Ernst & Young americana abre programa que ajuda jovens autistas a encontrarem o 1º emprego

Umas das maiores e mais importantes instituições financeiras do mundo, a Ernst & Young decidiu sair na frente na corrida pela inclusão e acaba de lançar um programa em Boston (EUA) para atrair funcionários autistas à equipe.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fundada em 1989 no Reino Unido, a empresa hoje está presente nos quatro cantos do mundo e é uma das mais prestigiadas no setor. E agora tem dado mais um motivo para isso.

Jane Steinmetz, chefe do escritório de Boston, disse que o programa foi criado, porque, se encontrar um emprego durante a pandemia do novo coronavírus já é difícil, para pessoas com autismo ou outra desordem no desenvolvimento neurológico, o desafio é ainda maior.

Jane Steinmetz, chefe escritório Boston Ernst & Young
Jane Steinmetz, a idealizadora do programa em Boston. Foto: divulgação

Jake Bennett é uma destas pessoas. O jovem é formado em matemática e foi diagnosticado com síndrome de asperger leve ainda criança. O distúrbio afeta, sobretudo, o modo como as pessoas percebem o mundo e interagem com o outro, por isso, ele sempre enfrentou dificuldades para encontrar um emprego.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foi quando sua madrasta o alertou sobre o programa 60 Minutes (“60 Minutos”, em português), da Ernst & Young.

O programa

Feito sob medida para pessoas como ele, o programa foi criado especialmente na filial de Boston, que abriga um dos Centros de Excelência Neuro-Diverso, projetado para fomentar a contratação de candidatos talentosos cujas desordens cognitivasdislexia, autismo ou TDAH, por exemplo – podem prejudicá-los em entrevistas de emprego tradicionais que dependem de boas habilidades sociais.

Graças ao programa, Bennett foi contratado em janeiro e nunca mais precisará passar pela agonia de encontrar o primeiro emprego.

“Não é fácil começar um novo emprego, especialmente quando é seu primeiro emprego e está no meio de uma pandemia. A EY fez o possível para me acomodar”, diz orgulhoso.

homem assina contrato trabalho em mesa com mulher
Foto: Freepik

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com Jane, amais cinco pessoas serão contratadas através do programa. “Dói saber que eles têm dificuldade para encontrar emprego, porque o que trazem é um diferencial para a EY, para nossos clientes e para nossa comunidade empresarial“, explicou.

No entanto, o programa também existe em outras localidades, como na Filadélfia, onde foi implementado em 2016 por Hiren Shukla. Tudo começou quando ele tentava pensar em novas maneiras de impulsionar a inovação na empresa e ouviu uma conversa sobre neurodiversidade.

“Eu estava ouvindo como esses indivíduos são programados para pensar de forma diferente, que muitas vezes podem ver as coisas em padrões de maneiras que a maioria da população não consegue”, disse.

Diversidade global

Com seis destes centros até agora nos Estados Unidos, Canadá e Índia, mais de 150 pessoas ingressaram na EY por meio do programa 60 Minutos. O objetivo não poderia ser mais inspirador: evitar estigmatizar estas pessoas a partir da compreensão de que a neurodiversidade é uma força.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A Ernst & Young não é a única empresa que vem investindo em funcionários com desordens no desenvolvimento neurológico. Outras grandes instituições nas áreas de tecnologia e finanças, como Microsoft, SAP, JPMorgan Chase, Dell, IBM, Deloitte e Fidelity Investment também já perceberam que a chave para um mundo mais justo é inclusão e diversidade. 👏

Fonte: Boston Globe


Quer ver mais uma história motivadora? Dá o play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,643,961SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Creche lança projeto que doa fraldas descartáveis para outras instituições

A creche Cantinho Vó Georgina, em Porto Alegre, está com um projeto super bacana de confecção e doação de fraldas descartáveis para outras creches...

Universidade Estadual da Paraíba desenvolve purificador de baixo custo para distribuir a famílias que sofrem com a escassez da água

Alunos da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) conseguiram outro avanço em purificação de água. Eles criaram um sistema purificador rentável que transforma água suja em potável e, ainda mais, foram...

Professora cria projeto coletivo de caronas a pé e recria forma antiga de ir para aula

Quem passa por alguma escola em seu caminho, sabe o drama que pode ser a hora da entrada e da saída após a aula....

Site aproxima vizinhos estimulando o empréstimo ou a doação de objetos

Criada em 2014, a plataforma também possui um aplicativo que está presente em todos os estados do Brasil, em mais de 12.500 cidades.

Pinguim retorna todo ano para visitar homem que o salvou no Rio

João Pereira de Souza encontrou o pássaro encharcado de óleo em uma praia perto de sua casa, no Rio de Janeiro.

Instagram