Após anos sem se ver, elas se reencontraram e descobriram o amor

Nunca é mesmo uma palavra que nunca deve ser dita, com o perdão do trocadilho. Principalmente em questões amorosas – o amor está nem aí para pensamentos precedidos pela palavra nunca, okay?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Renata e Vanessa reforçam essa tese. Amigas da época do colégio, com o tempo, elas tomaram rumos diferentes na vida até se reencontrarem dias antes do aniversário de uma amiga em comum. Intuitivamente, Renata e Vanessa sabiam que não seria um simples reencontro, mas o começo de uma história de amor que está em seus capítulos iniciais.

“Na mesma noite já começamos a conversar, e depois de exatos sete dias, aconteceu o primeiro beijo! Aquele que só concretizou todo nosso pensamento do primeiro reencontro. A partir daí, não paramos de nos querer, de nos desejar”, revela Vanessa. Àquela altura, elas já eram mães de dois meninos, um de 8 anos e outro de 11.

amor casamento lésbicas

Como elas passaram a se encontrar frequentemente, os meninos começaram a perguntar: “Por que vocês não moram juntas?” Isso porque eles achavam que elas fossem apenas amigas. Renata e Vanessa não quiseram apressar as coisas, pois não queriam machucar os filhos – mais pelo preconceito das pessoas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Casal mineiro celebra 60 anos de casamento e conta o segredo pra gente

Não demorou muito tempo pra elas deixarem para trás a ideia de que jamais teriam uma relação séria com uma mulher ou de jamais se casar de noivinha. Com um mês de namoro, decidiram juntar as escovas de dente. “Com nove meses já estávamos casando no civil e, cá entre nós, isso não estava prevista pra essa vida (risos)! Muito menos no mesmo final de semana entrar juntas de noivas e já com o sobrenome uma da outra!”

Lembra da aniversariante que aproximou Renata e Vanessa? Ela fez o papel de cerimonialista, nada mais justo, certo? As duas se arrumaram no mesmo local, mas com uma venda nos olhos, para aumentar a emoção de uma ver a outra vestida de noiva pela primeira vez.

amor casamento lésbicas

Os filhos foram os pajens mães, que entraram juntas na cerimônia. “Entramos juntas e recebemos nossos padrinhos, um a um, e, depois, prestamos uma homenagem a eles, para demonstrar o quanto cada um deles é importante na nossa vida”, lembra Renata.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Durante a cerimônia, uma das mães do casal – sim, sogra também é mãe, pelo menos neste caso – pediu para elas irem com calma, “por falta de experiência com a filha lésbica e preocupação com os netos, considerando que nossa relação estava ficando seríssima”. Já a mãe que aceitava há algum tempo a orientação da filha não pôde comparecer.

amor casamento lésbicas

Enfim, só estando no casamento mesmo, para sentir a emoção, que nenhum texto é capaz de traduzir – a gente arrisca, mas não chega nem perto. Histórias como a de Renata e Vanessa – sem roteiro – são razões para acreditar no amor imprevisível, porém verdadeiro.

Confira outros clicks do casamento:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas amor casamento lésbicas amor casamento lésbicas

amor casamento lésbicas

Fotos © 1024 Fotografia – Reprodução Autorizada

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,502,658SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Senado Federal abre consulta pública sobre a criminalização da homofobia no Brasil

Quer fazer algo para mudar o mundo? Chegou a hora! O Senado Federal abriu uma consulta pública sobre um projeto para criminalizar a LGBTfobia no...

Após ficar preso injustamente por 20 anos, americano abre negócio com carcereiro

Juan Rivera ficou preso de 1992 a 2012 pelo estupro e assassinato de uma menina de 11 anos chamada Holly Staker, em Waukegan (EUA)....

Motociclista perdoa e consola idoso que provocou acidente em Manaus [VÍDEO]

O motociclista poderia ter ficado bravo, dizer que correu perigo de vida, mas fez diferente: perdoou o idoso com um abraço e um beijo carinhoso; assista!

Um autista com a incrível capacidade de montar móveis complexos como se estivesse brincando com Lego

Brad é um canadense de 25 anos e tem autismo. Ele não pode falar ou ler, mas tem um talento especial para a construção...

Idosa liga para número errado e atendente a ajuda cancelar consulta médica

A dona Rosália precisava muito desmarcar uma consulta médica, mas discou o número errado.

Instagram