Estudantes criam projeto de redução da evasão escolar no sertão cearense


Estudantes criam projeto de redução da evasão escolar no sertão cearense
PUBLICIDADE ANUNCIE

A estudante secundarista Ana Ellen de Brito desistiu de estudar em duas ocasiões. Na primeira delas, em 2017, parou de frequentar a escola faltando três meses para o encerramento do ano – no ano passado, abandonou de novo após ultrapassar o limite de faltas.

Nas duas ocasiões, Anna reconhece que parou de estudar ‘por besteira’. “Gostava mais de ir às festas do que de estudar, tinha preguiça, não gostava de acordar cedo”, conta.

Decidida a perseverar e conseguir a aprovação, a estudante pegou firme nos estudos e estava indo bem, tirando boas notas. No entanto, ela engravidou – novamente precisou abandonar a escola.

Ajude a Liliane a realizar o sonho do intercâmbio na Califórnia

“Achei que a gravidez ia atrapalhar e não ia conseguir conciliar”, diz. Foi quando alunos e um professor da sua escola foram até sua casa para tentar fazê-la mudar de ideia.

estudantes sala aula escola

Escola presente

Criado por por duas estudantes do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual Adrião do Vale Nuvens, em Santana do Cariri, no sertão cearense, o projeto Células Motivadoras conta com a participação de 19 alunos que se dividem em três grupos, cada um responsável por uma das três séries do colégio.

A iniciativa inclui rodas de conversa sobre os problemas que os alunos enfrentam para conseguir estudar e palestras para reforçar a importância da escola no futuro.

aluna filmando colega projeto escola

Os estudantes também ficam atentos com a frequência dos colegas – quando um deles começa a faltar demais, um sinal de alerta logo é emitido: o aluno ‘faltão’ recebe uma mensagem escrita à mão, a ‘carta quente’, incentivando-o a retomar os estudos.

Mais do que isso, os colegas, com o auxílio dos professores, vão até ele para entender sua situação e conversar para motivá-lo a retornar.

A iniciativa tem gerado bons frutos. Um bom exemplo é Ana Ellen, que conta ter ‘desistido de desistido’ de estudar. Seus amigos explicaram que ela ainda não tinha atingido o limite de faltas e poderia continuar na escola.

estudantes escola floresta

A comunidade escolar mostrou que ela poderia seguir estudando em casa depois que o bebê nascesse.

Demonstraram também a importância do estudo para poder dar uma condição de vida melhor para a criança. “Quando ele fosse mais velho, que exemplo eu daria se dissesse que tinha parado de estudar? Vi que não era isso que queria nem para mim nem para o meu filho”, diz a estudante de 19 anos, que está no sexto mês da gravidez. Ana vai cursar o último semestre em casa e quer concluir os estudos para fazer uma faculdade de medicina veterinária no ano que vem.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Leia também:

Com o auxílio do Células Motivadoras, Anna Ellen e outros dezenas de alunos da idade dela foram impedidos de deixar a escola.

Em 2017, 79 alunos desistiram dos estudos. Em 2018, 59. Neste ano, o número caiu mais de 70%: 13 estudantes abandonaram a escola – um sinal de que esses esforços estão dando resultado.

“Fico triste que 13 tenham desistido, mas saber que a gente está conseguindo reduzir esse número a cada ano é muito gratificante”, diz Maria Alicy de Oliveira, de 17 anos, uma das criadoras da iniciativa.

“Não era nem para ter chegado nestes 13”, completa Liliane Silva, de 16 anos, a outra fundadora do projeto. “Estamos trabalhando e vendo quem está com muitas faltas para não passar desse número.”

apresentação trabalho escola

Transformando jovens em cidadãos

Na 5ª edição do Desafio Criativos da Escola, promovido pelo Instituto Alana, organização sem fins lucrativos o Células Motivadoras foi um dos projetos premiados na categoria ‘direitos das crianças’.

Neste ano, o prêmio recebeu mais de 1,4 mil inscrições de projetos desenvolvidos por jovens com soluções para lidar com problemas em suas escolas. Foram escolhidos 15 finalistas e, entre eles, destacadas outras seis iniciativas além do projeto de Santana do Carari.

Ajude a Liliane a realizar o sonho do intercâmbio na Califórnia

‘A ficha ainda não caiu’

Com o sucesso da iniciativa, outras duas escolas de cidades vizinhas entraram em contato para que Maria Alicy, Liliane e Joana apresentassem o Células Motivadoras para os alunos. “Queremos quebrar mais barreiras, e já demos um primeiro passo na nova fase do projeto, que é firmar parcerias para que ele seja ser usado em outras escolas”, diz Maria Alicy.

O projeto chama atenção porque a evasão escolar é um problema bastante comum, mas Liliane conta que não imaginava que ele causaria tanto impacto – nem que as levaria tão longe.

reunião estudantes escola

Ao lado do seu professor orientador, as três estudantes, que nunca saíram do Ceará, irão para Roma, na Itália, como parte do prêmio que receberam.

Elas irão participar da Conferência Global “Eu Posso”, junto com outros 3 mil estudantes para trocar experiências em que os jovens assumem o papel de protagonistas do cenário da educação global. “É surreal”, diz Liliane. “A ficha ainda não caiu.”

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: BBC/Fotos: Reprodução/BBC

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar