Escola para mulheres transgêneros na Indonésia quebra padrões religiosos

Conhecidas na Indonésia como waria (uma combinação das palavras “homem” e “mulher” no idioma local), as mulheres trans têm muitas dificuldades para praticar sua fé e estudar o Islã.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A primeira sala islâmica, no mundo, para mulheres transgêneros foi fundada na cidade de Yogyakarta, em 2008, após a cidade ter sido atingida por um terremoto. Sem lugares onde pudessem fazer suas orações, a diretora da escola, Shinta Ratri, 53 anos, e outras mulheres trans criaram o centro, atrás de uma mesquita.

O grupo de estudos conta com 40 pessoas e um fato chama atenção: a maioria das mulheres trans são mais velhas do que as de outros grupos. Grande parte delas não teve acesso à educação islâmica tradicional por terem sido expulsas de casa ainda muito novas.

O objetivo da escola é fazer com que a marginalização social dessas mulheres tenha um fim e que elas sejam aceitas pelos outros muçulmanos, embora a maior organização muçulmana do país, a Nahdlatul Ulama, e outras lideranças muçulmanas progressistas já tenham demonstrado apoio aos seus esforços.

via [Diário da Manhã]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,845,820SeguidoresSeguir
24,881SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

A história de Carlos e Osmir, um casal que adotou quatro irmãos em Pernambuco

Um casal apaixonado que, ao longo de quase três décadas, construiu uma relação baseada no respeito e no amor e alimentou o sonho de...

Você nunca mais vai precisar jogar no lixo sua esponja velha de lavar louça

Daquelas iniciativas que merecem e precisam ser difundidas. Se você já lavou louça alguma vez, sabe que usamos uma esponja durante a lavagem da...

Fotógrafa capta as expressões quase humanas de animais em extinção

A fotógrafa alemã Manuela Kulpa cria obras de arte muito bonitas com espécies ameaçadas de extinção, de fotografias tiradas em jardins zoológicos à parques...

Ganhe descontos em corridas da Cabify e ainda ajude o Hospital do Câncer de Barretos

Descontos são sempre muito bons e que tal ainda fazer o bem? É isso que a Cabify tem feito durante essa semana. Abril tem sido...

Gari que faz biomedicina recebe apoio após sofrer preconceito: ‘Orgulho da minha profissão’

“As pessoas deveriam pensar um pouco antes de falar, palavras têm peso. Já não é uma profissão valorizada, e ainda tenho que passar por isso”, comentou Cleverson.

Instagram

Escola para mulheres transgêneros na Indonésia quebra padrões religiosos 2