Por que empresas que fazem o bem devem ser remuneradas? Ouça agora em nosso podcast

Clique e ouça:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Se a taxa é x e arrecadou tanto, o resto do dinheiro fica pro Razões? Nossa, muito dinheiro, hein”. No melhor dos cenários, a VOAA, vaquinha do Razões, se pagaria sozinha, mas não é o que acontece.

Empresas que fazem o bem devem ser remuneradas? Esse foi o tema de um EP do podcast do Razões. O Vicente, fundador do Razões, e o Felipe Rossi, criador do projeto Por 1 Sorriso, explicaram por que a resposta para a pergunta é “sim”.

Não só empresas que trabalham com o social, mas as ONGs, caso da Por 1 Sorriso, também. É bem simples de entender.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Razões (@razoespodcast) em

Imagina que você precisa de uma identidade visual pro negócio que você está abrindo. Você está sem grana e não tem como pagar alguém para fazer a arte. Mas você tem um sobrinho que manja de Photoshop. Ele vê que você tá super animado e topa fazer a logo sem cobrar nada.

Só que o tempo vai passando e nada do seu sobrinho entregar a arte. Ele tá na dele, se ofereceu para fazer a identidade, mas no tempo dele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já se você jogar uma grana na mão dele, pode dizer o dia e horário tal que você quer o serviço pronto.

Trabalho voluntário é maravilhoso, mas as coisas caminham mais devagar, e muitas vezes nem caminham.

“É isso o que eu falo sempre. Todo mundo o tempo todo quer se voluntariar no Razões. Eu acho isso maravilhoso, de verdade. Mas as demandas que a gente precisa são diárias, como um trabalho normal. E a única forma que eu tenho pra pessoa ficar disponível, é ter que pagar.” (Vicente)

Seres iluminados x Pessoas com boleto para pagar

A gente ama fazer o que faz, mas não faz sentido ser chamado de “ser iluminado”, o que dá a impressão de que quem faz coisas de impacto positivo são apenas pessoas iluminadas – o que definitivamente não é verdade, são pessoas absolutamente normais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Primeiro, porque, agora é eu me colocando na conversa, toda pessoa tem defeitos, não é por que ela faz uma boa ação ou ajuda a mudar uma história que ela é “iluminada”. Segundo, porque, no fundo, essa “aura” afasta das pessoas a percepção de que aquilo é um trabalho e que merece ser remunerado. Boleto chega pra todo mundo.

Foto: Freepik

“Isso é bem legal de falar… As pessoas colocam na gente uma responsabilidade que é delas. Quando as pessoas escrevem ‘nossa, você é um ser de luz’ (…) Quando a pessoa joga isso pra mim, pro Vicente, ela tira dela a responsabilidade, sacou? E não é certo. A gente não é responsável por todos os problemas do planeta.” (Felipe)

O que a mão direita faz a esquerda não precisa saber?

É assim mesmo que fala? Então, existe todo um debate de que não devemos divulgar uma doação ou boa ação etc. É meio louco pensar dessa forma porque a gente vive num mundo onde as pessoas divulgam tudo o que é coisa que a mão esquerda não precisava saber rs (alô stories no vaso do banheiro!)

E ok você preferir não divulgar a doação que você faz. Já “fiscalizar” quem escolhe divulgar, é um pouquinho demais. É legal mostrar para que mais pessoas façam o mesmo.

Vou fazer o sincero: quem é ajudado tá nem aí se você vai divulgar ou não sua doação. Aquela pessoa tem necessidades mais urgentes para se preocupar. É uma generalização perigosa? É, como qualquer generalização, inclusive a que diz o contrário.

“Quem quer divulgar eu acho ainda mais interessante porque você humaniza a história e consegue multiplicar. Então se eu vejo alguém normal, igual eu, que vai lá e comprou uma cesta básica e tá doando pra alguém, eu posso fazer isso.” (Vicente)

Vivendo na corda bamba

Essa é a realidade, e talvez motivada pelo pensamento de que pessoas que trabalham com o social são “iluminadas”, ou que fazem aquilo “de coração”. Tem muito coração, óbvio, mas tem cobranças (metas, resultados etc.) e contas para pagar.

“A gente precisa de dinheiro pra poder movimentar. Hoje, a gente tem um custo físico de no mínimo R$ 15 mil. Quando bota os salários, a gente vai pra R$ 25 mil de custos fixos. A ONG só chegou a R$ 10 mil pessoas porque existe esse custo fixo e as pessoas não param pra fazer essa conta. Se existe essa taxa da vaquinha de vocês é porque tem gente trabalhando nisso.” (Felipe)

Foto: Pinterest

“E elas estão sendo cobradas por isso. A pessoa só vai conseguir se dedicar a isso se ela for remunerada, não tem o que inventar. Infelizmente, as pessoas que trabalham com social sempre vivem na corda bamba. Não é justo, e eu não quero passar por isso.” (Vicente)

Quanta coisa pra pensar, hein? Mas tem mais, se a sua plataforma é o Spotify ouça o EP abaixo. Ouça em outras plataformas clicando aqui.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,026,578FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
11,993SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Brasileira voluntária da 2ª Guerra Mundial é hoje voluntária na luta contra o Coronavírus

A dona Blandina era adolescente quando confeccionou luvas para os soldados brasileiros da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutaram na 2ª Guerra Mundial. Lá se...

Jovens antecipam casamento após saber que um deles tem apenas 5 meses de vida

Se você, assim como eu, se acabou de chorar vendo "Um amor para recordar" lá em 2002, se prepare: essa história é real, e...

Policiais unem-se a manifestantes em ato contra racismo e violência, nos EUA

É preciso tomar muito cuidado com generalizações, afinal, a profissão e a raça de uma pessoa não podem a definir. E para provar isso, diversos...

Engenheiro cria próteses gratuitas para pessoas carentes em impressora 3D

Aos 24 anos, o engenheiro industrial Guillermo Martinez decidiu usar todo seu conhecimento e criatividade em prol das pessoas carentes. Depois de comprar uma...

Pela primeira vez o Solstício de verão de Stonehenge será transmitido online

Pela primeira vez na história poderemos acompanhar o solstício de verão de Stonehenge online, o evento marca o dia mais longo do ano e...

Instagram