Alunos da UFRJ criam embalagem que indica se a comida está estragada

Uma embalagem que muda de cor e mostra se o alimento está próprio para o consumo? É isso mesmo! O Plasticor foi desenvolvido por uma startup formada por seis alunos e ex-alunos de diferentes cursos da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A coloração, esverdeada ou rosada, indica se a comida está estragada ou não.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Plasticor começou a ser desenvolvido há um ano e foi premiado durante o Hackaton, evento de empreendedorismo realizado por alunos da UFRJ e pelo Sebrae, no campus Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

“Fomos premiados como melhor projeto de sustentabilidade na área de alimentos e ganhamos a consultoria do Sebrae. A ideia é internacionalizar o projeto do bioplástico, que é biodegradável e inteligente”, explica Lorena Ballerini, 26 anos, aluna do último período do curso de Nanotecnologia.

“Além do dado estatístico, que é a data de validade, o consumidor vai poder verificar a embalagem do produto”, completa o estudante do 5º período de Biofísica, João Vitor Lira, 20 anos.

embalagem muda cor alimento estragado
Lorena e João com o plástico que mostra o estado do alimento. Foto: Guilherme Pinto/Agência O Globo

O Plasticor poderá funcionar de duas maneiras: embalando produtos para venda ou em fitas para o cliente poder conferir se ele ainda pode ser consumido. Antes, é necessário formalizar a startup e receber a certificação do Ministério da Cultura e da Vigilância Sanitária, o que pode levar até dois anos.

Entre os apoiadores, a startup tem o Sindicato de Alimentos da Baixada Fluminense. “Os empresários procuraram o sindicato porque os produtos estavam se deteriorando nas prateleiras. O sindicato está se comprometendo a encaminhar a demanda de vários setores. A expectativa é muito grande”, destaca o presidente do Simapan, Henrique Seita.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

embalagem muda cor alimento estragado
Dependendo do Ph do alimento estragado, o plástico fica verde ou rosa. Foto: Reprodução

O sindicato ajuda no contato com equipe de pesquisa e produção com padarias da região. Segundo Henrique, o Plasticor poderá reduzir o desperdício de alimentos em até 80%.

“Essa indicação por meio da cor, inclusive, vai evitar que se perca produtos por causa da validade. O empresário vai conseguir observar o real estado do produto com mais facilidade e, se for o caso, pode fazer uma promoção, por exemplo, para acelerar a venda e evitar que o alimento tenha que ser descartado”, conclui.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Exta

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,629FãsCurtir
1,763,473SeguidoresSeguir
8,641SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram