Ela superou o bullying e se tornou a primeira líder de torcida trans da sua escola

A adolescente canadense Phoebe Cesinaro, 16, venceu a batalha contra o bullying e ainda se tornou a primeira líder de torcida transgênero da sua escola.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela conta que hoje é mais aceita pelos colegas da Eastwood Collegiate Institute, em Kitchener, no Estado de Ontario. A transição de Phoebe foi cheia de desafios. Ela enfrentou a solidão e o isolamento de um mundo onde não se reconhecia.

Mas, isso não foi o bastante para intimidá-la. Phoebe seguiu em frente com a transição. A adolescente diz que o esporte a ajudou a superar essa fase e aumentou sua autoconfiança.

“Eu costumava odiar estar na frente de multidões, mas ser líder de torcida aumenta a minha confiança e me ajudou a lidar com a raiva”, lembra Phoebe, que precisou se esforçar bastante para entrar na equipe.

Apesar disso, não foi fácil para ela se ver diante de toda a escola e aceitação também não veio de uma hora pra outra. Ela mesma conta que não se sentia incluída no grupo e que recebia provocações de pessoas que insistiam em se referir a ela no gênero masculino nas redes sociais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Todo mundo sabia que eu era transexual e as outras meninas têm o visual muito feminino. Mas eu tentei manter a cabeça erguida para seguir com a minha transição, apesar de muitas vezes estar destroçada”, desabafa.

Somente aos poucos Phoebe foi acolhida pela equipe de esportes da escola, que atualmente tem sido uma família para a adolescente.

Phoebe se reconheceu primeiro como gay. A transição de gênero começou há pouco mais de dois anos, após uma conversa com uma mulher trans. Ela iniciou a terapia hormonal em 2013 e terminou em março do ano passado, quando teve o nome e a designação sexual alterada na sua certidão de nascimento, perto de completar 16 anos.

A mãe de Phoebe, Jennifer Shaw, conta que sempre soube que a filha era homossexual. Quando ela se declarou trans, Jennifer ficou apreensiva com o julgamento das outras pessoas, mas mesmo sim deu total apoio à adolescente.

“Eu sempre vou amar e apoiar a minha filha. Estou muito orgulhosa por ela ter se assumido e ter tido força para ser quem realmente é”, diz.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

phoebe1

phoebe3

via [EXTRA]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Brasileiro adotado com 2 meses vira prefeito de cidade na Itália

A pequena e pacata cidade de Albaretto della Torre, no norte da Itália, elegeu recentemente um prefeito de origem brasileira. Aos 31 anos, Luca...
video

Eles usam música para assumir sexualidade aos amigos e as reações são as melhores!

Um novo challenge no TikTok tem ganhando muita forma entre os LGBTQIA+. Usuários do app tem utilizado a música “Get Ugly”, do Jason Derulo...

Depois de 15 meses no hospital, garotinha curada de câncer tem recepção calorosa na escola

Bridget Kelley é uma linda garotinha americana que ama a escola. A primeira vez que ela faltou por problemas de saúde, ficou realmente preocupada...

Gaúcha de 17 anos conquista 2 medalhas no Mundial de Natação Paralímpica

Das Paralimpíadas Escolares direto para o Campeonato Mundial de Natação! 🚀💦 A nadadora Larissa Rodrigues, de apenas 17 anos, conquistou duas medalhas de bronze no...

Após vaquinha, mãe de quadrigêmeos com paralisia cerebral consegue comprar carro

A Patty é mãe solo de quadrigêmeos que, por complicações no parto, adquiriram paralisia cerebral. Abrimos uma vaquinha para ela na VOAA para ajudar...

Instagram

Ela superou o bullying e se tornou a primeira líder de torcida trans da sua escola 3