Em ano de eleição, plataforma ajuda a identificar perfis falsos no Twitter

Clique e ouça:

A plataforma PegaBot foi desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio) e o Instituto Tecnologia & Equidade (IT&E), com o objetivo de identificar perfis falsos ou perfis automatizados no Twitter, também conhecidos como bots (abreviatura da palavra em inglês robot).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nela, os usuários da rede social poderão verificar a atividade de uma conta automatizada, para saber a probabilidade do perfil ser um bot. Quanto maior a nota, maior a chance de estarmos diante de um bot e da chance dele propagar “fake news” ou notícias falsas, compartilhadas na internet como se fossem verídicas. 

A plataforma analisa o histórico das publicações do perfil que o usuário solicita. Com base em padrões de comportamento, o PegaBot identifica se é mais provável o perfil ser humano ou um robô. Por enquanto, a plataforma está integrada ao Twitter e, em breve, poderá ser usada em outras redes sociais.

ferramenta identifica perfis falsos Twitter
Foto: PegaBot/Reprodução

Os critérios considerados na avaliação são o intervalo de tempo entre cada postagem – um intervalo de dois segundos entre cada post, por exemplo, pode indicar que o tuite foi feito por um robô; a frequência e a aleatoriedade no tempo em que as postagens são feitas – postagens feitas sempre no mesmo horário, às 10 horas da manhã, por exemplo, podem ter sido feitas por um robô; e a pessoalidade dada aos textos postados – textos repetidos ou extraídos de outras publicações, pré-formatados, são um indicativo dele ter sido feito por um bot.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Márcio Vasconcelos, diretor do IT&E, explica ainda que a ferramenta não exclui a verificação humana. “Se você identificar que o perfil serve só para divulgar a mensagem de outra pessoa, ou que na maioria das vezes esse perfil existe para atacar algum um grupo específico, aumentam muito as chances desse perfil se confirmar como um bot. Nesse caso, vale questionar os possíveis beneficiados pela atuação daquele bot se o perfil realmente é falso e por que a pessoa beneficiada está se utilizando desse recurso. Se for um político, por exemplo, pergunte diretamente ao político se ele sabe que existe um bot trabalhando para ele e se acha correto o comportamento que o bot está tendo. Também pode denunciar essa atuação a justiça eleitoral”, ressalta.

Foto de capa © Pixabay/Creative Commons

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,079,657FãsCurtir
2,422,376SeguidoresSeguir
20,939SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após humilhação, motoboy ganha mais de R$190 mil em vaquinha, moto nova e é contratado por agência de marketing

Em menos de 24 horas, batemos a meta da vaquinha na VOAA para ajudar o motoboy Matheus a dar a volta por cima, depois...

Vaquinha para motoboy humilhado bate mais de R$100 mil em menos de 24h

Todo mundo acordou ontem precisando engolir a seco a história do Matheus Pires, de Valinho (SP). Vivemos em um país onde ainda há muita indiferença...

Sogro anda de mãos dadas com genro para ajudá-lo a superar medo de sair na rua com o namorado

Fran guarda algumas memórias ruins de um passado recente, quando ele sofreu preconceito por ser homossexual. O jovem foi agredido fisicamente, além de ter passado...

Confeiteira é humilhada por cobrar taxa de entrega de R$2 e recebe apoio de internautas

A confeiteira Ângela Oliveira foi humilhada por uma cliente que se recusou a pagar a taxa de entrega do seu bolo de pote. Na troca...

Motoboy é humilhado por homem em condomínio de luxo e recebe apoio de internautas para dar a volta por cima!

Gente, encontramos o motoboy Matheus Pires Barbosa, de 19 anos, de Valinhos (SP), que foi humilhado por um homem num condomínio de luxo no...

Instagram

Em ano de eleição, plataforma ajuda a identificar perfis falsos no Twitter 13