Empresa em Lisboa chama idosas acima de 65 anos para produzir objetos de design

Há quem associe a terceira idade à monotonia, mas felizmente, muitas pessoas vêm tentando mudar este cenário. Uma vida mais ativa é uma vida mais feliz e quando os idosos se sentem inseridos na sociedade, eles conseguem enxergar um sentido para a vida. Em Lisboa, o projeto A Avó Veio Trabalhar reúne mulheres acima dos 65 anos para produzir objetos de design.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Relacionado: No Espírito Santo, idoso de 89 anos cata latinhas para ajudar famílias carentes

Resultado da iniciativa da designer Susana António e do psicólogo Ângelo Campota, o projeto une idosas que fogem dos programas sociais exclusivos para a terceira idade e que hoje estão felizes da vida, já que se reinseriram no mercado de trabalho.

A Avó Veio Trabalhar começou em 2014, com 12 integrantes e no começo elas faziam luvas e bordados. Com o tempo, elas começaram a se animar e foram convidando amigas, vizinhas e o projeto foi crescendo. Atualmente elas trabalham em uma loja-ateliê e desta maneira é mais fácil que outras pessoas conheçam o projeto e se interessem em participar: “Com a loja, começam a chegar novas avós. Muitas vezes as famílias passam, conhecem o projeto e depois trazem a avó”, diz Ângelo.

Em apenas 3 anos de existência o projeto cresceu tanto, que já conta com mais de 70 participantes e 3 pólos. Segundo Ângelo, são pessoas que preferem estar lá do que em casa pensando que estão no fim da vida. Além do mais, essas senhoras estão super inseridas na modernização que Lisboa vem passando nos últimos tempos, elas se envolvem em diferentes projetos, como festivais de cinema, finais de semana culturais e a marcha LGBT. Ângelo completa: “Havia uma senhora de 80 anos a lutar pelos direitos dos homossexuais. Elas deixam de estar adormecidas, crescem como pessoas”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Se a média das avós participantes do projeto é de 75 anos, a mais velha já passou dos 90, mas se sente mais viva do que nunca. Ângelo diz que apesar do nome, não há nenhum impedimento para que homens possam participar do projeto, mas como eles costumam fazer bordados e atividades que as pessoas remetem ao feminino, eles normalmente se sentem intimidados e preferem não participar.

O mais incrível de tudo é que cada peça produzida possui uma etiqueta com uma foto e a história da avó envolvida naquela peça. Cada coleção possui uma avó embaixadora, que empresta seu rosto e participa das campanhas publicitárias. Este projeto maravilhoso tem feito tanto sucesso, que as avós até participaram da Bienal Ibero-americana de Design, em Madri.

Com informações de Almost Locals

Fotos: divulgação

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

985,324FãsCurtir
1,735,582SeguidoresSeguir
8,546SeguidoresSeguir
11,100InscritosInscrever

+ Lidas

Bióloga que salvou Arara Azul da extinção vira personagem da Turma da Mônica

Na última terça-feira (11), foi celebrado o Dia Internacional das Meninas e Mulheres na Ciência. Para comemorar a data, a Mauricio de Sousa Produções...

Juiz vai até a casa de idosa para lhe conceder aposentadoria

Um  caso incomum aconteceu há alguns meses, onde um juiz foi até a casa de uma senhora de 100 anos para conceder aposentadoria a ela. O...

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

USP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

Cientistas adjuntos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto desenvolveram uma técnica eficaz na redução de quase a totalidade...

Neto faz “antes e depois” e homenageia avó em seu aniversário de 99 anos

A homenagem de um neto para sua avó no dia do seu aniversário de 99 anos comoveu as redes sociais nesta quinta-feira (13). Iury Neto,...

Instagram