Empresa transforma plástico descartado em moradias

Você sabia que só com o plástico descartado todos os anos é possível dar quatro voltas na Terra?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já nos aterros sanitários, apenas 5% hoje são reutilizados ou reciclados, sendo que o restante pode levar até 1.000 anos para se decompor.

E, infelizmente, os oceanos são poluídos com 10-20 milhões de toneladas de plástico todos os anos.

Entre os piores exemplos nesses números está o México, o 12ª maior consumidor de plásticos no mundo, com mais de 5 milhões de toneladas por ano.

Nascido no estado de Puebla, Carlos Daniel González lembra a prevalência desta poluição e seus danos à sua comunidade. “Quando criança, eu lembro de ter visto todo o plástico e a contaminação que causou, para nós e para os animais”, disse González em entrevista ao site Unreasonable. “Eu sempre me preocupava com o meio ambiente, então eu decidi que tinha de criar e liderar uma solução.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em 2013, ele fundou a EcoDomum para construir casas duráveis, a preços acessíveis, utilizando plástico reciclado. Além disso, González decidiu empregar sua solução ambiental para resolver outro problema sério em seu país, a situação de quem vive em extrema pobreza.

O Banco Mundial define a pobreza extrema como “viver no limite da subsistência com um consumo médio diário de US$ 1,25 ou menos.”

No México, 11,5 milhões de pessoas, quase 10% de toda a população, vive em situação de extrema pobreza. Puebla, onde a EcoDomum está sediada, é um dos estados mais pobres do México, com 64% da população vivendo na pobreza. De acordo com González, isso significa que muitas vezes as pessoas em seu bairro não têm as necessidades básicas de alimentação e habitação atendidas.

“Eu moro em um lugar com muita pobreza e problemas de marginalização”, disse González. “Algumas pessoas vivem em condições verdadeiramente deploráveis, lugares que você não pode chamar de casa. Minha visão é muito clara. Tenho a convicção de ajudar o máximo de pessoas que der a ter uma vida digna, livrando-se da pobreza extrema e limpando meu país ao mesmo tempo.”

A EcoDomum faz isso através do recolhimento de plástico, derretendo-o e moldando-o em grandes painéis, usados como as paredes e telhados para construir casas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com González, o processo é relativamente simples. Primeiro, a empresa recolhe todos os tipos de plástico, de garrafas de refrigerante até brinquedos, e os separa para encontrar os tipos que derretem sem emitir gases nocivos.

Em seguida, colocaram o plástico em uma máquina para cortá-lo. Depois, as peças são colocadas num forno que as aquece a 350 graus Celsius por cerca de 30 minutos. Finalmente, o líquido passa por uma prensa hidráulica, que simultaneamente comprime e cristaliza o plástico para formar os painéis.

Cada painel tem quase oito metros de comprimento, quatro de largura e cerca de uma polegada de espessura. As casas contêm dois quartos e um banheiro, uma sala de estar e uma cozinha.

A construção de uma casa requer 80 painéis e em sua capacidade atual, a planta da EcoDomum produz 120 painéis por dia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Leva apenas sete dias para construir uma casa que utiliza duas toneladas de plástico”, disse González. Além disso, as propriedades duráveis, impermeáveis e acessíveis do plástico lhe deram uma vantagem competitiva ao longo de décadas. “[A casa] conserva o calor e os custos são baixos, isso é ótimo para o meio ambiente, e ela vai durar 100 anos sem cair aos pedaços. E estas são apenas algumas das nossas propostas”.

Além de ajudar o meio ambiente e a habitação daqueles em necessidade, a EcoDomum também estimula a economia local, pagando catadores uma taxa mais elevada para o seu trabalho. Ele quase dobrou o salário de vários coletores de lixo.

“Isto tem o potencial para crescer exponencialmente”, disse González. “O problema do lixo é enorme no meu país. No mundo todo, há toneladas de lixo. No próximo ano, quero fazer a empresa crescer dez vezes. Em primeiro lugar, vamos nos concentrar no México, mas em 3-5 anos, queremos ir para outros países. O mundo é uma casa para todos, e vale a pena a lutar para expandir este negócio. Vou dedicar o resto da minha vida a isso.”

Eco Domum from Carlos Daniel on Vimeo.

casa00

CZme7_XWkAEd_9I

ec1

Eco-Domum-plastic-wall-panels-889x566

EcoDomum1-1400x500

ecohouse

Unknown

Fonte: Unreasonable

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,642,968SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Médica ‘receita’ influenciadores e intelectuais negros para jovem deprimido

Deu certo: o jovem, negro, gay e periférico, está namorando! 🖤

Mulher desenha amarelinha na calçada e câmera registra as reações de pedestres (EUA)

Difícil é ter uma pessoa que nunca brincou de amarelinha nessa vida. E uma mulher de São Francisco (EUA) resolveu testar esse xodó mundial. Ela...

Após desistir do BBB21, Lucas Penteado recebe ajuda de anônimos e famosos

Com certeza o nome de Lucas Penteado foi um dos mais citados desde o início do BBB21. Entre os assuntos, vimos a discriminação, o...

Vaquinha da VOAA arrecada mais de R$ 76 mil para vendedor de picolé que chorou por não vender nada

E o seu Manoel, gente? Que história, hein?! Nos últimos dias esse vendedor de picolé emocionou muita gente nas redes sociais, quando um vídeo...

Paraisópolis (SP) recebe evento global de empreendedorismo social

Hoje, 4, é o “Dia Nacional da Favela”. Seguindo essa data, acontece nos próximos dias 6, 7 e 8 de novembro, na comunidade de...

Instagram