O enorme poder da leitura e da música para as crianças


PUBLICIDADE ANUNCIE

Por Aline Melo

Muitas mães acham perda de tempo ler para os bebês, pois eles ainda não aprenderam a falar. Mas não há idade para dar início à educação infantil, para a formação do leitor. Especialistas dizem que durante a gestação, a partir dos quarto meses, quando o bebê já pode ouvir, o ato da leitura pela mãe, já é o primeiro passo, pois ao nascer esta leitura pode ser intensificada.

A partir da vigésima semana de gestação o aparato neurofisiológico auditivo já está pronto para receber vibrações sonoras, este é o melhor momento para a mãe conversar mais vezes com o feto, colocar músicas para ele ouvir. Segundo especialistas, é possível que depois do nascimento, o bebê reconheça as vozes que ouviu durante a gestação. A comunicação entre a mãe e o bebê é importante, seja contando histórias, falando, cantando, entre outros estímulos, pois pesquisadores comprovaram que os cinco sentidos estão desenvolvidos antes do nascimento.

É importante estimular o desenvolvimento cognitivo, a memória, a atenção, concentração, contato com a realidade, agilidade motora, linguagem, expressão corporal, interação social, motivação e o emocional da criança.

A “Musicoterapia” pode ser aplicada durante a gestação. Também pode ser utilizada com as crianças que apresentam déficit de atenção/hiperatividade, déficit de aprendizado, portadoras de deficiência física e mental, distúrbios alimentares, dentre outros problemas.

Desde a antiguidade, Aristóteles e Platão tinham a ideia de que a música poderia causar um bem-estar as pessoas. Porém, os médicos conseguiram estabelecer esta relação, apenas no século XX, usando a música para a recuperação de seus pacientes. No Brasil, o curso de Musicoterapia teve início somente em 1971 no Paraná e no Rio de Janeiro.

A música trabalha os hemisférios cerebrais, promovendo o equilíbrio entre o pensar e o sentir. Esse trabalho pode ser desenvolvido junto com a fonoaudiologia, fisioterapia e a terapia ocupacional para se conseguir um melhor resultado.

A projeção, que trabalha com a audição de músicas e de sons, permite ao indivíduo se expressar através de desenho, da escrita ou da modelagem (massa de modelar).

Os efeitos da musicoterapia:

Fisiologia: produz mudanças no ritmo cardíaco e respiratório e na tensão muscular;
Comunicação: estimula a expressão verbal;
Afetividade: favorece o desenvolvimento emocional e afetivo;
Sensibilidade: ajuda a percepção auditiva e táctil;
Movimento: estimula a atividade e melhora a coordenação motriz;
Sociabilidade: fomenta a interação social;
Educativas: ajuda na formação, desenvolvimento pessoal e na superação de dificuldades de aprendizagem;
Psicoterapêuticas: ajuda a resolver problemas psicológicos e a mudar condutas estabelecidas;
Médica: apoio psicológico e físico (pode reduzir a dor) à pacientes e aos médicos que enfrentam situações difíceis como a cirurgia, doenças terminais, cuidados intensivos, entre outros;
Psiquiátrica:melhora a autoestima e a capacidade de comunicação dos doentes.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Já a leitura, no ato de contar uma história, seja em voz alta ou em tom normal, a mãe estimulará o desenvolvimento da linguagem oral e escrita e o cognitivo do bebê, o que também fortalecerá a interação entre os pais, naquele momento da leitura.

O ato de manusear o livro, seja de plástico, de papel ou de pano, seja no berço ou durante o banho, promove uma motivação na criança.

Os livros devem ter histórias curtas, bastante imagens coloridas ou fotos, vocabulário simples e a forma de ler deve ser criativa para atrair o público infantil. O teatro de bonecos (fantoches ou marionetes) é um bom exemplo de motivador na formação de novos leitores.

Sei por experiência própria, pois meu Pai, Arthur de Melo, quando foi comprar meu primeiro presente, ele escolheu uma grande caixa de livros de história, lápis de cera e caderno de desenhos. Isso me fez gostar de ler desde o início. Hoje sou formada em Letras e em Pedagogia, tenho duas pós-graduações em Educação Tecnológica e Especial e quero continuar estudando. Também sou mãe, durante a gestação fiz muitas leituras para minha filha.

Ao nascer, desde os primeiros dias, leio para ela, durante o dia, durante o banho e quando ela vai dormir. Percebi que Thalia, minha filha, adora manusear os livros. Aos dois meses dei um lápis de cera e um caderno e ela começou a rabiscar, hoje o seu caderno está cheio de pequenos rabiscos e desenhos. O meu amor é tanto pela leitura que escrevi uma história infantil, a qual Thalia é a personagem principal. O livro se chama, “Thalia no reino das fadas”. Seu lançamento foi no dia 16/02/2015, quando Thalia completou seis meses. A próxima data de apresentação do livro será no final de março, o local será o Museu da Maré e também participaremos da Flupp 2015.

O Projeto Maré Latina, localizado na comunidade da Maré, no Rio de Janeiro, oferece desde 2012, cursos gratuitos de teatro, leitura de contos e musicoterapia, todos voltados para o público infantil. As inscrições poderão ser realizadas pelo blog. O projeto tem o objetivo de levar a cultura através da leitura, do teatro e da música.

As músicas mais utilizadas no projeto são as do cantor espanhol Enrique Iglesias. Na minha infância a música dele me ajudou a aprender espanhol, apenas ouvindo suas canções. Através do Coral Maré Latina, crianças interpretam e cantam suas músicas, emocionando o público da comunidade da Maré, a cada apresentação.

Aline Melo é escritora, poetiza, produtora cultural e artística, fundadora e coordenadora pedagógica do Projeto Maré latina, jornalista, pedagoga, psicanalista, professora de espanhol, especialista em Educação tecnológica e Educação Especial. Também Fã da música e cultura Latina. Sou autora do Livro e curtas-metragens: “Thalia no reino das Fadas, A fadinha Maria e sua boneca de Pano, O Natal da fadinha maria, O ataque dos Zumbis na Favela, Quadalupe no mundo das Fadas, A cigana Alejandra, entre outros que estão por vir.

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar