Ícone do site Razões para Acreditar

Enfermeira ucraniana que perdeu as pernas na guerra dança com marido após casamento em hospital [VIDEO]

Enfermeira ucraniana que perdeu as pernas na guerra dança com marido após casamento em hospital [VIDEO]

Em março deste ano, no auge da invasão russa contra o território ucraniano, a enfermeira Oksana Balandina estava de casamento marcado com Viktor Vasyliv quando foi vítima de uma terrível tragédia.

A jovem ficou gravemente ferida após pisar em uma mina terrestre plantada em Lysychansk, cidade onde morava no oeste da Ucrânia. Como resultado da explosão, Oksana teve suas pernas e parte dos dedos da mão direita amputados. ?

Foto: Parlamento da Ucrânia
No dia 2 de maio, após seis semanas de recuperação, ela pôde reencontrar o marido em uma enfermaria de Lviv, onde puderam compartilhar sua primeira dança de casamento.

Foto: Parlamento da Ucrânia
O momento foi gravado em vídeo e viralizou na internet após ser publicado pelo Parlamento da Ucrânia, comovendo internautas do mundo todo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Oksana e Viktor, ambos de 23 anos, concluíram o casamento civil do hospital onde a enfermeira estava internada. E, apesar de sua incapacidade física e de ainda sentir muitas dores, ela celebrou sua primeira dança como casada com muita alegria!

Foto: Parlamento da Ucrânia
De acordo com o jornal Daily Mail, a enfermeira estava caminhando de volta para casa quando pisou em um artefato explosivo escondido. Viktor estava com ela no momento da explosão, mas não se feriu gravemente.

“Só lhe consegui dizer: ‘Olha!’, contou Oksana, ao recordar o momento do acidente. “Ele olhou para mim quando a mina explodiu. Eu caí com a cara no chão. Havia um ruído extremo na minha cabeça. Virei-me e comecei a rasgar a minha roupa para ser mais fácil respirar”, explicou a jovem.

Apesar de estar do lado da esposa no momento da tragédia, Viktor ficou ileso. “Quando aconteceu, fiquei desesperado, não sabia o que fazer. Olhei para ela e vi que não se mexia”, recorda.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foto: Parlamento da Ucrânia

Nos dois meses seguintes, Oksana foi tratada em vários hospitais do país. As feridas eram irreparáveis e os médicos não tiveram opção a não ser amputar ambas as pernas e quatro dedos da mão esquerda dela. “Eu não queria viver… não queria viver assim, tenho dois filhos. Não queria que me vissem assim. Não queria ser um fardo para ninguém da minha família”, disse Balandina, falando no hospital.

“Quando aconteceu, eu desisti, em desespero. Eu não sabia o que fazer. Eu vi que ela não se mexia”, disse Viktor. “Se não fosse por Oksana, eu não sei o que aconteceria. Ela é muito forte. Ela não desmaiou. Oksana foi quem coordenou todas as nossas ações”, acrescentou.

A jovem tem recebido muito apoio e amor não apenas de Viktor e de sua família, como de milhares de pessoas ao redor do mundo, que enviaram cartas e mensagens à ela.

“Graças ao apoio incondicional de muitos, eu aceitei [o ocorrido]. Preciso continuar vivendo. Não é o fim da vida. Se Deus me deixou viva, esse é o meu destino.”

Foto: Parlamento da Ucrânia

Oksana tem dois filhos – um menino de 7 anos e uma menina de 5, – estão com os avós na região de Poltava, no centro da Ucrânia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como não há sinal de paz duradoura no país, que está em guerra há quatro meses, ela disse que pretende ir embora para a Alemanha nos próximos meses, onde Oksana pretende conseguir próteses e fazer sua reabilitação. “O objetivo principal é conseguir a próteses e voltar a ficar de pé”, disse.

“Quero voltar para nossa cidade, Lysychansk, mas sinceramente falando, estou preocupada com meus filhos. Quando a guerra acabar, ainda vai ter muita coisa acontecendo. As estradas estão minadas, é assustador”, lamentou.

Em entrevista à Reuters, Viktor se disse muito grato por cada dia que ele divide com sua esposa.

“Eu tive medo de perdê-la. Eu queria chorar, mas não podia. Eu estava em choque, eu não conseguia entender o que estava acontecendo. Eu estava apavorado com a possibilidade de perder a pessoa que eu amo”, concluiu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assista ao vídeo:

Fonte: Conexão Planeta

Sair da versão mobile