Escolas do Brasil ganham cartilha digital sobre descarte consciente de resíduos sólidos

A maioria das escolas têm pouco espaço na sua grade curricular para o ensino de educação ambiental. Além disso, há uma escassez de material didático qualificado e gratuito, o que facilitaria o compartilhamento de saberes tão importantes para instruir as gerações mais novas a construir uma relação mais saudável e orgânica com o meio ambiente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Atenta a essa necessidade, a Associação Brasileira de Bebidas (ABRABE) desenvolveu uma série de cartilhas chamadas “Gestos que Mudam o Mundo”, para disseminar nas escolas conceitos de educação ambiental, sem complicação. Um dos objetivos, por exemplo, é ensinar o descarte consciente de resíduos sólidos. As versões para professores e alunos estão disponíveis no site da Associação.

A ideia da ação é transpor as barreias que impossibilitam o ensino de práticas sustentáveis e implementar o material como atividade extracurricular – e, a longo prazo, quem sabe, incluí-las no currículo oficial das escolas. Essa é a segunda etapa do projeto “Ecogesto – Uma atitude sustentável”, que começou em julho deste ano, quando foram distribuídos mais de 4 mil exemplares para escolas da rede pública e particular da região de Capela do Socorro, em São Paulo.

“Cada vez mais a sustentabilidade faz parte da educação das crianças, sabendo disso, vimos a necessidade de um material que ajudasse os professores a ampliar bons hábitos ambientais. A Política Nacional de Resíduos (PNRS) é complexa e envolve todos os elos da cadeia produtiva, incluindo o consumidor final. Por isso, é preciso educar o cidadão desde a infância para o descarte correto de resíduos sólidos. Orientando os filhos, chegamos aos pais e, consequentemente, toda a sociedade”, explica José Augusto Rodrigues da Silva, presidente da ABRABE.

As cartilhas foram produzidas para professores e alunos do 1º ao 4º ano do ensino fundamental e traz os principais conceitos da Política Nacional de Resíduos, como apresentação dos atores envolvidos no processo, orientações para motivar o descarte correto de resíduos sólidos, sugestões didáticas vinculadas aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), de atividades lúdicas e referências bibliográficas, além de vídeos para auxiliar o trabalho do professor em sala de aula.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O material foi produzido pela escritora Januária Cristina Alves, mestre em Comunicação Social pela Escola de Comunicação Social da USP (ECA/USP). Ela é especialista em Ação Cultural com crianças e jovens e especialista em Infoeducação também pela ECA/USP.

Foto de capa via

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM










Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
5,145,419SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Com pedaço de isopor, mulher nada em enxurrada e salva 17 vítimas de enchente em Santa Luzia (MG)

Uma dona de casa está sendo reconhecida como uma verdadeira heroína em Santa Luzia (MG) após salvar 17 vítimas de uma enxurrada que atingiu...

Médico atendido na emergência se levanta pra ajudar outro paciente

Dr. Miguel Arteaga provou que seu juramento de médico é válido em todos os momentos! Ele estava trabalhando, quando sentiu tontura, náuseas e dor de...

Idosas de Brasília fazem e doam enxovais para grávidas carentes

Estas três senhoras de Brasília se unem três tardes livres por semana para fazer enxovais para grávidas carentes que são doados para ajudá-las a...

É oficial: Assistir animais fofos faz bem para a saúde, diz estudo

Gente, quem aí passa hoooras no YouTube, morrendo de amores com vídeos bichinhos fofos? 🙋🏽‍♀️🙋🏽‍♀️ Pois agora você tem um bom pretexto para assistir ainda...

Jovem cria filtros de água a partir de restos de isopor

Uma nova utilidade para um material que custa caro reciclar.

Instagram