Multinacionais lançam projeto de embalagens duráveis e ainda entrega em casa para combater lixo plástico

Talvez você, mulher ou homem adulto, se lembre quando era criança ou adolescente de uma época em que nossos avós e bisavós recebiam o leite em garrafas de vidro ou frutas, legumes e verduras em cestos de vime, entregues na porta de casa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Esses tradicionais hábitos foram sendo superados com o passar das décadas, à medida em que começamos a utilizar embalagens ditas mais “modernas”, baratas, leves e práticas, de origem plástica.

No entanto, o que a sociedade acabou descobrindo, do pior jeito, é que apesar do plástico ser reciclável, não temos eficiência ou eficácia suficientes para coletar todo o volume colossal de detritos que produzimos (e descartamos) todos os anos.

Uma vez descartado incorretamente no meio ambiente, um objeto de origem plástica leva ao menos 400 anos para se decompor integralmente na natureza. Conforme se decompõe em milhões de micropartículas, ele continua, ainda assim, contaminando a fauna e a flora, e provocando forte impacto, sobretudo na vida marinha.

Leia tambémNestlé começa a eliminar canudo plástico do Nescau ‘Prontinho’ no Brasil

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas afinal, como podemos enfrentar esse problema? Para muitas pessoas (e empresas) a solução pode ser justamente voltar aos velhos hábitos do passado.

Um projeto piloto conduzido por várias multinacionais do setor alimentício, de limpeza e de higiene abordam esse conceito de “volta às origens”, em 2019. Em parceria com a ONG pró-sustentabilidade TerraCycle, essas empresas desenvolveram diversas soluções de reciclagem, batizadas de “Loop”.

Multinacionais lançam projeto de embalagens duráveis e ainda entrega em casa para combater lixo plástico
Algumas das marcas que fazem parte do projeto Loop

Basicamente, a ideia volta à garrafa de leite e cestos de vime dos nossos avós, só que com um leque de produtos e alimentos muito maior. As compras não seriam feitas na mercearia ou na feira, mas online.

Uma vez que o consumidor utilizar até o fim seu desodorante, sabonete líquido, maionese ou afins, ele irá devolver essas embalagens retornáveis, que serão recolhidas na sua residência.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em seguida, as empresas fabricantes vão higienizá-las para reuso. Inicialmente, o valor dos produtos será o mesmo do que é pago atualmente; haveria um custo extra pelo depósito das embalagens.

Multinacionais lançam projeto de embalagens duráveis e ainda entrega em casa para combater lixo plástico
Embalagem reutilizável de sabão em pó

O projeto aplica o conceito de “economia circular”, que estabelece que a produção de produtos esteja firmada no compromisso de redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia após a fabricação. Em outras palavras, estamos falando de LIXO ZERO!

Se engajaram no Loop até agora 25 companhias globais, dentre elas: Carrefour, The Body Shop, Gamble, PepsiCo, Unilever, Danone, People Against Dirty, Nature’s Path, dentre outras.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia tambémMedalhas das Olimpíadas de Tóquio serão feitas de lixo eletrônico reciclado

Multinacionais lançam projeto de embalagens duráveis e ainda entrega em casa para combater lixo plástico
Lembra a lata de biscoito da casa da vovó? Pois ela está de volta!

“Esta é uma resposta ao desafio global de gerenciar resíduos e uma oportunidade de melhorar a experiência dos consumidores, criando uma nova maneira de consumir com mais responsabilidade”, diz Tom Szaky, CEO da TerraCycle. “Através do Loop, os consumidores poderão consumir produtos em embalagens especialmente projetadas, duráveis, reutilizáveis ou totalmente recicláveis, feitas de materiais como vidro e metal, não mais plástico.”.

Multinacionais lançam projeto de embalagens duráveis e ainda entrega em casa para combater lixo plástico
Sacola que será utilizada para fazer entregas e coletas dos produtos

O próximo passo é analisar o feedback e engajamento dos consumidores ao Projeto Loop nos mercados-teste ao longo dos primeiros meses deste ano. Outra questão a ser quantificada é a questão do impacto dos caminhões de entrega no trânsito das cidades e na emissão de gases poluentes.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Conexão Planeta
Fotos/Imagens: Reprodução / Conexão Planeta

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,419,547SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

“Antes queria ser a Rapunzel, agora quer ser a Miss Universo”, diz mãe

"Confesso que nunca havia ligado muito para representatividade até me tornar mãe", diz a mãe em um post no Facebook.

Mãe e filha costuram casacos de lã para galinhas que viviam em cativeiro não passarem frio

Já imaginou que galinhas podem sentir frio? Ann Congdon e a filha, Nicola, criaram as galinhas da família em gaiolas industriais durante anos. Agora, por...

Sem-tetos de Londres fazem registros incríveis da capital inglesa

No mês de julho deste ano, o Café Art deu aos sem-tetos de Londres uma oportunidade para que eles expressassem sua visão da ürbe. O...

Noruega é a primeira nação do mundo a proibir o corte de árvores em todo o território nacional

O Parlamento da Noruega estabeleceu uma meta para o país que o mundo inteiro deveria copiar: acabar de uma vez por todas com o...

Instagram