Escola pública transforma espaço vazio em horta

A E.E. Professora Maria da Conceição Oliveira Costa, na zona leste da capital, juntamente com a ONG Cidades sem Fome, transformaram um espaço vazio em uma horta sustentável.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Essa atividade acrescentou muita coisa no aprendizado de nossos alunos. Ao mesmo tempo que eles aprendem a ter o contato com a terra, água e o plantio, eles desenvolvem sua capacidade na leitura e escrita”, revela a diretora Eliane Ribeiro da Costa da Silva em entrevista ao CicloVivo.

A iniciativa fez com que as crianças mudassem os hábitos alimentares e criassem interesse pelo tema.

“Quem sabe no futuro nós não tenhamos crianças que saiam daqui para se tornarem engenheiros agrônomos, ou que façam cursos relacionados à sustentabilidade”, diz a diretora.

No local antes vazio, hoje podem ser colhidos para levar para casa ou serem usadas na merenda alface, almeirão, escarola, repolho, limão, ameixa, entre outros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Alguns pais me falam que as crianças chegam em casa e eles mesmos querem cozinhar os alimentos que plantaram, tamanha é a curiosidade pela atividade”, conclui Eliane.

A ONG já desenvolveu 38 hortas em escolas públicas, o que envolveu mais de 14 mil alunos. “O projeto ‘Hortas Escolares’ deriva de outro projeto que temos há uns cinco anos, que chama-se ‘Hortas Comunitárias’, no qual usamos os espaços públicos de São Paulo para realizar esse trabalho com a população. E nas escolas o nosso foco é a educação ambiental. A ideia é fazer com que o projeto traga um pouco mais de noção nas crianças sobre os alimentos que elas consomem diariamente, além de tentar desmistificar o tabu existente entre as crianças de que legumes e verduras não são saborosos”, afirma Hans Dieter Temp, fundador e coordenador de projetos da ONG.

Desde 2013, está assinado o termo de cooperação entre o Fundo Social de Solidariedade (Fussesp) e a Secretaria da Agricultura para a implantação do projeto Horta Educativa com o objetivo de ensinar conceitos de Educação Ambiental, Nutricional e Valorização do Meio Rural via Horticultura.

O Fussesp fornece material de apoio como ferramentas, sementes, material pedagógico e didático para a implantação nas escolas, enquanto a Secretaria faz o estudo de viabilidade das áreas e disponibiliza assistência técnica.

Já a Secretaria da Educação oferece o cuidador da horta e o relatório para o Fussesp.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

escola_horta_sp_capa

horta_escola_sp_antes

horta_escola_sp

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,496,742SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Estudantes em Divinópolis (MG) criam perfil para informar e acolher mulheres vítimas de violência: “Assunto nunca é falado nas escolas”

O ‘Moça, você não está sozinha’ mostra a mulheres vítimas de violência que do outro lado tem alguém para apoiá-las!

Mulher abriga 97 cães em casa para protegê-los do Furacão Dorian nas Bahamas

Chella Phillips levou 97 cachorros em situação de rua para casa pra protegê-los do Furacão Dorian, que ameaça as Bahamas e a região sudeste dos Estados Unidos.

Após 12 anos escondendo vitiligo, modelo brasiliense se torna exemplo de autoaceitação

Por 12 anos a modelo de Brasília, Larissa Sampaio, de 18 anos, escondeu seu vitiligo. Eram camadas super reforçadas de corretivo e base, deixando...

NASA encontra provas: camada de ozônio está se recuperando

A recuperação total da camada de ozônio pode levar décadas, mas estamos no caminho certo. A recuperação total da camada de ozônio, que protege a...

Idosa dá um baile no câncer e faz peruca de tricô para sua cabeça sem cabelo

Uma das partes mais difíceis da quimioterapia é perder o cabelo por causa do tratamento. Nunca é fácil de ver a sua aparência mudar...

Instagram