Ernst & Young americana abre programa que ajuda jovens autistas a encontrarem o 1º emprego

Umas das maiores e mais importantes instituições financeiras do mundo, a Ernst & Young decidiu sair na frente na corrida pela inclusão e acaba de lançar um programa em Boston (EUA) para atrair funcionários autistas à equipe.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fundada em 1989 no Reino Unido, a empresa hoje está presente nos quatro cantos do mundo e é uma das mais prestigiadas no setor. E agora tem dado mais um motivo para isso.

Jane Steinmetz, chefe do escritório de Boston, disse que o programa foi criado, porque, se encontrar um emprego durante a pandemia do novo coronavírus já é difícil, para pessoas com autismo ou outra desordem no desenvolvimento neurológico, o desafio é ainda maior.

Jane Steinmetz, chefe escritório Boston Ernst & Young
Jane Steinmetz, a idealizadora do programa em Boston. Foto: divulgação

Jake Bennett é uma destas pessoas. O jovem é formado em matemática e foi diagnosticado com síndrome de asperger leve ainda criança. O distúrbio afeta, sobretudo, o modo como as pessoas percebem o mundo e interagem com o outro, por isso, ele sempre enfrentou dificuldades para encontrar um emprego.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foi quando sua madrasta o alertou sobre o programa 60 Minutes (“60 Minutos”, em português), da Ernst & Young.

O programa

Feito sob medida para pessoas como ele, o programa foi criado especialmente na filial de Boston, que abriga um dos Centros de Excelência Neuro-Diverso, projetado para fomentar a contratação de candidatos talentosos cujas desordens cognitivasdislexia, autismo ou TDAH, por exemplo – podem prejudicá-los em entrevistas de emprego tradicionais que dependem de boas habilidades sociais.

Graças ao programa, Bennett foi contratado em janeiro e nunca mais precisará passar pela agonia de encontrar o primeiro emprego.

“Não é fácil começar um novo emprego, especialmente quando é seu primeiro emprego e está no meio de uma pandemia. A EY fez o possível para me acomodar”, diz orgulhoso.

homem assina contrato trabalho em mesa com mulher
Foto: Freepik

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com Jane, amais cinco pessoas serão contratadas através do programa. “Dói saber que eles têm dificuldade para encontrar emprego, porque o que trazem é um diferencial para a EY, para nossos clientes e para nossa comunidade empresarial“, explicou.

No entanto, o programa também existe em outras localidades, como na Filadélfia, onde foi implementado em 2016 por Hiren Shukla. Tudo começou quando ele tentava pensar em novas maneiras de impulsionar a inovação na empresa e ouviu uma conversa sobre neurodiversidade.

“Eu estava ouvindo como esses indivíduos são programados para pensar de forma diferente, que muitas vezes podem ver as coisas em padrões de maneiras que a maioria da população não consegue”, disse.

Diversidade global

Com seis destes centros até agora nos Estados Unidos, Canadá e Índia, mais de 150 pessoas ingressaram na EY por meio do programa 60 Minutos. O objetivo não poderia ser mais inspirador: evitar estigmatizar estas pessoas a partir da compreensão de que a neurodiversidade é uma força.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A Ernst & Young não é a única empresa que vem investindo em funcionários com desordens no desenvolvimento neurológico. Outras grandes instituições nas áreas de tecnologia e finanças, como Microsoft, SAP, JPMorgan Chase, Dell, IBM, Deloitte e Fidelity Investment também já perceberam que a chave para um mundo mais justo é inclusão e diversidade. 👏

Fonte: Boston Globe


Quer ver mais uma história motivadora? Dá o play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,493,634SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Muçulmano que doou sangue para vítimas da tragédia em Orlando manda mensagem contra o ódio

O massacre de 50 pessoas em uma boate gay, em Orlando, na Flórida, no último domingo (12), chocou o mundo pela sua crueldade. Um...

Homem comove web ao ter moto incendiada, enquanto tentava salvar animais de queimada

Seu Carlos Roberto, de 58 anos, voltava para casa na última quarta-feira (7), quando viu que uma queimada estava quase atingindo o gado de...

Projeto colaborativo Arte de Rua é iniciativa de integração e promoção da paz

A AkzoNobel, por meio de sua iniciativa global Let's Colour, fechou parceria com a ONG MasterPeace, criadora do projeto Walls Of Connection, que...

Startup testa remédio digital para curar dores crônicas

Tratamento à base de luz trata 90% dos tipos de dores, inclusive as crônicas.

Dolce & Gabanna cria coleção de hijabs e abayas

Uma ótima semana no mundo da moda essa, cheia de diversidade inclusão e respeito! Após a de Jaden Smith ser convidado para estrelar a campanha...

Instagram