O elefante mais solitário do mundo deixa o zoológico para finalmente ser livre

É sempre muito maravilhoso quando a gente vê que a relação da humanidade com a natureza só melhora a cada dia. Já contamos histórias de animais que foram libertados e, dessa vez, ficamos sabendo sobre o Kaavan, um elefante asiático que vivia no Zoológico Marghazar, na capital do Paquistão, Islamabad, desde 1985.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Kaavan viveu em cativeiro por 35 anos e agora poderá desfrutar da sua liberdade! Ele acaba de ser transferido para um santuário de animais.

elevante Kaaan

A libertação de Kaavan foi um processo longo. Ativistas de todo o mundo se concentraram e trabalharam juntos para conseguir que as autoridades paquistanesas reconhecesse o encarceramento do elefante.

Foram apresentados documentos que comprovavam que a saúde de Kaavan estava completamente comprometida, devido as condições do local onde ele vivia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

kaavan sozinho

Martin Bauer, porta-voz da organização internacional de bem-estar animal Four Paws, disse que já está providenciando todos os exames e documentações para a transferência de Kaavan. Ele tem uma autorização médica para viajar e na semana passada passou por uma bateria de exames.

Martin ainda não definiu o santuário exato para onde Kaavan vai, mas provavelmente será no Camboja, onde há condições mais adequadas e uma companhia amigável com outros elefantes.

kaavan tomando banho

Depois das verificações, que confirmaram que Kaavan é forte o suficiente, medidas serão tomadas para finalizar sua transferência para um santuário animal potencialmente no Camboja“, disse Martin.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Kaavan teve uma vida desconfortável no zoológico. Por muito tempo ele viveu em um pequeno espaço. Além disso, o elefante não tinha os cuidados médicos que precisava.

A alimentação também não era regulada, o que fez com que Kaavan ganhasse mais peso do que o indicado. Os cascos estavam rachados e crescidos demais depois de anos de caminhada no chão, machucando seus pés.

elefante mal cuidado

Ele também desenvolveu um comportamento estereotipado, o que significa que ele move a cabeça de um lado para o outro por horas. Isso ocorre principalmente porque ele está apenas entediado”, conta Martin.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

homem fazendo carinho em kaavan

 

homem fazendo carinho em Kaavan

A Suprema Corte do Paquistão ordenou o fechamento do Zoológico Marghazar devido às suas terríveis condições, causadas por uma administração negligente.

Enfim Kaavan poderá ter uma vida melhor, cheia de conforto, companhia, boas condições e acima de tudo liberdade. Isso é o mínimo que qualquer animal merece.

FONTE: Nation

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,241,492SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após post viralizar, estudante de jornalismo que é caixa de supermercado consegue estágio

"Ainda não consegui minha tão esperada oportunidade no jornalismo, mas enquanto ela não chega, todos os dias faço minha contribuição, trabalhando como caixa de...

Ex-sem teto lança campanha de Natal para levar refeições a pessoas em situação de rua

Mesmo ajudando o ano inteiro as pessoas em situação de rua, o Gabriel, que é um chef conhecido nosso já, está se preparando para...

Após encerrar atividades religiosas, igreja doa imóvel para a APAE em Votorantim (SP)

Com a dissolução da Igreja Evangélica Universal Assembleia dos Primogênitos, em Votorantim (SP), o conselho de pastores decidiu, por unanimidade, doar o edifício para a Associação...

Presos em Uberlândia produzem até 400 caixas de legumes por mês

Qual a melhor forma de ressocialização de presos? No Presídio Professor Jacy de Assis, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, rúcula, alface, couve, repolho, espinafre, brócolis e...

Irmãs sul-africanas criam tijolo feito de areia e plástico mais resistente que o tradicional

As irmãs Kedibone e Kekeletso Tsiloane, originárias da África do Sul, são as fundadoras da Plasti-Bricks, uma empresa administrada exclusivamente por mulheres e dedicada...

Instagram