Ela superou o bullying e se tornou a primeira líder de torcida trans da sua escola

A adolescente canadense Phoebe Cesinaro, 16, venceu a batalha contra o bullying e ainda se tornou a primeira líder de torcida transgênero da sua escola.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela conta que hoje é mais aceita pelos colegas da Eastwood Collegiate Institute, em Kitchener, no Estado de Ontario. A transição de Phoebe foi cheia de desafios. Ela enfrentou a solidão e o isolamento de um mundo onde não se reconhecia.

Mas, isso não foi o bastante para intimidá-la. Phoebe seguiu em frente com a transição. A adolescente diz que o esporte a ajudou a superar essa fase e aumentou sua autoconfiança.

“Eu costumava odiar estar na frente de multidões, mas ser líder de torcida aumenta a minha confiança e me ajudou a lidar com a raiva”, lembra Phoebe, que precisou se esforçar bastante para entrar na equipe.

Apesar disso, não foi fácil para ela se ver diante de toda a escola e aceitação também não veio de uma hora pra outra. Ela mesma conta que não se sentia incluída no grupo e que recebia provocações de pessoas que insistiam em se referir a ela no gênero masculino nas redes sociais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Todo mundo sabia que eu era transexual e as outras meninas têm o visual muito feminino. Mas eu tentei manter a cabeça erguida para seguir com a minha transição, apesar de muitas vezes estar destroçada”, desabafa.

Somente aos poucos Phoebe foi acolhida pela equipe de esportes da escola, que atualmente tem sido uma família para a adolescente.

Phoebe se reconheceu primeiro como gay. A transição de gênero começou há pouco mais de dois anos, após uma conversa com uma mulher trans. Ela iniciou a terapia hormonal em 2013 e terminou em março do ano passado, quando teve o nome e a designação sexual alterada na sua certidão de nascimento, perto de completar 16 anos.

A mãe de Phoebe, Jennifer Shaw, conta que sempre soube que a filha era homossexual. Quando ela se declarou trans, Jennifer ficou apreensiva com o julgamento das outras pessoas, mas mesmo sim deu total apoio à adolescente.

“Eu sempre vou amar e apoiar a minha filha. Estou muito orgulhosa por ela ter se assumido e ter tido força para ser quem realmente é”, diz.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

phoebe1

phoebe3

via [EXTRA]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,644,941SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Coca-Cola já distribuiu 500 mil litros de álcool 70% ao SUS de São Paulo

Atuando em diversas frentes no combate a pandemia de coronavirus, a Coca-Cola FEMSA Brasil, maior engarrafadora de produtos Coca-Cola em volume de vendas do...

Youtuber paga R$ 1.000 por uma rosa

Já imaginou vender uma flor e receber R$ 1.000 como pagamento? Foi o que aconteceu com uma senhora que vende rosas nas rua. O John...

Ela foi citada no Enem 2015, mas quem foi Simone de Beauvoir?

Você sabe me dizer quem foi Simone de Beauvoir? A filósofa francesa será lembrada para sempre como um dos grandes nomes do Enem 2015, por...

Pai faz blog/diário para registrar momentos que seus filhos poderão acessar quando adultos

O pai (e escritor) é Pedro Fonseca, ele criou o blog Do seu pai, onde escreve cartas para seus filhos, João e Irene, e...

Menino autista é o estudante mais jovem da Universidade de Oxford, com 6 anos. “Eu quero mudar o mundo”

Joshua Beckford é reconhecido internacionalmente em mais de 90 países por suas realizações na educação. E ele tem apenas 14 anos! Diagnosticado com autismo, Joshua...

Instagram