“Você criaria meu filho se eu morresse?”: Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho

Quando Tricia Somers foi informada de que tinha um câncer de fígado terminal, ela logo recorreu à sua enfermeira oncológica e melhor amiga Tricia Seaman para cuidar de seu único filho.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Ela se referiu a mim como seu anjo e disse que fui enviada para ajudar ela e seu filho”, disse Seaman, 43 anos. “Somers me disse que a primeira vez que entrei para cuidar dela, ela se sentiu aquecida e em paz. Ela sabia que eu era a pessoa certa para cuidar de Wesley”.

Somers era uma mãe solo dedicada e amorosa de Wesley, na época com 8 anos. Ela e o menino se tornaram parte da família da enfermeira, ao lado de seu marido Dan Seaman e os 4 filhos do casal.

Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho

Infelizmente, a mãe de Wesley faleceu no dia 7 de dezembro de 2014. “Deus planejou isso perfeitamente, havia uma razão para eu ser a enfermeira de Somers”, disse Seaman. “Sinto-me tão abençoada por tê-la conhecido e agora tenho o privilégio de criar seu filho. Ela sempre estará comigo”, completou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Seaman, enfermeira há 22 anos, trabalhava no setor de oncologia no Hospital Pinnacle Health Community General em Harrisburg, Pensilvânia, quando conheceu Somers em março de 2014. Ela foi diagnosticada com uma forma rara de câncer de fígado em 2013 e estava se recuperando de um procedimento que acontecera mais cedo naquele dia.

“Eu disse: ‘Uau, será fácil lembrar seu nome porque somos xarás!’”, lembrou a enfermeira. “Nós até compartilhamos as mesmas iniciais, TS (Tricia Somers e Tricia Seaman)”.

Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho

As duas mulheres se deram bem imediatamente e Somers se abriu com a enfermeira sobre seu passado difícil e seu medo de morrer.

“Ela era mãe solteira de Wesley e ambos os pais morreram de câncer”, disse. “Ela se mudou para Harrisburg porque foi vítima de violência doméstica e precisava de um novo começo.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desde aquele primeiro encontro, ficou claro que Somers valorizava seu filho mais do que qualquer coisa no mundo.

“Ele estava na frente e no centro de sua vida, ela tinha fotos dele e desenhos que ele fez para ela”, disse Seaman. “Ela estava muito orgulhosa dele, mas também estava muito preocupada com o que aconteceria se ela morresse.”

Seaman não foi designada como enfermeira de Somers novamente, mas ela frequentemente aparecia no quarto da mãe doente para dizer olá e ver como ela estava.

Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No último dia de internação, Seaman passou por lá para se despedir – e foi nesse momento que sua vida mudou para sempre.

“Somers tinha acabado de fazer os exames de laboratório e ela se levantou para mim e disse: ‘A biópsia voltou e estou terminal, vou morrer’”, relembrou a enfermeira. “E então ela perguntou se eu e Dan criaríamos Wesley quando ela morresse”.

O que Somers não sabia na época era que Seaman e seu marido estavam tentando adicionar um filho à família “há anos”. A enfermeira deu à luz três de seus quatro filhos por cesariana e os médicos lhe disseram que outra gravidez poderia causar complicações para o bebê. Então, os Seamans procuraram uma criança para adoção.

“Fomos aprovados como pais adotivos em outubro de 2013, mas nada aconteceu”, disse Seaman. “Então, quando Somers disse que queria que eu levasse Wesley, tive emoções muito conflitantes. Isso foi devastador para ela, mas não pudemos deixar de nos perguntar se isso era para ser.”

Seaman pediu a Somers que pensasse cuidadosamente sobre seu pedido, mas a mãe solo sabia que ela havia encontrado uma família perfeita para Wesley.

Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho

“A primeira vez que Dan e eu conhecemos Wesley eu me senti muito triste por Tricia, mas, ao mesmo tempo, esperançosa em poder cuidar dele com amor. Ele sempre foi muito adorável – tanto que logo nos apaixonamos por ele.”

As duas famílias começaram a passar cada vez mais tempo juntas. Somers, que estava cada dia mais perto da morte, acabou indo morar com os Seamans.

“Nós nos tornamos uma grande família, saíamos de férias juntos, ficamos muito ligados. Nós cuidamos de Somers em nossa casa até que ela ficou muito doente e foi para a oncologia de internação e depois para uma residência de cuidados paliativos”, disse.

Em 7 de dezembro de 2014, Tricia Somers faleceu.

Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho

“A essa altura já tínhamos cuidado da papelada de adoção, Tricia fez um testamento e nos nomeou tutores legais”, disse Seaman. “Nós compartilhamos a custódia legal com o pai biológico de Wesley, que tem permissão para visitas. Eles se veem duas vezes por ano.”

“Estamos todos juntos agora. As crianças chamam um ao outro de irmão e irmã e Wesley se refere a nós como seus pais”, disse a enfermeira.

Wesley agora tem 15 anos e é uma “parte completa da família”.

“Quando Tricia estava partindo, ela realmente me disse: ‘Pare de chorar!’ e eu disse: ‘Não posso evitar, não quero deixar você ir!’”, relembrou Seaman. “Ela então me agradeceu por aceitar Wesley, mas eu disse, ‘Não, não me agradeça, eu que quero te agradecer’”.

“Por fim, eu disse a ela: ‘Porque você mudou minha vida para melhor e Wesley está nas melhores mãos, você nunca terá que se preocupar. Você pode ficar tranquila com tudo”, completou a mãe de 5.

Fonte: Upsocl
Fotos: Tadpole Photography

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,805,539SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menina de 4 anos com paralisia cerebral se torna dama de honra em casamento de tia graças a equipamento adaptado ligado ao pai

O sonho de se tornar dama de honra não foi impossível para uma criança que tem paralisia cerebral. Meses atrás uma mãe inventou um suporte...

Você tem até o dia 23 de fevereiro para inscrever seu projeto que pode transformar a educação no Brasil

A educação é uma luta constante no Brasil e dia após dia há quem escolha vencer todos os seus obstáculos. Impulsionando as boas e...

Ítalo Ferreira do surf chora ao ganhar medalha de ouro e emociona jornalista ao lembrar da avó

Um momento para entrar na história das Olimpíadas e aquecer nossos corações ! A primeira medalha de ouro para o Brasil nas Olimpíadas de Tóquio...

VOAA cria vaquinha para comprar Kombi para Instituto que leva mantimentos à pessoas carentes

Há 8 anos, o Instituto A Nossa Jornada, liderado pela Renata Quintella, conecta pessoas do mundo inteiro, unindo quem precisa de ajuda e quem...

Quando natureza e gravidez se unem em fotos, você ganha as imagens mais apaixonantes do dia

Fotografias são mais do que uma forma de registrar momentos, elas têm o poder de transmitir sentimentos, sensações, o estado de espírito do momento...

Instagram

“Você criaria meu filho se eu morresse?”: Mãe com câncer terminal pede à enfermeira para adotar seu filho 3