosta, você se dedica naturalmente aquilo e principalmente, você tem saúde física e emocional para aquilo.

Espero que essas três histórias lhe tragam a reflexão, mas principalmente a coragem de ir atrás e em busca do seu sonho, de se viver uma vida como você quer e sonha. Veja e inspire-se:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,850,818SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Empresária arrecada mais de R$ 5 milhões para que famílias carentes não sejam despejadas

Durante a pandemia, a empresária Marjy Stagmeier fez uma vaquinha e arrecadou o equivalente a cerca de R$ 5,5 milhões para ajudar famílias carentes...

Montadas para o Bem: grupo de drag queens doa mais de mil peças para moradores de rua

Em Brasília, um grupo de drag queens resolveu ir às ruas ajudar sem-tetos neste inverno rigoroso. Carrie Myers, Pikineia Minaj, Mary Gambiarra, Laurie Bluee e...

Garoto autista começa a conversar após fazer terapia com cães

Com a ajuda da cinoterapia, a terapia realizada com o auxílio de cães, promovida pelo Projeto Bicho Terapeutas, o menino Raylon Lomeu, 8 anos, começou...

Brandili lança nova coleção de camisetas em braille

10% do valor total das vendas será revertido para a Fundação Abrinq, que luta pelos direitos da criança e do adolescente.

Razões para Acreditar no Amor #2: Nos conhecemos aos 15, tivemos uma filha aos 16, e este ano faremos 16 anos juntos: o amor...

Eu e meu marido nos conhecemos com 15 anos, 5 meses depois estávamos grávidos. No primeiro momento foi um choque para todos, principalmente para mim,...

Instagram