Em Macaé, (RJ) estudante cria óculos que detecta obstáculos e emite alertas para cegos

Um estudante de Macaé, no estado do Rio de Janeiro, criou óculos com sensor ultrassônico, capazes de detectar obstáculos e facilitar a vida dos cegos. A ideia de Flávio Pires Viana, de 17 anos, para ajudar os deficientes visuais surgiu durante as aulas de mecatrônica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Viana foi aprovado via Enem em engenharia em duas universidades públicas, mas quer mesmo é se tornar médico e virar oftalmologista. Ele considera a invenção simples: ele acoplou sensores de ré nos óculos, os mesmos usados em carros para estacionar, que emitem um som.

Leia também: Para a principal causa de demência infantil, o diagnóstico precoce é tão importante quanto o tratamento

O projeto “Óculos sonar: tecnologia destinada aos deficientes visuais” foi fruto do trabalho de conclusão do curso de Mecatrônica da Educação Técnica do Instituto Nossa Senhora da Glória-INSG/Castelo. Os óculos produzem um sinal para um vibracall e para um buzzer (apito) fixado na armação, indicando a existência e a direção de qualquer objeto.

Para construir o protótipo, Viana gastou R$ 100 e reutilizou materiais que tinha em casa. Para o estudante, foi a possibilidade de unir duas paixões: a biologia e a mecatrônica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Projeto incentiva a recolocação no mercado de trabalho para pessoas com mais de 50 anos

O agricultor José Batista, de 67 anos, foi o primeiro a experimentar a invenção. Com problemas de visão desde os 35 anos, Batista parou de enxergar totalmente há um ano e meio depois de uma retinose pigmentar. O idoso muitas vezes acaba esbarrando em orelhões, relógios de energia elétrica e árvores.

Com o objetivo de testar o projeto e verificar a funcionalidade do aparelho, o estudante visitou a Associação Macaense de Apoio aos Cegos (Amac). Viana continua aperfeiçoando a sua criação. Ele diz que quer patentear os óculos e prosseguir estudando para entrar em uma faculdade de medicina e fazer a diferença no futuro dos deficientes visuais.

Leia também:  Artista transforma crianças da Cidade de Deus em super-heróis (que realmente são!)

Fonte: G1

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,786,495SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Casa Fiat expõe quadros de São Francisco em 3D para deficientes visuais

Falar sobre acessibilidade para deficientes visuais e pessoas com baixa visão é diferente de ver a acessibilidade acontecendo ao seu lado.

Projeto fotográfico trabalha empoderamento e empreendedorismo de mulheres

Através da fotografia e técnicas de coaching, mulheres que esqueceram-se de si mesmas começam a despertar. 

Bebê prematuro recebe ajuda no tratamento (e muito amor) de ‘pai canguru’

Heitor nasceu aos sete meses de uma gestação até então tranquila. Tinha 40 centímetros e pesava 1,625 quilo. Com pré-eclâmpsia e pancreatite, Caroline de...

Plataforma de ensino gratuita melhora desempenho de alunos: ‘antes tirava 6, 7. Agora tiro 9, 10’

Criada em 2008, a Khan Academy é uma plataforma de vídeos online de educação livre, gratuita e sem fins lucrativos criada por Sal Khan,...

Mãe acompanha aulas da filha com paralisia cerebral há 5 anos e a ajuda a copiar as lições

Com a ajuda da mãe, Gilda Mendonça, a estudante Suellen Carvalho, de 30 anos, consegue avançar no curso de Psicologia rumo à diplomação. Suellen...

Instagram