Após ‘dia de beleza’, dona de salão oferece emprego à moradora de rua trans

“Quando vi ela comendo o lixo, peguei na sua mão e a convidei para jantar”. Esse foi o relato da proprietária de um salão em Natal, Tatiana Van Campo, que deu um dia de beleza completo para a Ana Paula, uma mulher transexual que vive em situação de rua. Após uma semana do acontecido e da repercussão, Tatiana informou ao Razões que vai dar um emprego à Ana Paula. “Ela vai fazer parte da minha equipe”. Foi feita uma vaquinha para custear o aluguel de uma casa e compra de móveis para Ana Paula recomeçar a vida, contribua aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na noite da última sexta-feira, dia 24 de maio, Tatiana voltou ao salão para pegar a bolsa que havia esquecido. Saindo do local, ela se deparou com uma triste cena na rua.

Eu vi a Ana Paula comendo lixo na frente do salão. A moça tinha acabado de colocar o lixo para fora e ela estava lá. Pegou o resto de uma marmita que estava dentro do lixo e comeu com as mãos. Quando vi essa cena, me doeu muito o coração. Fiquei muito mal”.

Tatiana pegou na mão da moradora e a levou para a cozinha do salão. “Eu até tinha esquecido que o salão estava em funcionamento e lotado. O pessoal até assustou, acharam que era um assalto. E eu disse, não, ela está comigo”.

Ana Paula sentou, comeu junto com Tatiana e funcionários e contou um pouco sobre a sua vida. “Ela relatou que saiu de casa aos 15 anos. Os pais não aceitaram a sua orientação sexual e por isso, foi expulsa de casa”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Após o jantar, Tatiana ofereceu a moradora de rua dinheiro para se alimentar nos próximos dias. “Nesse momento, ela relatou que tinha o sonho de fazer o design de sobrancelhas”.

Transformação

Na segunda-feira, dia 27 de maio, Ana Paula voltou ao salão. O que ela não sabia é que ganharia um dia de beleza! “Eu disse para ela que iria tratá-la como se fosse uma cliente minha. Fizemos coloração, mechas, progressiva, maquiagem, tratamos ela com todo o requinte que poderíamos oferecer. Ela chorou, se sentiu gente, sabe? Ficamos todos emocionados.”

Tatiana explicou que não iria publicar a foto e que ficou surpresa com a repercussão. “Eu tenho uma funcionária transexual e ela pediu que publicasse, que precisávamos fortalecer essa luta. Foi muito gratificante mostrar a sociedade que fazer o bem não tem preço”.

[A Ana Paula é uma mulher trans e foi acolhida pela dona de um salão de beleza, após ter sido vista comendo comida do lixo. Tatiana criou uma vaquinha online para ajudar a moradora de rua a recomeçar sua vida do zero, saiba como ajudar aqui.]

dona salão emprego mulher trans

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

dona salão emprego mulher trans dona salão emprego mulher trans

Emprego para Ana Paula

Desde o dia da transformação, Tatiana e sua equipe pensaram que poderiam fazer mais por Ana Paula e decidiram: “A Ana Paula vai integrar a minha equipe. Eu vou profissionalizá-la. Se eu ensinei mais de 17 mil pessoas, por que ela não?”.

“Ela iniciará o curso de cinco dias práticos. Durante esse processo todo, a Ana Paula vai morar no salão. Enquanto o salão existir, não temos como deixá-la na rua. Ela nunca mais vai comer lixo!”, completa Tatiana.

Mas Ana Paula ainda precisa de muitas coisas: roupa, moradia, comida, e para isso, a Tatiana fez uma vaquinha online e conta com ajuda de todos para mudar a vida da Ana Paula, clique aqui.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

dona salão emprego mulher trans

Clique aqui e contribua com a vaquinha para ajudar a Ana Paula nesse recomeço.

A marca Opaloka é parceira do Razões e apoia a causa LGBT, clique aqui e siga o perfil.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

dona salão emprego mulher trans

crédito das fotos: Reprodução/Instagram @classdasloiras

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,845,820SeguidoresSeguir
24,881SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Projeto social ensina programação e ajuda integrar refugiados ao mercado de trabalho brasileiro (RJ)

Conheça o projeto Toti, escola de programação que promove educação e inserção profissional na área de Tecnologia da Informação para comunidades de refugiados.

PM compra todos os bolos de venezuelano que precisava pagar aluguel

O homem estava vendendo bolos caseiros próximo a uma agência da Caixa Econômica Federal no bairro Barreiros, em São José (SC), quando foi abordado pelo PM Gustavo Rangel.

Paciente fã do Michael Jackson ganha surpresa de médico

“Acabou que o maior presente, quem recebeu fui eu."

Flores podem ser excelentes substitutas dos agrotóxicos nas lavouras; veja como

No ano passado, o Brasil aprovou o registro de 474 agrotóxicos - o maior número em 14 anos. Seu uso indiscriminado pode ser nocivo...

Instagram

Após ‘dia de beleza’, dona de salão oferece emprego à moradora de rua trans 1