Projeto no interior da BA protege crianças das drogas com futsal e educação socioambiental

Inclusão social pelo esporte e sem descuidar das pessoas e do lugar onde vivem.


projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental
PUBLICIDADE ANUNCIE

Em Itapicuru, povoado de Irecê, no interior da Bahia, o ‘Itapicuru: Esporte para Todos’ protege meninos de 8 a 14 anos das drogas e da criminalidade.

O projeto começou há pouco mais de dois anos. Além dos treinos de futsal, os meninos participam de ações sociais, como a arrecadação de alimentos para famílias carentes, e também ajudam a limpar as praças do povoado, cuidando do lugar onde vivem.

Leia também: Jovem cria biblioteca para proteger crianças das drogas e da prostituição

É uma iniciativa do casal Queilane dos Santos Oliveira e Túlio Barbosa Oliveira. Túlio oferece os treinos de futsal na quadra poliestortiva do povoado, às segundas-feiras, enquanto as rodas de conversa e palestras ao ar livre, abordando temas como sustentabilidade, ocorrem aos sábados e domingos.

“Tomamos essa iniciativa porque estava crescendo o número de crianças envolvidas com drogas. Morreram duas crianças no bairro, envolvidas com roubo e droga. São crianças carentes, sem nenhuma condição social”, lembra Queilane, em conversa com o Razões para Acreditar.

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental

O projeto não conta com o apoio da Prefeitura: foram muitos pedidos, todos negados. Quase todo o dinheiro investido no Itapicuru: Esporte para Todos sai do bolso de Queilane e de Túlio.

“Infelizmente nós buscamos recursos da Prefeitura, mas é negado toda vez que procuramos”, lamenta Queilane.

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental

PUBLICIDADE ANUNCIE

Túlio explica que os garotos precisam cumprir metas para participar do projeto. “Só podem participar crianças que estão devidamente matriculadas na escola e com bom rendimento escolar. Caso estão com notas abaixo da média, damos um prazo para ajudar. Tentamos ajudar, com bancas escolares, e se percebemos falta de interesse na escola, retiramos do projeto.

Leia também: Policial adota bebê de sem-teto e usuária de drogas

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental
Os meninos do projeto ajudam a limpar as praças do povoado, cuidando do lugar onde vivem

A maior dificuldade enfrentada é a falta de materiais para os treinos. As bolas usadas no último treino eram emprestadas, já que as bolas do projeto estavam rasgadas. Isso sem falar nas chuteiras, que a maioria dos garotos não têm condição de comprar: alguns têm dificuldades até para comer.

Felizmente, Queilane e Túlio recentemente contaram a ajuda de um grupo de amigos para comprar treze pares de chuteiras. Eles dividiram o pagamento das chuteiras em dez vezes: todo mês, cada amigo vai doar 10 reais para quitar o pagamento. Esse foi o único apoio financeiro que receberam desde que o projeto começou.

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambiental

Leia também: Delegado transforma vida de ex-usuária de crack que havia prendido em SP

Apesar das dificuldades, Queilane acredita que vale a pena continuar. “É uma forma de agradecer pelos nossos privilégios. Mesmo com tanta dificuldade, é muito gratificante fazer o bem. Encontramos mães que agradecem pelo nosso empenho de tentar proporcionar momentos que amenizam a dureza da vida de alguns. Enquanto pudermos, vamos continuar”, finaliza.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

projeto bahia crianças treinos futsal educação socioambientalcrédito das fotos: Reprodução/Queilane dos Santos Oliveira

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar